1. Blogs
  2. Ribamar Aragão
  3. Capitania dos Portos intensifica ações de fiscalização do tráfego aquaviário na região do Delta do Parnaíba
Publicidade

Capitania dos Portos intensifica ações de fiscalização do tráfego aquaviário na região do Delta do Parnaíba

Manutenção, coletes e boias são alguns itens necessários para que uma embarcação de uso da pesca esteja dentro das normas que a Marinha do Brasil exige para que opere com segurança. E a Capitania dos Portos do Piauí sempre programa ações de fiscalizações de tráfego aquaviário na região. Atualmente a área de sua responsabilidade abrange 223 municípios do Piauí e mais 23 municípios do Maranhão.

Na última segunda-feira (17) foi iniciada uma nova programação de fiscalização naval em Luís Correia. De acordo com Capitão de Fragata, Benjamin Dante Rodrigues, essa ação é específica para embarcações que utilizam a pesca como uso profissional.

“Ações de fiscalização do tráfego aquaviário podem acontecer em momentos pontuais ou em momentos inesperados. O trabalho dessa ação agora é bem específico: vamos fiscalizar todas as embarcações que utilizam a pesca como uso profissional. Normalmente as embarcações são construídas de forma artesanal e são deficientes na manutenção”, declarou o Capitão Dante.

Ele afirmou também que inicialmente é feito uma orientação e sugerido que eles façam o emprego do material de salvatagem como coletes, salva-vidas e boias. “Primeiro notificamos para que eles regularizem, porque pode virar um ato de infração, virando multa e até perder o direito de navegar. Mesmo com todas as orientações, alguns tentam burlar o sistema de notificação de embarcação”, esclarece.

Segundo o inspetor, suboficial Chagas, a ação é bem aceita pelos pescadores, mas existe uma resistência com relação ao uso do colete. “Nosso papel aqui é verificar a parte administrativa, na questão da documentação, condição geral da embarcação, questão do colete e quantidade de tripulação. Em cada documento deve constar o número certo de pessoas que podem trabalhar dentro do barco”, relata o suboficial.
 
Ainda de acordo com  Capitão dos Portos é importante o conhecimento por meio de cursos para que não haja erro. “Temos que trocar truculência por conhecimento”. O senhor Wilson Luís Neves trabalha com pesca há 30 anos e elogia o trabalho realizado pela Capitania dos Portos. “Muito boas as orientações é preciso que elas ocorram. Eu ando sempre dentro das normas porque aqui é meu sustento”, pontuou.

O suboficial Agenor Cabral fala que sua área de jurisdição é bem assistida pela Capitania dos Portos, com equipamentos adequados e com uma equipe empenhada para dar as orientações. Para executar a operação, a Capitania conta com uma equipe que fica no local 24h e que realiza fiscalização, independente do horário.  A operação da Marinha no litoral do Piauí segue por tempo indeterminado.

Outra questão que o Capitão dos Portos quer desmistificar é a cultura do risco. “Eles estão  acostumados a realizar seu trabalho diariamente e ter o conhecimento da região. Acreditam que não vai acontecer com eles, mas não podemos  ir de encontro à natureza. Vamos conscientizar e minimizar esse problema em curto prazo”.

A Capitania dos Portos também faz de inspeção de embarcações que realizam passeio ao Delta com saída do Porto dos Tatus, esporte e recreio aquático como motos aquáticas e lanchas.

Dados:

Na ação de 2018, a Capitania dos Portos inspecionou 910 abordagens sendo  91 notificações, 84 autos de infração e 08 embarcações apreendidas. Na ação que iniciou essa semana foram feitas 16 abordagens e 03 notificações sendo um documento vencido TIE (Título de inscrição da embarcação) e  outro TB vencido, o certificado da agulha magnética e ausência de um tripulante. Lembrado que todas as regras são regidas pela NORMAM (Normas autoridades marítimas).

Informações:

Qualquer denúncia ou informação, pelos  telefones 3321-2770 ou 0800 0952844 que funciona 24 hs por dia. Podem ir até  Capitania dos Portos: atendimento ao público de 8h às 11h30 de segunda-feira a sexta-feira.

Endereço:  Av. Nações Unidas, 530 – Bairro: Nossa Sra. do Carmo

Fonte: Blog B. Silva

Quem são os políticos interessados em apedrejar e silenciar o radialista parnaibano João Carlos Guimarães?

Mais lidas desse blog