1. Blogs
  2. Paulo Fontenele
  3. Perfil técnico mantido
Publicidade

Perfil técnico mantido

A reforma que o prefeito Firmino Filho (PSDB) está promovendo em seu secretariado é apenas um ajuste devido a saída dos titulares de duas importantes pastas (Finanças, que era ocupada por Manoel de Moura Neto; e a Fundação Municipal de Saúde, que perdeu o médico e ex-prefeito Sílvio Mendes). Para as Finanças, Firmino remanejou o secretário de Administração, Francisco Canindé, e para a Saúde o professor Charles Silveira, que exercia o cargo de Secretário de Governo, desde 2013.

Firmino Filho (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Nas vagas destes o prefeito ainda não definiu os nomes mas especula-se que para substituir Charles Silveira na pasta do Governo, o nome do atual secretário de Comunicação Fernando Said foi cogitado e para a Administração, o deputado e ex-candidato a governador do PSDB Luciano Nunes recusou o convite. Com isso, as duas pastas continuam sem definição de nomes mas é provável que o prefeito anuncie as escolhas ainda na tarde desta quarta-feira (24) e marque a data da posse.

Apesar do contexto em que as mudanças no primeiro escalão da gestão de Firmino Filho na prefeitura ocorrem, elas não têm nenhum caráter político mas dentro de um plano técnico pela opção aos nomes. Até agora as escolhas se deram entre nomes da própria equipe ou se vier alguém de fora não será estranho à linha de critérios que Firmino costuma lançar mão para escolher seus auxiliares. É óbvio que nessas mudanças chegará alguém de fora mas que já trabalharam com ele.

A pouco mais de 2 anos de concluir seu quarto mandato como prefeito de Teresina, Firmino que manter o perfil técnico de sua equipe a fim de que as mudanças que podem ocorrer futuramente se dêem apenas nas pastas ocupadas por vereadores convocados para auxiliá-lo na administração municipal. Como ainda estamos no ocaso do terceiro mandato do governador Wellington Dias, o país ainda vivendo o clima do segundo turno da eleição presidencial, a sucessão de Firmino está latente.

Quando tiver o início do quarto mandato de Wellington Dias à frente do governo do estado, o foco político se voltará para a sucessão do prefeito de Teresina. Firmino não pode mais pleitear a reeleição. Com isso, o processo eleitoral, será antecipado. O resultado da eleição para deputado no Piauí (notadamente a câmara dos deputados) produziu projetos de candidaturas a prefeito da capital que já começam criar fatos, a fim de que o debate ganhe repercussão e abra caminho para a conquista de adeptos.

O foco na disputa das eleições para a Prefeitura de Teresina em 2020 marcou as campanhas de candidatos a governador como o deputado Dr. Pessoa (SD) e do senador Elmano Ferrer (Podemos). A expectativa de uma votação expressiva em Teresina era o vetor do projeto, porém, o fracasso eleitoral praticamente alijou ambos, abrindo espaços para outro. Firmino vai ter seu candidato mas a disputa não terá favoritos como em 2016; será aberta, ou seja, a oposição pode ter grande chance.

LIMPEZA GERAL

Depois de assumir o comando da Cepisa, a Equatorial iniciou a operação para se desfazer das centenas de funcionários da companhia.

E começou pelos altos salários.

O primeiro alvo foi Mercuri, engenheiro antigo e o maior salário da Cepisa que passava dos R$ 60 mil. Recebeu pessoalmente o comunicado da dispensa.

APOSENTADOS

Outro alvo do comando privado da Cepisa são os mais de 600 funcionários aposentados contratados depois da aposentadoria.

Estão incluídos até os concursados que entraram pela porta da frente do concurso.

Como a Cepisa hoje tem 2.191 funcionários, é plano da direção da companhia permanecer com apenas 700, ou seja, apenas 1 terço do total até 2020.

PASSIVO TRABALHISTA

Os dirigentes da Equatorial encontraram muitas distorções salariais na Cepisa, entre as quais técnicos que recebem,  além do alto salário, valores parcelados de ganhos na justiça por ações trabalhistas.

Um deles, com salário de R$ 29 mil, recebe o mesmo valor por conta de decisão trabalhista que obrigou a empresa a desembolsar R$ 4 milhões em valores parcelados.

NO MDB?

Em meio ao plano de se desfiliar do PSDB, o deputado Marden Menezes deve avaliar qual o melhor destino partidário.

Deputado Marden Menezes (Foto: Lucas Sousa/ Portal AZ)

Entre os partidos em foco o mais provável é que ele opte pelo MDB, partido ao qual já está filiado seu pai o prefeito de Piripiri, Luiz Menezes.

CAMINHO DE VOLTA

E se o Fernando Haddad ganhar as eleições para presidente?

Wellington Dias e Fernando Haddad durante campanha no Piauí (Foto: reprodução Facebook)

Os “aliados” do Wellington Dias que foram à “última ceia”, aquela reunião no Hotel Arrey, vão fazer o caminho de volta?

Pelo que se sabe, o senador Ciro Nogueira (PP) e o deputado Júlio César Lima (PSD) já foram discretamente (sem divulgação) declarar apoio a Jair Bolsonaro.

“TEMPOS SOMBRIOS”

Em pronunciamento da tribuna do senado, a senadora Regina Sousa (PT) revelou que ameaças, intimidações, perseguição, agressões não são suficientes para provocar uma reação das instituições brasileiras.

Regina Sousa durante entrevista ao Café com Informação (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

Segundo ela, “o cenário não é dos anos 60, quando a ditadura militar tomou conta do País. É de hoje”. Mas a sensação, diz ela, é a mesma. “Estamos vivendo tempos sombrios”.

A senadora  encerrou o pronunciamento com um poema de Dário Castro, filho do senador eleito Marcelo Castro (MDB-PI):

Eu vou eleger a esperança

Contra o ódio, o medo e a insegurança

Eu vou eleger a paz e a união

Contra a violência e a discriminação

Eu vou eleger a sinceridade

Contra a mentira e a maldade

Eu vou eleger a cidadania

Contra quem nos julga por posses ou etnia

Eu vou eleger a liberdade das pessoas de bem

Contra andar armado e continuar refém

Eu vou eleger, sempre, a mensagem do amor

Contra homenagem a torturador

Eu vou eleger a cultura e a educação

Contra o boicote e a perseguição

Eu vou eleger as mulheres, sim

Contra a fraquejada de homens ruins

Eu vou eleger a solidariedade e, juro, com bravura

Contra quem diz: "pobre não tem futuro. Tem que fazer laqueadura"

Eu vou eleger a nossa beleza e a nossa graça

Contra quem aplaude a "branqueada da raça"

Eu vou eleger a nossa bandeira, exaltá-la

Contra a mordaça, o coturno e a bala

Eu vou eleger o debate esclarecedor

Contra o abate num bar em Salvador

Eu vou eleger o Brasil que nos ampara

Contra tudo que nos separa

Eu vou eleger, emocionado, o futuro

Contra o nosso passado obscuro

Eu vou eleger a verdade, os fatos, trazê-los à luz

Contra os milhões pagos para espalhar fake news

Eu vou eleger a caneta

Contra a ponta da baioneta

Eu vou eleger o professor

Contra o sentimento opressor

Eu vou eleger um tocador de violão

Contra quem faz metralhadora com as mãos

Eu vou eleger você, cidadão

E você? O que vai eleger nessa eleição?

O futuro do PSB no Piauí Judiciário parece acuado

Mais lidas desse blog