1. Blogs
  2. Paulo Fontenele
  3. Ação intempestiva
Publicidade

Ação intempestiva

A forma como o PP apresentou ao governador Wellington Dias (PP) a sugestão para o governo enxugar a máquina administrativa, extingüindo órgãos e com eles os cargos existentes, para iniciar o próximo mandato, foi intempestiva e equivocada. Não é errado, um aliado sugerir, como fez o PP, mudanças em governos. Porém, é preciso saber como fazê-lo para não ser mal interpretado, como aconteceu, porque a repercussão foi negativa devido a maneira controversa como foi recebida.

Wellington Dias e Ciro Nogueira (Foto: Portal AZ)

É óbvio que a decisão sobre um plano de reforma administrativa compete ao governador, já que ele é o chefe de governo. O que chama a atenção no documento que o PP encaminhou ao governador é o conteúdo crítico embutido liminarmente. Ao propor a redução da máquina, o PP enumerou os efeitos que a estrutura atual causa no orçamento aumentando os gastos e provoca descontrole fiscal. Mais ou menos isso, como se estivesse ensinando o governador a governar o estado.

Para evitar polêmica, o governador e integrantes do governo evitaram tecer críticas ao documento, exceto alguns casos isolados como o deputado eleito e ex-secretário de Administração Franzé Silva que limitou-se a dizer que “possui uma profundidade de temas mas é vazio de conteúdo”. Outras críticas, que partiram do ex-candidato ao governo, deputado Luciano Nunes, ataca o fato de o PP lembrar de apresentar o documento só agora. “Por que não fez isso antes da eleição?”, indagou.

Melhor seria a proposta do PP ter ficado somente no discurso que o senador Ciro Nogueira defendeu após a eleição. Que o estado está precisando diminuir o tamanho da máquina, extinguir cargos e devolver aos órgãos especializados e com atribuições específicas suas funções, isso está. O PP, contudo, escolheu a hora errada para fazer a proposição, já que o partido acabou caindo na armadilha de se apropriar de um discurso de oposição para fazer chegar ao governador a sugestão.

Mais estranho ainda foi que o presidente estadual do PP Júlio Arcoverde ouviu o discurso proferido pelo deputado oposicionista Gustavo Neiva (PSB) para analisar o documento e se manteve calado, como se aquilo não fosse com ele. Coube ao líder do governo Francisco Lima amenizar a polêmica em torno do assunto para colocar uma pedra sobre ele. Ora, sabe-se que a aliança do PP com o PT do Piauí se baseia apenas no lastro pragmático do partido do senador sem qualquer outra base.

É possível que a intenção do PP seja apenas um ensaio para jogar para a platéia e não ser associado às conseqüências que a máquina inchada está trazendo ao equilíbrio financeiro do estado e que se o governador vier a promover a reforma administrativa a idéia pertence ao partido. É de se imaginar que essa polêmica se dissipará nos próximos dias se não for alimentada como vai tentar fazer a oposição. Isso, porém, não isentará o PP de ter agido de uma forma tão intempestiva.

LUTO

O futebol do Piauí perdeu nesta quinta-feira (01) o presidente da Federação de Futebol (FPF) Cesarino Oliveira, aos 63 anos.

Cesarino Oliveira (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Tive uma convivência, de certo modo longa, com Cesarino, da infância à adolescência, na Vila Operária, freqüentando as ruas do bairro e quase as mesmas escolas.

A perda é de se lamentar já que Cesarino, há 7 anos, estava desenvolvendo um bom trabalho à frente da federação.

As condolências do blog à família.

MEDALHA ALBERTO SILVA

O governador Wellington Dias (PT) instituiu a Medalha do Mérito Centenário de Alberto Tavares e Silva, que no próximo dia 10 de novembro completaria 100 anos de vida.

No dia 8, o governo realizará no Palácio de Karnak uma cerimônia para homenagear a passagem dos 100 anos de nascimento de Alberto Silva.

Na ocasião, várias personalidades e profissionais de diversas áreas serão homenageadas com a medalha.

DE VOLTA À CASA

A senadora Regina Sousa (PT), que no próximo dia 1º de janeiro toma posse no cargo de vice-governadora do Piauí pode ocupar um cargo no primeiro escalão do governo.

Regina Sousa (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

O cargo para o qual a senadora está sendo cotada é o de secretária de Administração que foi ocupado nesta gestão pelo deputado eleito Franzé Silva.

Regina já desempenhou a mesma função nos dois mandatos anteriores do governador Wellington Dias e sua passagem foi muito elogiada pelos servidores públicos.

O futuro do PSB no Piauí Peso do voto é o que conta

Mais lidas desse blog