1. Blogs
  2. Ajuspi
  3. Ajuspi e CREA-PI atuam para identificar poluidores da barragem de Piracuruca
Publicidade

Ajuspi e CREA-PI atuam para identificar poluidores da barragem de Piracuruca

A Associação Jurídica e Social (Ajuspi) esteve presente mais uma vez na barragem de Piracuruca acompanhando inspeção, que tem como finalidade identificar que tipo de poluição está ocorrendo no local. 

O presidente Thiago Brandim e o Conselheiro Edson Araújo estiveram com integrantes do CREA-PI, Agespisa, Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Piracuruca fazendo o levantamento destas informações. 

"Após este trabalho inicial o CREA-PI já oficiara a Secretaria de Meio Ambiente do Estado e vai notificar os proprietários das gaiolas existentes na barragem para que forneçam informações quanto à legalidade do uso destes instrumentos para a criação de peixes. É mais um passo para identificar se há empresários responsáveis pela poluição no local e em existindo, que estas pessoas possam ser autuadas e responsabilizadas, findando a poluição e devolvendo as águas do rio em perfeito estado para consumo e lazer pelas famílias", destacou Thiago Brandim, presidente da Ajuspi.

Na oportunidade, o CONFEA fez uma matéria que repercutirá em âmbito nacional quanto a atuação em questão.

A Associação Jurídica e Social (Ajuspi) esteve presente mais uma vez na barragem de Piracuruca acompanhando inspeção, que tem como finalidade identificar que tipo de poluição está ocorrendo no local. 

O presidente Thiago Brandim e o Conselheiro Edson Araújo estiveram com integrantes do CREA-PI, Agespisa, Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Piracuruca fazendo o levantamento destas informações. 

"Após este trabalho inicial o CREA-PI já oficiara a Secretaria de Meio Ambiente do Estado e vai notificar os proprietários das gaiolas existentes na barragem para que forneçam informações quanto à legalidade do uso destes instrumentos para a criação de peixes. É mais um passo para identificar se há empresários responsáveis pela poluição no local e em existindo, que estas pessoas possam ser autuadas e responsabilizadas, findando a poluição e devolvendo as águas do rio em perfeito estado para consumo e lazer pelas famílias", destacou Thiago Brandim, presidente da Ajuspi.

Na oportunidade, o CONFEA fez uma matéria que repercutirá em âmbito nacional quanto a atuação em questão.

Assessoria jurídica é investimento importante para empresas, destacam advogados Nova lei de proteção de dados trará mais segurança e transparência para clientes

Mais lidas desse blog