1. Blogs
  2. Opinião
  3. A verdade que dói!!
Publicidade

A verdade que dói!!

Lula e Dilma admitiram 355% mais servidores públicos do que FHC. Somente em 2010, por exemplo, foram admitidos 36,6 mil novos funcionários públicos. Em 2001, último ano de gestão de Fernando Henrique, 660 pessoas ingressaram no governo federal por meio de concursos públicos.

– quando FHC assumiu havia 951.585 servidores e quando terminou os 08 anos de mandato este contingente era de 809.975, representando uma redução de 15%, o que confirma a tese de que reduziu postos de trabalho na Administração Pública;

– quando Lula assumiu havia os 809.975 servidores (deixados por FHC) e quando terminou os 08 anos de mandato este contingente era de 970.605, representando um aumento de 13%, o que confirma a tese de que ampliou os postos de trabalho na Administração Pública;

– quando Dilma assumiu havia os 970.605 servidores (deixados por Lula) e no final de 2013 este contingente era de 1.017.221, representando um aumento de 3%, o que significa que houve ampliação dos postos de trabalho na Administração Pública, porém em intensidade menor que Lula. 

QUANDO COMEÇOU O ÓDIO

As políticas afirmativas dos governos de Lula e Dilma deram resultados. O Censo 2010, por exemplo, trouxe uma surpresa. Pela primeira vez, brasileiras e brasileiros que se autodeclararam pardos e pretos apareceram como maioria: 50,7%. No censo anterior (ano 2000), a maioria da população brasileira (53,7%) se declarava branca.

Longe de um eventual aumento da taxa de natalidade, a explicação para o fenômeno está na elevação da autoestima da população negra, graças às políticas afirmativas iniciadas no Governo Lula e ampliadas por Dilma.

Entre 2003 e 2013, com Lula e Dilma, a renda da população preta e parda cresceu 51,4%. Enquanto a da população branca aumentou 27,8%, segundo o IBGE.

Mesmo assim, a renda dos negros ainda corresponde a apenas 57,4% da dos brancos – sinal de que as políticas afirmativas precisam avançar cada vez mais.

PAROU! ACABOU!

Para concluir, apenas um dado vexatório em 2019: Hoje, Bolsonaro cancelou todos os concursos. E deixa pais e mães que investiram nos filhos com as mãos na cabeça. Sem rumo! Dói, viu! Mas, não foi por falta de aviso, não!

Bolsonaro, enfim, implanta o terror nas famílias brasileiras que sonhavam - e continuam sonhando - com uma carreira digna e promissora para os filhos, netos, sobrinhos,... Que varam as madrugadas estudando para construir um futuro melhor.
 

Lula e Dilma admitiram 355% mais servidores públicos do que FHC. Somente em 2010, por exemplo, foram admitidos 36,6 mil novos funcionários públicos. Em 2001, último ano de gestão de Fernando Henrique, 660 pessoas ingressaram no governo federal por meio de concursos públicos.

– quando FHC assumiu havia 951.585 servidores e quando terminou os 08 anos de mandato este contingente era de 809.975, representando uma redução de 15%, o que confirma a tese de que reduziu postos de trabalho na Administração Pública;

– quando Lula assumiu havia os 809.975 servidores (deixados por FHC) e quando terminou os 08 anos de mandato este contingente era de 970.605, representando um aumento de 13%, o que confirma a tese de que ampliou os postos de trabalho na Administração Pública;

– quando Dilma assumiu havia os 970.605 servidores (deixados por Lula) e no final de 2013 este contingente era de 1.017.221, representando um aumento de 3%, o que significa que houve ampliação dos postos de trabalho na Administração Pública, porém em intensidade menor que Lula. 

QUANDO COMEÇOU O ÓDIO

As políticas afirmativas dos governos de Lula e Dilma deram resultados. O Censo 2010, por exemplo, trouxe uma surpresa. Pela primeira vez, brasileiras e brasileiros que se autodeclararam pardos e pretos apareceram como maioria: 50,7%. No censo anterior (ano 2000), a maioria da população brasileira (53,7%) se declarava branca.

Longe de um eventual aumento da taxa de natalidade, a explicação para o fenômeno está na elevação da autoestima da população negra, graças às políticas afirmativas iniciadas no Governo Lula e ampliadas por Dilma.

Entre 2003 e 2013, com Lula e Dilma, a renda da população preta e parda cresceu 51,4%. Enquanto a da população branca aumentou 27,8%, segundo o IBGE.

Mesmo assim, a renda dos negros ainda corresponde a apenas 57,4% da dos brancos – sinal de que as políticas afirmativas precisam avançar cada vez mais.

PAROU! ACABOU!

Para concluir, apenas um dado vexatório em 2019: Hoje, Bolsonaro cancelou todos os concursos. E deixa pais e mães que investiram nos filhos com as mãos na cabeça. Sem rumo! Dói, viu! Mas, não foi por falta de aviso, não!

Bolsonaro, enfim, implanta o terror nas famílias brasileiras que sonhavam - e continuam sonhando - com uma carreira digna e promissora para os filhos, netos, sobrinhos,... Que varam as madrugadas estudando para construir um futuro melhor.
 

Governo tosco, rude e indigente O mundo mudou ou ainda está mudando?

Mais lidas desse blog