1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. De metralhadora em punho
Publicidade

De metralhadora em punho

Quando pensamos que já assistimos a tudo o que possa existir em termos de esquisitices de um governo, como o de Wellinton Dias, os integrantes da administração pública estadual parecem ter um verdadeiro arsenal de novidades a apresentar aos pagadores de impostos deste Estado, que surpreendem até, os incrédulos de plantão.

A posse do secretário de Segurança Pública do Estado do Piauí, Deputado Fábio Abreu, realizada no Salão Nobre do Palácio de Karnak, na última sexta-feira, provocou uma cena patética, instantes em que o Deputado Federal Fábio Abreu empunhou uma submetralhadora, superando em termos de realismo, as simulações de porte de uma arma de fogo, feitas com as mãos durante a campanha eleitoral pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Deputado Fábio Abreu em posse com uma metralhadora nas mãos (Foto: reprodução/Facebook Fábio Abreu)

Fico imaginando como ficou a militância do Partido dos Trabalhadores, presente à solenidade, ferrenhos adversários que foram e serão de um presidente que prega a posse de armas de forma desbragada. 

É, realmente os tempos são outros, ou dito de outra forma, como a manutenção do poder, põe por terra todos os “princípios ideológicos” que os detentores da máquina administrativa estadual, ao longos dos anos tentaram incutir na patuleia, praticando uma desonestidade inaudita. 

É isso.

Quando pensamos que já assistimos a tudo o que possa existir em termos de esquisitices de um governo, como o de Wellinton Dias, os integrantes da administração pública estadual parecem ter um verdadeiro arsenal de novidades a apresentar aos pagadores de impostos deste Estado, que surpreendem até, os incrédulos de plantão.

A posse do secretário de Segurança Pública do Estado do Piauí, Deputado Fábio Abreu, realizada no Salão Nobre do Palácio de Karnak, na última sexta-feira, provocou uma cena patética, instantes em que o Deputado Federal Fábio Abreu empunhou uma submetralhadora, superando em termos de realismo, as simulações de porte de uma arma de fogo, feitas com as mãos durante a campanha eleitoral pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Deputado Fábio Abreu em posse com uma metralhadora nas mãos (Foto: reprodução/Facebook Fábio Abreu)

Fico imaginando como ficou a militância do Partido dos Trabalhadores, presente à solenidade, ferrenhos adversários que foram e serão de um presidente que prega a posse de armas de forma desbragada. 

É, realmente os tempos são outros, ou dito de outra forma, como a manutenção do poder, põe por terra todos os “princípios ideológicos” que os detentores da máquina administrativa estadual, ao longos dos anos tentaram incutir na patuleia, praticando uma desonestidade inaudita. 

É isso.

Daria uma crônica A banalização da corrupção

Mais lidas desse blog