Publicidade

É verdade

A jornalista Maríliz  Pereira Jorge, do Jornal Folha de São Paulo, na edição desta quinta-feira, faz uma percuciente análise, de como chegamos ao estágio atual da quadra nacional, tendo como pano de fundo , as práticas implementadas pelo Partido dos Trabalhadores ao longo dos últimos treze anos e meses, com o título: O PT não aprende, 'Elite está de saco cheio de ser tratada como facista.

Ei-lo .

Fernando  Haddad culpou o "facismo da elite" pelo aumento de sua rejeição. O PT não aprende. Não entende que o crescimento, e possível vitória, de um candidato raso de ideias e  grosso no autoritarismo não é porque a "elite", da qual a classe média faz parte, é racista. É porque ela está de saco cheio de ser tratada como tal e apontada como responsável por todos os males do país, enquanto o partido dele age como se não tivesse nada com isso.

Mariliz Pereira Jorge, afirma que existe uma diferença entre o eleitor-raiz de Bolsonaro e aquele que apenas votará nele num eventual segundo turno contra Haddad. No entanto, diz a articulista,  o que eles têm em comum é que a maioria cansou não apenas da roubalheira do PT, mas também de ser chamada de machista , racista, homofóbica. Está exausta  de ouvir que rico não tolera pobre em avião ou na Universidade ( há gente assim, mas uma parte ínfima  e risível da sociedade) .Cada vez que alguém diz que todo homem é um estuprador em potencial, que tem  nojo da elite, que Lula será solto, Bolsonaro fica mais perto da Presidência. 

Prossegue Mariliz,  veja o que ocorreu no fim de semana.
A manifestação orquestrada por um grupo de mulheres foi histórica e elas serão uma oposição barulhenta,  caso o deputado se eleja. Mas a expectativa de mostrar força e resistência saiu pela culatra, porque o #elenão sem Haddad no pacote desceu arranhando a goela como apoio  velado ao PT.  Protestar contra misoginia  não comove ninguém se a corrupção é tratada como mal menor.

Petistas, como diz Mariliz, não aprendem, simpatizantes do partido  também não. Artistas têm sido cobrados pela bajulação ao PT pela falta de autocrítica  e por omissão.  Não dá para gritar contra um candidato  que diz atrocidades  e se calar em relação  à um partido que mergulhou o país numa crise desse tamanho. Pau que bate em Chico deveria bater em Francisco.

É o PT precisa mudar o lado desse disco velho do "nós contra eles" , da elite X povo. Não cola mais.

Texto da  jornalista e roterista de TV, Mariliz Pereira Jorge, irretocável, dizemos nós. 

A credibilidade dos Institutos de Pesquisas Politicamente incorreto

Mais lidas desse blog


Publicidade