1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Pecado imperdoável
Publicidade

Pecado imperdoável

A aceitação do convite que o Capitão reformado- é assim que os jornalões o chamam -  e presidente eleito Jair Bolsonaro fez ao juiz federal Sérgio Moro, o indicando para o Ministério da Justiça,  está repercundo mais, do que todo o processo eleitoral recém findo.

Essa gritaria generalizada da parte dos perdedores da eleição, tem alguma pertinência,  acreditamos que não. 

Por qual motivo o juiz federal Sérgio Moro, estaria impedido de exercer uma função no executivo?

Aqui no vizinho Estado do Maranhão, um colega seu de magistratura Federal, ex-juiz federal Flávio Dino, pediu demissão, elegeu-se -se deputado federal,   e agora foi reeleito governador do vizinho Estado.

A operação Lava Jato, está prestes a completar cinco anos de atividades na décima quarta vara  da justiça Federal em Curitiba, sob o comando de Sérgio Moro, dando conhecimento à todo o Brasil e ao mundo inteiro, da maior corrupção da historia da humanidade, recebendo as denúncias do Ministério Público Federal ,  julgando e condenando todos aqueles que,  comprovadamente se enlameram nesse verdadeiro mar de corrupção. 

Não será surpresa para ninguém, se os partidos políticos derrotados no pleito presidencial , passarem   de forma desavergonhada quererem questionar , até mesmo  a validade das eleições, ao vociferarem Brasil afora, que a aceitação de Sérgio Moro para tornar-se Ministro da Justiça do governo do Capitão reformado Jair Bolsonaro, no fundo , no fundo, não passa de uma premiação à Sérgio Moro, por ter exorbitado de suas funções e condenado pessoas que quando exerceram funções públicas, só se preocuparam em melhorar as condições de vida de todos os brasileiros.

Não duvidem, quem vive em verá, 

É isso.

Bolsonaro e o Nordeste "Crime hediondo"

Mais lidas desse blog