1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. A arena rediviva
Publicidade

A arena rediviva

As legendas partidárias no Brasil nunca primaram pela coerência ideológica, ao longo dos tempos, todos sabemos. 

O partido político que conquista o poder tornar-se, em pouco tempo, um polo de atração do fisiologismo que campeia Brasil afora. 

No Estado do Piauí, um partido político a ARENA, criada após o golpe militar de 1964, foi mudando de nome ao longo dos anos, passando a ser denominada de PDS, depois PFL e agora Democratas.

Nessas últimas cinco décadas, aquele que foi o maior partido político do Ocidente, na definição do ex-governador e ex-senador pelo Estado de Minas Gerais , o piauiense de Angical Francelino Pereira, foi definhando ano após anos até tornar-se uma pequena legenda partidária. 

No Piauí, não sobrou nada: o partido foi proscrito, sendo a sede na praça do Fripisa, a única lembrança de que no Estado do Piauí, já existiu um partido sucedâneo da ARENA, PDS, PFL e agora DEMOCRATAS.

Como a vida vive a nos pregar peças de toda ordem, principalmente no mundo político, eis que o atual Democratas, com as eleições de Rodrigo Maia para presidente da Câmara dos Deputados e Davi Alcolumbre para presidente do Senado Federal, ambos filiados aos DEMOCRATAS, esse partido extinto no Estado do Piauí passa, a partir de hoje, a comandar as duas casas legislativas do País, isto é, o Congresso Nacional, e ainda conta com três fortes ministérios na esplanada em Brasília.

Aqui na província, por dever de justiça, temos que ressaltar a atitude destemida e corajosa do ex-deputado estadual, Robert Rios, que saindo da sua zona de conforto, qual seja, uma segura reeleição para deputado estadual, partiu para uma campanha para o Senado Federal em condição bastante desigual, já que, os seus adversários, verdadeiros potentados financeiros, lhe sufocaram com uma montanha de de dinheiro de origem certamente duvidosa , jogando por terra as suas pretensões de representar o Estado do Piauí.

Mas como diz um político local, o ex-deputado Heráclito Fortes, de que “fundo de poço de político tem mola”, eis que, Robert Rios como presidente do Diretório Estadual dos DEMOCRATAS, diante da nova configuração do quadro partidário brasileiro, volta ao proscênio como protagonista de destaque na cena política local. 

São os conhecidos revertérios a desfazer conceitos preestabelecidos precocemente. 

É isso. 

As legendas partidárias no Brasil nunca primaram pela coerência ideológica, ao longo dos tempos, todos sabemos. 

O partido político que conquista o poder tornar-se, em pouco tempo, um polo de atração do fisiologismo que campeia Brasil afora. 

No Estado do Piauí, um partido político a ARENA, criada após o golpe militar de 1964, foi mudando de nome ao longo dos anos, passando a ser denominada de PDS, depois PFL e agora Democratas.

Nessas últimas cinco décadas, aquele que foi o maior partido político do Ocidente, na definição do ex-governador e ex-senador pelo Estado de Minas Gerais , o piauiense de Angical Francelino Pereira, foi definhando ano após anos até tornar-se uma pequena legenda partidária. 

No Piauí, não sobrou nada: o partido foi proscrito, sendo a sede na praça do Fripisa, a única lembrança de que no Estado do Piauí, já existiu um partido sucedâneo da ARENA, PDS, PFL e agora DEMOCRATAS.

Como a vida vive a nos pregar peças de toda ordem, principalmente no mundo político, eis que o atual Democratas, com as eleições de Rodrigo Maia para presidente da Câmara dos Deputados e Davi Alcolumbre para presidente do Senado Federal, ambos filiados aos DEMOCRATAS, esse partido extinto no Estado do Piauí passa, a partir de hoje, a comandar as duas casas legislativas do País, isto é, o Congresso Nacional, e ainda conta com três fortes ministérios na esplanada em Brasília.

Aqui na província, por dever de justiça, temos que ressaltar a atitude destemida e corajosa do ex-deputado estadual, Robert Rios, que saindo da sua zona de conforto, qual seja, uma segura reeleição para deputado estadual, partiu para uma campanha para o Senado Federal em condição bastante desigual, já que, os seus adversários, verdadeiros potentados financeiros, lhe sufocaram com uma montanha de de dinheiro de origem certamente duvidosa , jogando por terra as suas pretensões de representar o Estado do Piauí.

Mas como diz um político local, o ex-deputado Heráclito Fortes, de que “fundo de poço de político tem mola”, eis que, Robert Rios como presidente do Diretório Estadual dos DEMOCRATAS, diante da nova configuração do quadro partidário brasileiro, volta ao proscênio como protagonista de destaque na cena política local. 

São os conhecidos revertérios a desfazer conceitos preestabelecidos precocemente. 

É isso. 

A laranja piauiense Ação entre amigos

Mais lidas desse blog