1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. A fiança milionária
Publicidade

A fiança milionária

O Portal AZ noticiou no dia de ontem que, após pagar uma fiança  arbitrada por um juiz federal da seção judiciária de Teresina  da ordem de R$ 1.800.000,00 ( hum milhão e oitocentos mil reais), um modesto servidor da Secretaria Estadual de Educação de nome Luís Carlos pagou a fiança e foi colocado em liberdade. 

Esse cidadão, Luís Carlos, estava na tranca acusado de ser o mentor de uma quadrilha de malfeitores que teria desviado, vejam só, de uma única rubrica da Educação estadual a astronômica quantia de R$ 120.000,000, 00 (cento e vinte milhões de reais) valores milionários que seriam destinados ao transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino estadual. 

O mais inacreditável nessa tramoia toda é que, após esse escândalo vir à tona, tentam impingir à população que toda essa fábula de dinheiro dos impostos dos contribuintes foi surrupiado ao longo dos anos, sem que os órgãos de controle internos da própria Secretaria de Educação não tenham levantado a mínima suspeita sobre os sinais exteriores de riqueza ostensivamente exibidos pelos envolvidos na roubalheira.  

Para dar um fecho a toda essa patranha, com um toque de desprezo pela inteligência da patuleia, o senhor governador do Estado Wellington Dias, disse a pleno pulmões em pronunciamento na Assembleia Legislativa na última segunda-feira, que esse desvio milionário de recursos dos pagadores de impostos, que seriam destinados ao transporte escolar, produziu uma única vítima, o Estado Estado do Piauí.

É ou não é, hilário?   

Em qua, 6 de fev de 2019 às 08:58, < [email protected]> escreveu: 
O Portal Az noticiou no dia de ontem que, após pagar uma fiança da ordem de R$ 1.800.000,00 ( hum milhão e oitocentos mil reais) um modesto servidor da Secretaria Estadual de Educação de nome Luís Carlos, pagou uma fiança arbitrada por um juiz federal da seção judiciária de Teresina e foi colocado em liberdade. 

Esse cidadão Luís Carlos, estava na tranca, acusado de ser o mentor de uma quadrilha de malfeitores que teria desviado , vejam só, de uma única rubrica da Educação Estadual a astronômica quantia de R$ 120.000,000, 00( cento e vinte milhões de reais) valores milionários que seriam destinados ao transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino Estadual.

O mais inacreditável nessa tramoia toda é que, após esse escândalo vir à tona, tentam impingir à população que toda essa fábula de dinheiro dos impostos dos contribuintes , foi surrupiado ao longo dos anos, sem que os órgãos de controle internos da própria Secretaria de Educação não tenham levantado a mínima suspeita sobre os sinais exteriores de riqueza ostensivamente exibidos pelos envolvidos na roubalheira. 

Para dar um fecho a toda essa patranha, com um toque de desprezo pela inteligência da patuleia, o senhor governador do Estado Wellington Dias, disse a pleno pulmões em pronunciamento na Assembleia Legislativa na última segunda-feira, que esse desvio milionário de recursos dos pagadores de impostos, que seriam destinados ao transporte escolar, produziu uma única vítima, o Estado Estado do Piauí.

É ou não é, hilário?

O Portal AZ noticiou no dia de ontem que, após pagar uma fiança  arbitrada por um juiz federal da seção judiciária de Teresina  da ordem de R$ 1.800.000,00 ( hum milhão e oitocentos mil reais), um modesto servidor da Secretaria Estadual de Educação de nome Luís Carlos pagou a fiança e foi colocado em liberdade. 

Esse cidadão, Luís Carlos, estava na tranca acusado de ser o mentor de uma quadrilha de malfeitores que teria desviado, vejam só, de uma única rubrica da Educação estadual a astronômica quantia de R$ 120.000,000, 00 (cento e vinte milhões de reais) valores milionários que seriam destinados ao transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino estadual. 

O mais inacreditável nessa tramoia toda é que, após esse escândalo vir à tona, tentam impingir à população que toda essa fábula de dinheiro dos impostos dos contribuintes foi surrupiado ao longo dos anos, sem que os órgãos de controle internos da própria Secretaria de Educação não tenham levantado a mínima suspeita sobre os sinais exteriores de riqueza ostensivamente exibidos pelos envolvidos na roubalheira.  

Para dar um fecho a toda essa patranha, com um toque de desprezo pela inteligência da patuleia, o senhor governador do Estado Wellington Dias, disse a pleno pulmões em pronunciamento na Assembleia Legislativa na última segunda-feira, que esse desvio milionário de recursos dos pagadores de impostos, que seriam destinados ao transporte escolar, produziu uma única vítima, o Estado Estado do Piauí.

É ou não é, hilário?   

Em qua, 6 de fev de 2019 às 08:58, < [email protected]> escreveu: 
O Portal Az noticiou no dia de ontem que, após pagar uma fiança da ordem de R$ 1.800.000,00 ( hum milhão e oitocentos mil reais) um modesto servidor da Secretaria Estadual de Educação de nome Luís Carlos, pagou uma fiança arbitrada por um juiz federal da seção judiciária de Teresina e foi colocado em liberdade. 

Esse cidadão Luís Carlos, estava na tranca, acusado de ser o mentor de uma quadrilha de malfeitores que teria desviado , vejam só, de uma única rubrica da Educação Estadual a astronômica quantia de R$ 120.000,000, 00( cento e vinte milhões de reais) valores milionários que seriam destinados ao transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino Estadual.

O mais inacreditável nessa tramoia toda é que, após esse escândalo vir à tona, tentam impingir à população que toda essa fábula de dinheiro dos impostos dos contribuintes , foi surrupiado ao longo dos anos, sem que os órgãos de controle internos da própria Secretaria de Educação não tenham levantado a mínima suspeita sobre os sinais exteriores de riqueza ostensivamente exibidos pelos envolvidos na roubalheira. 

Para dar um fecho a toda essa patranha, com um toque de desprezo pela inteligência da patuleia, o senhor governador do Estado Wellington Dias, disse a pleno pulmões em pronunciamento na Assembleia Legislativa na última segunda-feira, que esse desvio milionário de recursos dos pagadores de impostos, que seriam destinados ao transporte escolar, produziu uma única vítima, o Estado Estado do Piauí.

É ou não é, hilário?

A laranja piauiense A arena rediviva

Mais lidas desse blog