1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Todos são culpados
Publicidade

Todos são culpados

Antigamente, por mais que os pais tivessem patrimônio e, normalmente, esse patrimônio estava relacionado à produtividade rural, a renda nem sempre atendia as necessidades das famílias, que normalmente eram numerosas. Muitas delas, com mais de oito filhos que, por sua vez, buscavam alternativas para ter sua própria renda em atividades fora daquela já produzida pelos pais. Eram pequenos prestadores de serviços – quem viveu até início da década 80 sabe disso. E assim esses prestadores sempre supriam suas necessidades mínimas, com o pouco que ganhavam, seja vendendo ou prestando serviços. Mas, bem diferente da garotada dos últimos tempos, dos jovens de agora, aqueles tinham esperança de dias melhores, tinham perspectivas de melhoria de vida porque viam na educação a busca por uma profissão, apostando nos estudos, embora os pais fossem, em sua maioria, analfabetos. Hoje, lamentavelmente, a sociedade, o Estado e as famílias não despertam nos jovens o sonho de dias melhores. Infelizmente, surgem anomalias como essas da chacina da escola professor Raul Brasil, de Suzano, porque esses atos estão se tornando corriqueiros. O que se vê é a banalização de um novo viés de violência que deixa o Estado quase que refém, exatamente pela falta de política pública voltada para atender as necessidades futuras desses jovens. Querer hoje, artificializar as questões sociais e tentar incutir na opinião pública que esses desvios comportamentais são resultantes de jogos de vídeo games, de filmes violentos, é tentar fugir do debate tirando de si sua própria responsabilidade, enquanto gestor público. O Brasil precisa ser repensado sobretudo nessas questões de comportamento. Não é dormindo com uma arma engatilhada em sua cabeceira, permitir que o cidadão ande armado, que você vai se livrar da violência social. Casos como o da escola de Suzano, ou os das organizações criminosas, só serão resolvidos com políticas públicas de segurança, assistência social e, fundamentalmente, a educação. O resto é discurso vazio. Conversa de quem não quer resolver nada.   

Governador Ibaneis Rocha de olho no comando nacional do MDB (Foto: Divulgação)

Cartilha do Veim

Na reunião de lideres do governo no Congresso com o presidente Jair Bolsonaro, o senador Elmano Férrer, hoje cedo, entregou ao presidente a Cartilha do Ambulatório do Trabalhador. O programa foi implantado na sua gestão a frente da Prefeitura de Teresina.

Olho no laranjal 1

Ontem, o ministro Jorge Mussi, do TSE, votou pela cassação de seis vereadores de Valença do Piauí, em cujas coligações se vincularam a candidaturas fictícias de mulheres para atingir a cota feminina de 30 por cento, nas eleições de 2016.
Como se vê, não foi este ano, mas dois anos atrás que o Piauí deu o pontapé na produção de laranjal em campanha eleitoral.

Olho  no laranjal 2 

Então, a expectativa agora é que se vá descobrir novo laranjal na eleição do ano passado. Basta ver o grande número de mulheres – a começar por Regeneração – que receberam milhares de dinheiro do Fundão e não tiveram votos compatíveis.
A Polícia Federal deverá dar uma resposta para isso logo.

A vez dos deputados

Como o TSE começa a  cassar vereadores que se beneficiaram com o laranja municipal, é capaz de a mesma Justiça Eleitoral querer vincular deputados estaduais, federais ou até senador que com esse laranjal feminino de 2018.
Os bacanas que articularam essa fraude que se cuidem.

Codevasf

Avelino Neiva deixa a presidência da Codevasf. Com isso, o Piauí acaba de perder o cargo mais importante que a região Nordeste tinha no governo Bolsonaro. 
Avelino Neiva ocupava tal cargo desde o início do governo Michel Temer, indicação do então deputado federal Heráclito Fortes.

Ciro queria

Especulou-se semanas atrás que o senador Ciro Nogueira teria condicionado seu apoio à reforma da previdência social à manutenção de Avelino Neiva na Codevasf. Assim, Ciro ficaria mandando no pedaço. 
E, parece que não conseguiu. A não ser que nas negociações o PP fique com esse quinhão. E, ai, o indicado não deve ser mais Avelino Neiva.

La vem!

Os políticos corruptos denunciados na Lava Jato por recebimento de propina vão responder a inquérito na Justiça Eleitoral. 
O STF decidiu ontem que as investigações sobre corrupção ligadas ao Caixa 2 ficarão na Justiça Eleitoral.
No Piauí tem alguns na alça de mira.

O alvo

O senador Marcelo Castro (MDB) está sendo também investigado pelo recebimento de R$ 1 milhão para votar em Eduardo Cunha, como presidente da Câmara. 
Destinaram seu caso para o TRE por considerar que era caixa 2, crime de menor potencial.

Licença médica 

O deputado estadual Fábio Macêdo entrou com pedido de licença na Assembleia Legislativa do Maranhão. 
Certamente a alegação é para tratamento médico e, quem sabe, para tentar minimizar a vergonha que sofreu com o espetáculo que patrocinou no bar de baladas Bendito com o velho refrão: ‘eu sou rico/vai morrer gente/a gente mata gente/tu conhece o Dedé?’

Noitadas

Como Macêdo ficou famoso – não pela atuação parlamentar, mas pela ação de jagunço – os social mídia estão aguardando novas aparições dele na noitada teresinense.

Roupa suja

O ex-deputado e presidente do PSDB, Luciano Nunes, pediu aos tucanos Firmino Filho, prefeito de Teresina, e Marden Menezes, deputado estadual, que parem de trocar farpas em público.
Firmino andou acusando Marden de querer usar o partido como trampolim político e Marden acusa Firmino de esvaziar o PSDB.
Na avaliação de Luciano Nunes, “roupa suja se lava é em casa”.

Ibaneis no MDB

O governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha deve disputar a presidência nacional do MDB, tirando seu comando do ficha suja Romero Jucá. 
Para o deputado piauiense João Madison, que esteve anteontem, em Brasília, o partido está velho, a sigla precisa de renovação e Ibaneis representa o novo.

Reforma administrativa

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho (MDB), garantiu ontem que o projeto de reforma administrativa do governo do Estado será votado em plenário no máximo até o próximo dia 30.
Até lá, então, os deputados novatos já saberão que espaços terão no governo.

Ping-Pong 

O padre feliz

Padre Tony Batista completa 35 anos de ordenação sacerdotal e recebe  uma ligação telefônica do humorista João Cláudio Moreno. 

João Cláudio: “Padre Tony, amanhã estarei no Juazeiro rezando na missa de Padre Cícero. Vou rezar e agradecer a Deus pelos seus anos como padre".
Padre Tony: “Obrigado, meu filho. Diga ao padre Cícero que padre mais feliz do que eu só se for ele, mas mesmo assim ainda tenho minhas dúvidas”.

Publicada originalmente em 22 de fevereiro de 2010.

Expressas

O TCE-PI bloqueou contas de quinze prefeituras e sete câmaras no Piauí. O bloqueio foi aprovado por unanimidade e foi solicitado pelo procurador Leandro Maciel do Nascimento.

O Plenário do Senado aprovou o projeto de lei que endurece a cobrança sobre empregadores que praticam discriminação salarial entre homens e mulheres (PLS 88/2015).

Mais de 30 mil piauienses já podem sacar o Abono Salarial. O prazo final para o saque de todos aqueles que têm direito ao Abono 2017 é 28 de junho.

Antigamente, por mais que os pais tivessem patrimônio e, normalmente, esse patrimônio estava relacionado à produtividade rural, a renda nem sempre atendia as necessidades das famílias, que normalmente eram numerosas. Muitas delas, com mais de oito filhos que, por sua vez, buscavam alternativas para ter sua própria renda em atividades fora daquela já produzida pelos pais. Eram pequenos prestadores de serviços – quem viveu até início da década 80 sabe disso. E assim esses prestadores sempre supriam suas necessidades mínimas, com o pouco que ganhavam, seja vendendo ou prestando serviços. Mas, bem diferente da garotada dos últimos tempos, dos jovens de agora, aqueles tinham esperança de dias melhores, tinham perspectivas de melhoria de vida porque viam na educação a busca por uma profissão, apostando nos estudos, embora os pais fossem, em sua maioria, analfabetos. Hoje, lamentavelmente, a sociedade, o Estado e as famílias não despertam nos jovens o sonho de dias melhores. Infelizmente, surgem anomalias como essas da chacina da escola professor Raul Brasil, de Suzano, porque esses atos estão se tornando corriqueiros. O que se vê é a banalização de um novo viés de violência que deixa o Estado quase que refém, exatamente pela falta de política pública voltada para atender as necessidades futuras desses jovens. Querer hoje, artificializar as questões sociais e tentar incutir na opinião pública que esses desvios comportamentais são resultantes de jogos de vídeo games, de filmes violentos, é tentar fugir do debate tirando de si sua própria responsabilidade, enquanto gestor público. O Brasil precisa ser repensado sobretudo nessas questões de comportamento. Não é dormindo com uma arma engatilhada em sua cabeceira, permitir que o cidadão ande armado, que você vai se livrar da violência social. Casos como o da escola de Suzano, ou os das organizações criminosas, só serão resolvidos com políticas públicas de segurança, assistência social e, fundamentalmente, a educação. O resto é discurso vazio. Conversa de quem não quer resolver nada.   

Governador Ibaneis Rocha de olho no comando nacional do MDB (Foto: Divulgação)

Cartilha do Veim

Na reunião de lideres do governo no Congresso com o presidente Jair Bolsonaro, o senador Elmano Férrer, hoje cedo, entregou ao presidente a Cartilha do Ambulatório do Trabalhador. O programa foi implantado na sua gestão a frente da Prefeitura de Teresina.

Olho no laranjal 1

Ontem, o ministro Jorge Mussi, do TSE, votou pela cassação de seis vereadores de Valença do Piauí, em cujas coligações se vincularam a candidaturas fictícias de mulheres para atingir a cota feminina de 30 por cento, nas eleições de 2016.
Como se vê, não foi este ano, mas dois anos atrás que o Piauí deu o pontapé na produção de laranjal em campanha eleitoral.

Olho  no laranjal 2 

Então, a expectativa agora é que se vá descobrir novo laranjal na eleição do ano passado. Basta ver o grande número de mulheres – a começar por Regeneração – que receberam milhares de dinheiro do Fundão e não tiveram votos compatíveis.
A Polícia Federal deverá dar uma resposta para isso logo.

A vez dos deputados

Como o TSE começa a  cassar vereadores que se beneficiaram com o laranja municipal, é capaz de a mesma Justiça Eleitoral querer vincular deputados estaduais, federais ou até senador que com esse laranjal feminino de 2018.
Os bacanas que articularam essa fraude que se cuidem.

Codevasf

Avelino Neiva deixa a presidência da Codevasf. Com isso, o Piauí acaba de perder o cargo mais importante que a região Nordeste tinha no governo Bolsonaro. 
Avelino Neiva ocupava tal cargo desde o início do governo Michel Temer, indicação do então deputado federal Heráclito Fortes.

Ciro queria

Especulou-se semanas atrás que o senador Ciro Nogueira teria condicionado seu apoio à reforma da previdência social à manutenção de Avelino Neiva na Codevasf. Assim, Ciro ficaria mandando no pedaço. 
E, parece que não conseguiu. A não ser que nas negociações o PP fique com esse quinhão. E, ai, o indicado não deve ser mais Avelino Neiva.

La vem!

Os políticos corruptos denunciados na Lava Jato por recebimento de propina vão responder a inquérito na Justiça Eleitoral. 
O STF decidiu ontem que as investigações sobre corrupção ligadas ao Caixa 2 ficarão na Justiça Eleitoral.
No Piauí tem alguns na alça de mira.

O alvo

O senador Marcelo Castro (MDB) está sendo também investigado pelo recebimento de R$ 1 milhão para votar em Eduardo Cunha, como presidente da Câmara. 
Destinaram seu caso para o TRE por considerar que era caixa 2, crime de menor potencial.

Licença médica 

O deputado estadual Fábio Macêdo entrou com pedido de licença na Assembleia Legislativa do Maranhão. 
Certamente a alegação é para tratamento médico e, quem sabe, para tentar minimizar a vergonha que sofreu com o espetáculo que patrocinou no bar de baladas Bendito com o velho refrão: ‘eu sou rico/vai morrer gente/a gente mata gente/tu conhece o Dedé?’

Noitadas

Como Macêdo ficou famoso – não pela atuação parlamentar, mas pela ação de jagunço – os social mídia estão aguardando novas aparições dele na noitada teresinense.

Roupa suja

O ex-deputado e presidente do PSDB, Luciano Nunes, pediu aos tucanos Firmino Filho, prefeito de Teresina, e Marden Menezes, deputado estadual, que parem de trocar farpas em público.
Firmino andou acusando Marden de querer usar o partido como trampolim político e Marden acusa Firmino de esvaziar o PSDB.
Na avaliação de Luciano Nunes, “roupa suja se lava é em casa”.

Ibaneis no MDB

O governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha deve disputar a presidência nacional do MDB, tirando seu comando do ficha suja Romero Jucá. 
Para o deputado piauiense João Madison, que esteve anteontem, em Brasília, o partido está velho, a sigla precisa de renovação e Ibaneis representa o novo.

Reforma administrativa

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho (MDB), garantiu ontem que o projeto de reforma administrativa do governo do Estado será votado em plenário no máximo até o próximo dia 30.
Até lá, então, os deputados novatos já saberão que espaços terão no governo.

Ping-Pong 

O padre feliz

Padre Tony Batista completa 35 anos de ordenação sacerdotal e recebe  uma ligação telefônica do humorista João Cláudio Moreno. 

João Cláudio: “Padre Tony, amanhã estarei no Juazeiro rezando na missa de Padre Cícero. Vou rezar e agradecer a Deus pelos seus anos como padre".
Padre Tony: “Obrigado, meu filho. Diga ao padre Cícero que padre mais feliz do que eu só se for ele, mas mesmo assim ainda tenho minhas dúvidas”.

Publicada originalmente em 22 de fevereiro de 2010.

Expressas

O TCE-PI bloqueou contas de quinze prefeituras e sete câmaras no Piauí. O bloqueio foi aprovado por unanimidade e foi solicitado pelo procurador Leandro Maciel do Nascimento.

O Plenário do Senado aprovou o projeto de lei que endurece a cobrança sobre empregadores que praticam discriminação salarial entre homens e mulheres (PLS 88/2015).

Mais de 30 mil piauienses já podem sacar o Abono Salarial. O prazo final para o saque de todos aqueles que têm direito ao Abono 2017 é 28 de junho.

A negação do discurso O atraso é geral

Mais lidas desse blog