1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. A polícia das águas
Publicidade

A polícia das águas

A Polícia Civil do Piauí, que já atua em casos de furtos de energia, inclusive com prisões de suspeitos feitas mediante uma publicização que não encontra paralelos no país, vai agora também estender essa atuação à concessionária dos serviços de água e saneamento na cidade de Teresina. Convênio neste sentido foi celebrado entre a Polícia Civil e Águas de Teresina. Pelo que foi acordado, as convenentes passam a agir conjuntamente no “combate à utilização clandestina de água e a consequente evasão fiscal, bem como a proteção e a segurança da sociedade, relativamente às condutas que envolvem o uso irregular de água, tipificadas pela legislação criminal em vigor (art.155 e 171 do código penal, por exemplo), por tratar-se de crimes de ação pública incondicionada que reclamam do Estado o desenvolvimento de constante atividade repressiva”. A Águas de Teresina vai identificar os desvios, informar ao Greco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado), que atuará para até prender em flagrante quem for pego desviando água através dos chamados “jacarés”. Mensalmente, a Águas de Teresina repassará R$ 10 mil para as despesas necessárias à execução do convênio. Também vai a concessionária de serviços de saneamento fornecer microcomputador, impressora, fotocopiadora laser, papel, toner, telefone celular e combustível à equipe responsável pela apuração dos crimes praticados. Ou seja, vai ter uma espécie de “personal polícia” à disposição de uma empresa privada por um preço bastante módico.

Agentes da PF na Seduc (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Olha o fogo!

Funcionários da Secretaria de Educação estão em pânico. Primeiro, pela operação Topique, que descobriu patifaria no transporte escolar. Anteontem, a operação Boca Livre revelou mais um escândalo, da merenda escolar. 
Agora, temem quando a investigação for no setor de combustíveis. E aí a coisa vai pegar fogo.
E não há bombeiro que apague.

Veneno

O perigo da cobra é quando ela passa a morder o seu próprio rabo. 
Fiscais da Receita Federal dispõem, certamente, de vídeos, fotos, documentos, que exibem os exagerados sinais exteriores de riqueza de muitos agentes públicos. 
Principalmente do secretário de Estado que, ganhando salário de menos de R$ 10 mil (brutos), leva vida de milionário.

Secretário diz que Land Rover usado pela mulher para levar crianças para escola é do irmão dele

Lá vem!

Essa história da Land Rover dará dor de cabeça em muita gente, porque puxa outros fatos de agentes públicos usando carros cujos valores os salários não podem pagar.
Porque se tornou prática corriqueira qualquer agente público, mesmo com o miserável salário (oficial) que ganha, ostentar riqueza, despudoradamente, como achando que jamais pode ser alcançado pela lei.

Ilicitude

Pior são os parentes desses agentes públicos. Que terminam sendo deseducados na ilicitude. Se os pais ou irmãos fazem, eles acham que é o certo e se descaminham achando que quem está errado é quem os denuncia.
Tem família no Piauí que já está na terceira geração dos malfazejos e age como se isso fosse natural.

O retorno

Como diria Lula (se lhe perguntassem) nunca, antes, nas gestões de Wellington Dias, seu governo sofreu tanta investigação como agora. 
Até parece que ele colhe o que plantou ou os secretários plantaram nas administrações anteriores. 
Tá vindo mais coisa feia por aí.

Major Elizete (Foto: reprodução Facebook)

Redefinição

A major Elizete Lima Silva, que teve 25,8 mil votos como candidata a deputada federal, vai agora tentar ser vereadora de Teresina. O nome dela integra uma lista de nomes que começam a ser trabalhados para 2020.

Recurso

A empresa de tecnologia da informação do município, Prodater, desenvolveu um aplicativo em que o motorista de Teresina poderá recorrer às infrações que julgar injustas, apresentando o recurso sem precisar se deslocar até a sede da Strans, onde funciona a Jari, divisão responsável por receber recurso contra multas.

Vantagem

Uma vez que uma das certezas na vida é a de que ninguém terá acolhido um recurso contra uma multa na Strans, o aplicativo ao menos evitará o gasto de tempo e combustível no deslocamento do motorista até a Strans.

Franzé Silva quer investigação sobre grupos de extermínio em Piripiri (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Investigação

A suspeita levantada de que pode haver em Piripiri um grupo de extermínio levou o deputado estadual Franzé Silva (PT) a pedir que seja criada uma força tarefa para investigar o caso. 
Informes não oficiais contabilizam, somente 20 homicídios até hoje não esclarecidos. 

Não é bem assim

Embora não conteste diretamente o número de homicídios não esclarecidos em Piripiri, o deputado Coronel Carlos Augusto (PR), em resposta ao colega do PT, diz que neste ano somente teria havido um homicídio em Piripiri, de um homem conhecido como Nilton e que já foi preso várias vezes devido a porte ilegal de armas e roubo de animais. 

Força tarefa

É preciso esclarecer aos dois deputados que esses homicídios ocorreram de três anos para cá. 
Como a coluna sugeriu, a força tarefa não pode ter policial baseado no município. 

“Pejotização”

O PT e seu braço sindical, a CUT, queixam-se sempre da “pejotização”, que consiste em contratar pessoa jurídica para prestação de serviço como pessoa jurídica. Pois não é que agora, sob o olhar complacente de um governo petista, o Hospital Regional de Campo Maior contratou dois médicos via suas respectivas pessoas jurídicas?

Desídia

Um oficial de Justiça do TJPI conhecido como Carneirinho foi exonerado após exaustivas tentativas dos colegas, de magistrados e finalmente da Corregedoria de Justiça, para que ele deixasse de lado a preguiça infinita. O dito cujo chegou a deixar de entregar 400 notificações. 
Acaba não, mundão! 

Ping-Pong

Horário do trem

Seu Expedito, comerciante de Caxias (MA), tentava tirar carteira de habilitação no início da década de 80. O examinador do Detran tenta reprová-lo. Chegando numa longa avenida com uma linha férrea no meio do percurso, o examinador manda seguir em frente. 

Examinador: “Pode desenvolver velocidade...”
Seu Expedito: “Na hora...”
O examinador: (ao puxar o freio de mão da Brasília em cima dos trilhos): “Mestre, o trem nos pega!”.
Seu Expedito: “Deixa de ser besta, rapaz. Tu acha que há mais de 20 anos morando em Caxias eu não sei o horário de trem?!”

Publicado originalmente em 15 de abril de 2014. 

Expressas

A Escola de Música Dona Gal foi incluída na lista de organizações não-governamentais que podem recebe ajuda oficial neste ano.

A TV Clube deve incluir em breve entre suas atividades a venda de sinal de internet.

A popularidade de Bolsonaro pode cair na medida em que ele não vai entregando o que as pessoas acham que ele prometeu, pois não tendo feito campanha, não prometeu nada.

A Polícia Civil do Piauí, que já atua em casos de furtos de energia, inclusive com prisões de suspeitos feitas mediante uma publicização que não encontra paralelos no país, vai agora também estender essa atuação à concessionária dos serviços de água e saneamento na cidade de Teresina. Convênio neste sentido foi celebrado entre a Polícia Civil e Águas de Teresina. Pelo que foi acordado, as convenentes passam a agir conjuntamente no “combate à utilização clandestina de água e a consequente evasão fiscal, bem como a proteção e a segurança da sociedade, relativamente às condutas que envolvem o uso irregular de água, tipificadas pela legislação criminal em vigor (art.155 e 171 do código penal, por exemplo), por tratar-se de crimes de ação pública incondicionada que reclamam do Estado o desenvolvimento de constante atividade repressiva”. A Águas de Teresina vai identificar os desvios, informar ao Greco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado), que atuará para até prender em flagrante quem for pego desviando água através dos chamados “jacarés”. Mensalmente, a Águas de Teresina repassará R$ 10 mil para as despesas necessárias à execução do convênio. Também vai a concessionária de serviços de saneamento fornecer microcomputador, impressora, fotocopiadora laser, papel, toner, telefone celular e combustível à equipe responsável pela apuração dos crimes praticados. Ou seja, vai ter uma espécie de “personal polícia” à disposição de uma empresa privada por um preço bastante módico.

Agentes da PF na Seduc (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Olha o fogo!

Funcionários da Secretaria de Educação estão em pânico. Primeiro, pela operação Topique, que descobriu patifaria no transporte escolar. Anteontem, a operação Boca Livre revelou mais um escândalo, da merenda escolar. 
Agora, temem quando a investigação for no setor de combustíveis. E aí a coisa vai pegar fogo.
E não há bombeiro que apague.

Veneno

O perigo da cobra é quando ela passa a morder o seu próprio rabo. 
Fiscais da Receita Federal dispõem, certamente, de vídeos, fotos, documentos, que exibem os exagerados sinais exteriores de riqueza de muitos agentes públicos. 
Principalmente do secretário de Estado que, ganhando salário de menos de R$ 10 mil (brutos), leva vida de milionário.

Secretário diz que Land Rover usado pela mulher para levar crianças para escola é do irmão dele

Lá vem!

Essa história da Land Rover dará dor de cabeça em muita gente, porque puxa outros fatos de agentes públicos usando carros cujos valores os salários não podem pagar.
Porque se tornou prática corriqueira qualquer agente público, mesmo com o miserável salário (oficial) que ganha, ostentar riqueza, despudoradamente, como achando que jamais pode ser alcançado pela lei.

Ilicitude

Pior são os parentes desses agentes públicos. Que terminam sendo deseducados na ilicitude. Se os pais ou irmãos fazem, eles acham que é o certo e se descaminham achando que quem está errado é quem os denuncia.
Tem família no Piauí que já está na terceira geração dos malfazejos e age como se isso fosse natural.

O retorno

Como diria Lula (se lhe perguntassem) nunca, antes, nas gestões de Wellington Dias, seu governo sofreu tanta investigação como agora. 
Até parece que ele colhe o que plantou ou os secretários plantaram nas administrações anteriores. 
Tá vindo mais coisa feia por aí.

Major Elizete (Foto: reprodução Facebook)

Redefinição

A major Elizete Lima Silva, que teve 25,8 mil votos como candidata a deputada federal, vai agora tentar ser vereadora de Teresina. O nome dela integra uma lista de nomes que começam a ser trabalhados para 2020.

Recurso

A empresa de tecnologia da informação do município, Prodater, desenvolveu um aplicativo em que o motorista de Teresina poderá recorrer às infrações que julgar injustas, apresentando o recurso sem precisar se deslocar até a sede da Strans, onde funciona a Jari, divisão responsável por receber recurso contra multas.

Vantagem

Uma vez que uma das certezas na vida é a de que ninguém terá acolhido um recurso contra uma multa na Strans, o aplicativo ao menos evitará o gasto de tempo e combustível no deslocamento do motorista até a Strans.

Franzé Silva quer investigação sobre grupos de extermínio em Piripiri (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Investigação

A suspeita levantada de que pode haver em Piripiri um grupo de extermínio levou o deputado estadual Franzé Silva (PT) a pedir que seja criada uma força tarefa para investigar o caso. 
Informes não oficiais contabilizam, somente 20 homicídios até hoje não esclarecidos. 

Não é bem assim

Embora não conteste diretamente o número de homicídios não esclarecidos em Piripiri, o deputado Coronel Carlos Augusto (PR), em resposta ao colega do PT, diz que neste ano somente teria havido um homicídio em Piripiri, de um homem conhecido como Nilton e que já foi preso várias vezes devido a porte ilegal de armas e roubo de animais. 

Força tarefa

É preciso esclarecer aos dois deputados que esses homicídios ocorreram de três anos para cá. 
Como a coluna sugeriu, a força tarefa não pode ter policial baseado no município. 

“Pejotização”

O PT e seu braço sindical, a CUT, queixam-se sempre da “pejotização”, que consiste em contratar pessoa jurídica para prestação de serviço como pessoa jurídica. Pois não é que agora, sob o olhar complacente de um governo petista, o Hospital Regional de Campo Maior contratou dois médicos via suas respectivas pessoas jurídicas?

Desídia

Um oficial de Justiça do TJPI conhecido como Carneirinho foi exonerado após exaustivas tentativas dos colegas, de magistrados e finalmente da Corregedoria de Justiça, para que ele deixasse de lado a preguiça infinita. O dito cujo chegou a deixar de entregar 400 notificações. 
Acaba não, mundão! 

Ping-Pong

Horário do trem

Seu Expedito, comerciante de Caxias (MA), tentava tirar carteira de habilitação no início da década de 80. O examinador do Detran tenta reprová-lo. Chegando numa longa avenida com uma linha férrea no meio do percurso, o examinador manda seguir em frente. 

Examinador: “Pode desenvolver velocidade...”
Seu Expedito: “Na hora...”
O examinador: (ao puxar o freio de mão da Brasília em cima dos trilhos): “Mestre, o trem nos pega!”.
Seu Expedito: “Deixa de ser besta, rapaz. Tu acha que há mais de 20 anos morando em Caxias eu não sei o horário de trem?!”

Publicado originalmente em 15 de abril de 2014. 

Expressas

A Escola de Música Dona Gal foi incluída na lista de organizações não-governamentais que podem recebe ajuda oficial neste ano.

A TV Clube deve incluir em breve entre suas atividades a venda de sinal de internet.

A popularidade de Bolsonaro pode cair na medida em que ele não vai entregando o que as pessoas acham que ele prometeu, pois não tendo feito campanha, não prometeu nada.

De olho no Finisa O fator de risco

Mais lidas desse blog