1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. A emenda é pior que o soneto
Publicidade

A emenda é pior que o soneto

Desde as prisões determinadas pela Lava Jato de figuras importantes da República, no campo político e econômico, os corruptos procuraram táticas das mais variadas para blindar seus patrimônios. Com o tempo, os investigadores da operação acabaram detectando várias formas jurídicas para camuflar bens e evitar o confisco pela Lava Jato e por outras operações policiais e judiciais que combatem as associações e organizações criminosas no país. Além da sucessão operacional de empresas e alienação e hipoteca de bens, com transferências para familiares e "laranjas", uma das práticas mais comuns usadas pelos investigados é ocultar patrimônio pela separação de bens, através do divórcio, transferindo-os para o cônjuge com o "nome limpo" ou "imune" a eventual bloqueio judicial. Há casos, por exemplo, que o corrupto aparece como separado ou divorciado com os bens em nome da suposta "ex-esposa" e continuando o casal posando na imprensa e nas redes sociais como "pombinhos" jurando amor eterno. Os investigadores já sabem que por trás dessa farsa existe uma fraude desavergonhada. E, pior, outro crime: o de estelionato. Contudo, a manobra fraudulenta da separação de bens ou do divórcio é, hoje, considerada frágil para os investigadores. Que poderá prejudicar ao invés de ajudar o criminoso contra o qual fica fácil se lhe imputar mais um crime, o de prática de fraude processual na investigação. A intenção, claro, é camuflar o patrimônio para não pagar pelos crimes praticados contra o erário pela perda dos bens. De fato, essa gente é capaz de tudo, até para se autoflagelar social e familiarmente. Acaba não, mundão!

Secretário de Fazenda do Piauí Rafael Fonteles foi eleito presidente do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal)

Pratos limpos

As coisas têm é pesado pras bandas do senador Ciro Nogueira. Não bastassem os inqueritos da Lava Jato, agora é dentro de casa. Ele e Iracema estão anunciando que já não dividem o mesmo copo, no banheiro, para colocar suas escovas de dente. 
Estão separados, de marido e mulher, mas avisam que seguem parceiros na política. Não se sabe, até quando.

A causa

Uma paulista, linda e poderosa assessora de ministro do Supremo seria apontada como pivô de uma separação de notáveis da política piauiense. 
E, especula-se que ela tem até influenciado nas procrastinações de julgamento de processos que têm tudo a ver com o ‘conge’, como diria Sérgio Moro.

Será?

Como tem gente que se apressa em querer decifrar as coisas, já há quem diga que a separação de Ciro e Iracema visa salvar a metade do patrimônio que, num acordo, ficaria resguardado com a ex-mulher.
Isso numa eventual ação policial contra ele.

Alô, corregedor!

Algumas pessoas tem procurado este jornalista para denunciarem a lerdeza de juízes, principalmente da área criminal, de família, nos despachos de processos. Há casos que envolvem medidas cautelares, protetivas e até de alimentos que mofam meses, anos, nas prateleiras e as juízes da área nada decidem. 
E fica por isso mesmo. 

Bancos nervosos

Tem deixado os grandes bancos muito nervosos um conflito processual provocado pelo juiz de uma cidade do sul do Estado. O magistrado estaria criando diversos empecilhos ao cumprimento de execuções vindas de São Paulo, ajuizadas contra um devedor que produz na região dos cerrados.

Devedor contumaz

O que se comenta na região sul do Piauí é que esse tal produtor é conhecido por ser devedor contumaz, especialmente de bancos, mas que tem tido algum tipo de benevolência por parte de alguns péssimos servidores que não fazem jus à história republicana do Judiciário.

Corregedoria e CNJ

Já há processo instalado na Corregedoria do TJ-PI. Pior que não é surpresa de ninguém, já há outras reclamações anteriores contra o mesmo magistrado, ainda não punido pelo menos com a aposentadoria compulsória.
Não tarda e em breve essa situação entra no radar do CNJ.

Olha o Abraão!!!

Sabe quem é um dos presos na operação da polícia federal em Parnaíba, anteontem?
Se o leitor disse Abraão Viana Filho, acertou. E, para quem não sabe, Abraão é aquele que passou anos foragido da polícia como membro da gang de Correia Lima, nos anos 90 e, apesar de condenado, passou muito tempo ainda no emprego na Secretaria de Fazenda do Piauí.

Fiscal de araque

Pois, sem ser mais funcionário da Fazenda, na casa de Abraão a Polícia Federal encontrou vários blocos de autuação agindo como se fiscal fosse. O patrimônio do Abraão é de fazer inveja a qualquer milionário. 
Acaba não, mundão!

Contas abertas

O TCE parou em dois a zero, contra, o julgamento das contas de Rejane Dias como secretária de Educação, relativo ao exercício financeiro de 2016.
O relator é o conselheiro Luciano Nunes.

A missão

Tentar mudar esse placar parece ser tarefa do novo secretário de Governo Osmar Jr. 
Mas do outro lado está a Rede de Controle querendo mostrar que na Topique deve aparecer mais coisas feias. 
E aí fica a dúvida: os conselheiros vão ouvir o secretário ou a Rede de Controle?

Promoção

Parece que as promoções na Secretaria de Justiça do Piauí são resultados dos escândalos que envolvem dirigentes e seus servidores. 
Especulou-se que Wellington Dias manterá Daniel Oliveira no cargo de secretário. Na sua cota, of course.

Mais um 

Nem bem esfriou o escândalo do ‘cabaré da Tia Custódia’, onde um preso teria pago R$ 15 mil para ter visita íntima, a polícia investiga a causa da morte do preso José Nestor Alves da Silva, paciente do hospital psiquiátrico da penitenciária Major Cesar, que foi levado pelo agente penitenciário Humberto Lustosa, para fazer capina em sua chácara. 
Fica vermelha, cara sem-vergonha.

Ping-Pong

Conversa de mão de onça

Ontem, em seu aniversário, o jornalista Zózimo Tavares recebeu um zap de seu ex-patrão, Danilo Damásio, tido como o mais muquirana das pessoas.

Danilo Damásio: “Estou livre depois das 18:00. Que horas é lá?”
Zózimo: “Já foi. A festa foi um cuscuz com ovo hoje cedo”.
Danilo: “Miserávi! É bom que eu não gasto com presente. Mas segue o meu desejo que Deus seja seu companheiro! Feliz aniversário!”
Zózimo: “Obrigado! E outra: no Grupo R. Damasio, aprendi só a primeira parte: não gastar. Quando ia aprender a segunda parte, como ganhar, me tiraram”.

Expressas

A Secretaria de  Educação informa que o serviço transporte escolar da Unidade Escolar Pequena Rubim, no bairro Mocambinho, já foi regularizado.

Os eleitores que não votaram e nem justificaram a ausência às urnas nas últimas três eleições têm até o próximo dia 6 de maio para regularizar a situação.

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel) realiza nesse domingo (07), o Dia Mundial da Saúde. O evento será realizado das 16h às 22h, na Ponte Estaiada.

Desde as prisões determinadas pela Lava Jato de figuras importantes da República, no campo político e econômico, os corruptos procuraram táticas das mais variadas para blindar seus patrimônios. Com o tempo, os investigadores da operação acabaram detectando várias formas jurídicas para camuflar bens e evitar o confisco pela Lava Jato e por outras operações policiais e judiciais que combatem as associações e organizações criminosas no país. Além da sucessão operacional de empresas e alienação e hipoteca de bens, com transferências para familiares e "laranjas", uma das práticas mais comuns usadas pelos investigados é ocultar patrimônio pela separação de bens, através do divórcio, transferindo-os para o cônjuge com o "nome limpo" ou "imune" a eventual bloqueio judicial. Há casos, por exemplo, que o corrupto aparece como separado ou divorciado com os bens em nome da suposta "ex-esposa" e continuando o casal posando na imprensa e nas redes sociais como "pombinhos" jurando amor eterno. Os investigadores já sabem que por trás dessa farsa existe uma fraude desavergonhada. E, pior, outro crime: o de estelionato. Contudo, a manobra fraudulenta da separação de bens ou do divórcio é, hoje, considerada frágil para os investigadores. Que poderá prejudicar ao invés de ajudar o criminoso contra o qual fica fácil se lhe imputar mais um crime, o de prática de fraude processual na investigação. A intenção, claro, é camuflar o patrimônio para não pagar pelos crimes praticados contra o erário pela perda dos bens. De fato, essa gente é capaz de tudo, até para se autoflagelar social e familiarmente. Acaba não, mundão!

Secretário de Fazenda do Piauí Rafael Fonteles foi eleito presidente do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal)

Pratos limpos

As coisas têm é pesado pras bandas do senador Ciro Nogueira. Não bastassem os inqueritos da Lava Jato, agora é dentro de casa. Ele e Iracema estão anunciando que já não dividem o mesmo copo, no banheiro, para colocar suas escovas de dente. 
Estão separados, de marido e mulher, mas avisam que seguem parceiros na política. Não se sabe, até quando.

A causa

Uma paulista, linda e poderosa assessora de ministro do Supremo seria apontada como pivô de uma separação de notáveis da política piauiense. 
E, especula-se que ela tem até influenciado nas procrastinações de julgamento de processos que têm tudo a ver com o ‘conge’, como diria Sérgio Moro.

Será?

Como tem gente que se apressa em querer decifrar as coisas, já há quem diga que a separação de Ciro e Iracema visa salvar a metade do patrimônio que, num acordo, ficaria resguardado com a ex-mulher.
Isso numa eventual ação policial contra ele.

Alô, corregedor!

Algumas pessoas tem procurado este jornalista para denunciarem a lerdeza de juízes, principalmente da área criminal, de família, nos despachos de processos. Há casos que envolvem medidas cautelares, protetivas e até de alimentos que mofam meses, anos, nas prateleiras e as juízes da área nada decidem. 
E fica por isso mesmo. 

Bancos nervosos

Tem deixado os grandes bancos muito nervosos um conflito processual provocado pelo juiz de uma cidade do sul do Estado. O magistrado estaria criando diversos empecilhos ao cumprimento de execuções vindas de São Paulo, ajuizadas contra um devedor que produz na região dos cerrados.

Devedor contumaz

O que se comenta na região sul do Piauí é que esse tal produtor é conhecido por ser devedor contumaz, especialmente de bancos, mas que tem tido algum tipo de benevolência por parte de alguns péssimos servidores que não fazem jus à história republicana do Judiciário.

Corregedoria e CNJ

Já há processo instalado na Corregedoria do TJ-PI. Pior que não é surpresa de ninguém, já há outras reclamações anteriores contra o mesmo magistrado, ainda não punido pelo menos com a aposentadoria compulsória.
Não tarda e em breve essa situação entra no radar do CNJ.

Olha o Abraão!!!

Sabe quem é um dos presos na operação da polícia federal em Parnaíba, anteontem?
Se o leitor disse Abraão Viana Filho, acertou. E, para quem não sabe, Abraão é aquele que passou anos foragido da polícia como membro da gang de Correia Lima, nos anos 90 e, apesar de condenado, passou muito tempo ainda no emprego na Secretaria de Fazenda do Piauí.

Fiscal de araque

Pois, sem ser mais funcionário da Fazenda, na casa de Abraão a Polícia Federal encontrou vários blocos de autuação agindo como se fiscal fosse. O patrimônio do Abraão é de fazer inveja a qualquer milionário. 
Acaba não, mundão!

Contas abertas

O TCE parou em dois a zero, contra, o julgamento das contas de Rejane Dias como secretária de Educação, relativo ao exercício financeiro de 2016.
O relator é o conselheiro Luciano Nunes.

A missão

Tentar mudar esse placar parece ser tarefa do novo secretário de Governo Osmar Jr. 
Mas do outro lado está a Rede de Controle querendo mostrar que na Topique deve aparecer mais coisas feias. 
E aí fica a dúvida: os conselheiros vão ouvir o secretário ou a Rede de Controle?

Promoção

Parece que as promoções na Secretaria de Justiça do Piauí são resultados dos escândalos que envolvem dirigentes e seus servidores. 
Especulou-se que Wellington Dias manterá Daniel Oliveira no cargo de secretário. Na sua cota, of course.

Mais um 

Nem bem esfriou o escândalo do ‘cabaré da Tia Custódia’, onde um preso teria pago R$ 15 mil para ter visita íntima, a polícia investiga a causa da morte do preso José Nestor Alves da Silva, paciente do hospital psiquiátrico da penitenciária Major Cesar, que foi levado pelo agente penitenciário Humberto Lustosa, para fazer capina em sua chácara. 
Fica vermelha, cara sem-vergonha.

Ping-Pong

Conversa de mão de onça

Ontem, em seu aniversário, o jornalista Zózimo Tavares recebeu um zap de seu ex-patrão, Danilo Damásio, tido como o mais muquirana das pessoas.

Danilo Damásio: “Estou livre depois das 18:00. Que horas é lá?”
Zózimo: “Já foi. A festa foi um cuscuz com ovo hoje cedo”.
Danilo: “Miserávi! É bom que eu não gasto com presente. Mas segue o meu desejo que Deus seja seu companheiro! Feliz aniversário!”
Zózimo: “Obrigado! E outra: no Grupo R. Damasio, aprendi só a primeira parte: não gastar. Quando ia aprender a segunda parte, como ganhar, me tiraram”.

Expressas

A Secretaria de  Educação informa que o serviço transporte escolar da Unidade Escolar Pequena Rubim, no bairro Mocambinho, já foi regularizado.

Os eleitores que não votaram e nem justificaram a ausência às urnas nas últimas três eleições têm até o próximo dia 6 de maio para regularizar a situação.

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel) realiza nesse domingo (07), o Dia Mundial da Saúde. O evento será realizado das 16h às 22h, na Ponte Estaiada.

A antiga joia da coroa Chuvas que destroem

Mais lidas desse blog