1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Imprevidência permanente
Publicidade

Imprevidência permanente

O Piauí é um estado de gestores permanentemente imprevidentes. Se chove pouco, como é a regra climatológica local, falta água nos períodos mais quentes do ano para abastecer a população e garantir atividades econômicas. Se se tem a dádiva da chuva, o excesso se torna um castigo, porque não temos infraestrutura que suporte maiores volumes de precipitações, tampouco meios para guardar a água que fará falta no período do ano em que chove pouco ou de há estiagem como uma rotina. Como resultado de nossa incapacidade de lidar com situações climáticas adversas, mas não surpreendentes, dados os avanços da ciência meteorológica, somos sempre pegos de calças curtas quando de chuvas maiores, que produzem espetáculos de sofrimento e dor em populações mais carentes. Mas tudo isso é pouco perto do que se verifica após a agudeza das cheias: não se tiram lições das tragédias e dos transtornos, não se adotam planos de obras hídricas e de drenagem, não se estabelecem protocolos para ações emergenciais, como planos de evacuação em caso de enxurradas, não se estabelecem planos de longo prazo para convivência com algo recorrente, os extremos climáticos que se abatem sobre nós ciclicamente. Faz dez anos que o Piauí padeceu com uma super enchente. Todos sabiam que iria se repetir, mas ninguém se moveu no rumo da prevenção. Resultado: esse pesadelo reeditado está novamente entre nós.

A juíza Liana Ferraz é a nova desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (Foto: Divulgação)

Diabinho

Em meio à situação de crise causada pelas chuvas e alagamentos em série, Hélio Isaías praticamente foi confirmado como o “novo” secretário da Defesa Civil. O deputado estadual do Progressistas saiu do cargo e lá deixou um lugar-tenente Raimundo Coelho.

Enchente

Enquanto Hélio Isaías anunciava em Teresina uma série de medidas de socorro a vítimas de inundações em 15 cidades do Piauí, em sua terra natal, São Raimundo Nonato, as águas do Piauí tomavam conta do centro da cidade. Não para menos: lá existem edificações no leito do rio.

Burocracia

Embora haja 15 cidades com muitas áreas inundadas, centenas de desabrigados e desalojados, até ontem ainda não havia todos os decretos de emergência nos municípios, para reconhecimento pelo Estado e envio de documentação a Brasília, que depende desses trâmites burocráticos para liberar ajuda.

Renasceu

Nem só de inundações e más notícias se vive nestes dias de chuvas intensas. Seco há anos, o açude Joana, em Pedro II, estava ontem com 44% de seu volume de água. A continuarem as fortes chuvas no norte piauiense, o reservatório vai ter sua maior capacidade em pelo menos oito anos.

Torneira aberta

A água que deverá elevar a até 60% o nível do açude Joana vem de chuvas muito fortes caídas no Norte do Piauí, onde segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia o acumulado somou em muitos municípios mais de 200mm em somente cinco dias de abril.

Bom senso

Firmino Filho foi alvo de ataques ontem nas redes sociais. Não se abalou. Diante do ocorrido no Parque Rodoviário, o prefeito alertou que não se pode apontar culpados pela tragédia antes de um estudo técnico responsável e que reúna pessoas do poder público e da sociedade.

Telemar

O terreno onde ficava a via que serviu como barragem para a água que destruiu casas e vidas no Parque Ferroviário pertence à empresa de telefonia Oi, sucedânea da Telemar, adquirente da Telepisa, a antiga estatal de telecomunicações do Piauí.

Processo

Quando assumiu o controle acionário da estatal de telecomunicações do Piauí a Telemar Norte Leste, buscou ocupar o imóvel onde funcionava pelo menos desde 1981 a sede social da Associação Recreativa dos Servidores da Telepisa (Arst), que foi à Justiça para reaver a posse. Adiantou pouco, porque a poderosa Telemar/Oi, venceu a queda de braço.

Liana Ferraz

O presidente Jair Bolsonaro nomeou a juíza Liana Ferraz para o cargo de desembargadora do TRT-PI. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União. 
Integraram a lista tríplice Tania Ferro e Basiliça Alves da Silva.

Poder 

Diz-se que entre os padrinhos de todas as candidatas, ganhou o ex-deputado federal Heráclito Fortes. 
Esse mostra que não é preciso ter mandato para seguir no poder.

Cargos do PP

Ciro quer proporcionalidade na repartição dos cargos no governo. Como o Progressistas acha que tem mais deputados e prefeitos, então quer mais cargos. 
Já tem o Detran, Transportes, Defesa Civil e quer emplacar Mainha na Semar.

James, tucano

Até ontem, se especulava que o delegado de Polícia Civil James Guerra vai deixar o MDB. As más ou boas línguas falam que ele anda muito próximo de Firmino, podendo filiar-se ao PSDB.

Ping-Pong

Pedido de ajuda a um náufrago

Conta Gil Borges que, diante da calamidade em Parnaíba, provocada pelas enchentes, o prefeito Mão Santa liga para o governador Wellington Dias, de quem é ferrenho adversário. 

Mão Santa: “Wellington, estou te ligando nessa hora de dor...”
Wellington: “Muito bem, hombre...”
Mão Santa: “Não é para fazer política, mas de solidariedade, mesmo eu sabendo que eu estou numa jangada e você no Titanic”.

Expressas

João Rodrigues pode ser confirmado como coordenador de Comunicação Social de Wellington Dias.

Teresina deu um belo exemplo de solidariedade ontem, após a tragédia do Parque Rodoviário. O de melhor nas pessoas aflorou, felizmente.

Mas teve mau caráter espalhando notícias falsas sobre a abertura das comportas da barragem de Boa Esperança.

O Piauí é um estado de gestores permanentemente imprevidentes. Se chove pouco, como é a regra climatológica local, falta água nos períodos mais quentes do ano para abastecer a população e garantir atividades econômicas. Se se tem a dádiva da chuva, o excesso se torna um castigo, porque não temos infraestrutura que suporte maiores volumes de precipitações, tampouco meios para guardar a água que fará falta no período do ano em que chove pouco ou de há estiagem como uma rotina. Como resultado de nossa incapacidade de lidar com situações climáticas adversas, mas não surpreendentes, dados os avanços da ciência meteorológica, somos sempre pegos de calças curtas quando de chuvas maiores, que produzem espetáculos de sofrimento e dor em populações mais carentes. Mas tudo isso é pouco perto do que se verifica após a agudeza das cheias: não se tiram lições das tragédias e dos transtornos, não se adotam planos de obras hídricas e de drenagem, não se estabelecem protocolos para ações emergenciais, como planos de evacuação em caso de enxurradas, não se estabelecem planos de longo prazo para convivência com algo recorrente, os extremos climáticos que se abatem sobre nós ciclicamente. Faz dez anos que o Piauí padeceu com uma super enchente. Todos sabiam que iria se repetir, mas ninguém se moveu no rumo da prevenção. Resultado: esse pesadelo reeditado está novamente entre nós.

A juíza Liana Ferraz é a nova desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (Foto: Divulgação)

Diabinho

Em meio à situação de crise causada pelas chuvas e alagamentos em série, Hélio Isaías praticamente foi confirmado como o “novo” secretário da Defesa Civil. O deputado estadual do Progressistas saiu do cargo e lá deixou um lugar-tenente Raimundo Coelho.

Enchente

Enquanto Hélio Isaías anunciava em Teresina uma série de medidas de socorro a vítimas de inundações em 15 cidades do Piauí, em sua terra natal, São Raimundo Nonato, as águas do Piauí tomavam conta do centro da cidade. Não para menos: lá existem edificações no leito do rio.

Burocracia

Embora haja 15 cidades com muitas áreas inundadas, centenas de desabrigados e desalojados, até ontem ainda não havia todos os decretos de emergência nos municípios, para reconhecimento pelo Estado e envio de documentação a Brasília, que depende desses trâmites burocráticos para liberar ajuda.

Renasceu

Nem só de inundações e más notícias se vive nestes dias de chuvas intensas. Seco há anos, o açude Joana, em Pedro II, estava ontem com 44% de seu volume de água. A continuarem as fortes chuvas no norte piauiense, o reservatório vai ter sua maior capacidade em pelo menos oito anos.

Torneira aberta

A água que deverá elevar a até 60% o nível do açude Joana vem de chuvas muito fortes caídas no Norte do Piauí, onde segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia o acumulado somou em muitos municípios mais de 200mm em somente cinco dias de abril.

Bom senso

Firmino Filho foi alvo de ataques ontem nas redes sociais. Não se abalou. Diante do ocorrido no Parque Rodoviário, o prefeito alertou que não se pode apontar culpados pela tragédia antes de um estudo técnico responsável e que reúna pessoas do poder público e da sociedade.

Telemar

O terreno onde ficava a via que serviu como barragem para a água que destruiu casas e vidas no Parque Ferroviário pertence à empresa de telefonia Oi, sucedânea da Telemar, adquirente da Telepisa, a antiga estatal de telecomunicações do Piauí.

Processo

Quando assumiu o controle acionário da estatal de telecomunicações do Piauí a Telemar Norte Leste, buscou ocupar o imóvel onde funcionava pelo menos desde 1981 a sede social da Associação Recreativa dos Servidores da Telepisa (Arst), que foi à Justiça para reaver a posse. Adiantou pouco, porque a poderosa Telemar/Oi, venceu a queda de braço.

Liana Ferraz

O presidente Jair Bolsonaro nomeou a juíza Liana Ferraz para o cargo de desembargadora do TRT-PI. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União. 
Integraram a lista tríplice Tania Ferro e Basiliça Alves da Silva.

Poder 

Diz-se que entre os padrinhos de todas as candidatas, ganhou o ex-deputado federal Heráclito Fortes. 
Esse mostra que não é preciso ter mandato para seguir no poder.

Cargos do PP

Ciro quer proporcionalidade na repartição dos cargos no governo. Como o Progressistas acha que tem mais deputados e prefeitos, então quer mais cargos. 
Já tem o Detran, Transportes, Defesa Civil e quer emplacar Mainha na Semar.

James, tucano

Até ontem, se especulava que o delegado de Polícia Civil James Guerra vai deixar o MDB. As más ou boas línguas falam que ele anda muito próximo de Firmino, podendo filiar-se ao PSDB.

Ping-Pong

Pedido de ajuda a um náufrago

Conta Gil Borges que, diante da calamidade em Parnaíba, provocada pelas enchentes, o prefeito Mão Santa liga para o governador Wellington Dias, de quem é ferrenho adversário. 

Mão Santa: “Wellington, estou te ligando nessa hora de dor...”
Wellington: “Muito bem, hombre...”
Mão Santa: “Não é para fazer política, mas de solidariedade, mesmo eu sabendo que eu estou numa jangada e você no Titanic”.

Expressas

João Rodrigues pode ser confirmado como coordenador de Comunicação Social de Wellington Dias.

Teresina deu um belo exemplo de solidariedade ontem, após a tragédia do Parque Rodoviário. O de melhor nas pessoas aflorou, felizmente.

Mas teve mau caráter espalhando notícias falsas sobre a abertura das comportas da barragem de Boa Esperança.

Operação natureza A emenda é pior que o soneto

Mais lidas desse blog