1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Furacão bate a velha política
Publicidade

Furacão bate a velha política

O resultado da eleição no Brasil encerra um ciclo: aquele em que PT e PSDB criaram uma bipolaridade desde 1994 até aqui. Os dois partidos fazem parte do passado. O resultado pífio de ambos na eleição presidencial, e nos principais colégios eleitorais do país mostra que estão chegando novos atores na política, algo comprovado com a surpreendente virada de Romeu Zema, do estreante partido Novo, que vai para o segundo turno contra Antônio Anastasia (PSDB). Em São Paulo, os tucanos vão para o segundo turno com o ex-prefeito João Dória, que virou as costas para Alckmin, preferindo surfar na onda Bolsonaro, que colheu no estado paulista mais de 54% dos votos. Alckmin perdeu para Ciro Gomes em seu próprio território. O ex-ministro e candidato do PDT ao menos ficou em primeiro no Ceará, Estado onde mantém a hegemonia política. Mas parece que só ele mesmo está bem, porque pelo Brasil não são poucos os casos a indicar o fim da dualidade PT-PSDB e, se não o enterro, ao menos um terremoto que deixa inerte a velha política. Em Goiás, Marcone Perillo, que governou o Estado por quatro vezes, terminou a eleição em um humilhante quinto lugar. Eduardo Suplicy (PT-SP) e Dilma Roussef (PT-MG), estrelas de primeira grandeza do PT, amargaram derrotas para o Senado. Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR), notório aliado da ex-presidente, perdeu a eleição para senador. Geraldo Alckmin ficou num distante quarto lugar na corrida presidencial. No Maranhão, além da derrota de Roseana Sarney, quatro vezes governadora do Estado, o irmão dele perdeu para o Senado e pela primeira vez em meio século não haverá um representante da família Sarney no Congresso. Mesmo políticos respeitados como Cristovam Buarque, senador pelo Distrito Federal, viram ruir seus mandatos. Há novos tempos por aí. Resta saber se serão bons ou ruins.

Fábio Servio, o grande destaque desta eleição no Piauí (Foto: Lucas Sousa/Portal AZ)

Então!

Marcelo Castro foi a grande surpresa da eleição. Tido por todos os institutos de pesquisa como o terceiro colocado, ele superou Wilson Martins, que liderava todas as pesquisas. 
Deve ser eternamente agradecido a Wellington Dias. 

O DIA TV

Para uma emissora que está se iniciando, a cobertura da eleição no Piauí pela ODIATV foi excelente. 
De parabéns a diretora de jornalismo Karliete Nunes, a apresentadora Najla Fernandes e, enfim, toda a abnegada equipe que trabalhou desde as primeiras horas na cobertura. 

Numa boa

Fábio Servio, com pouco espaço de TV, pouco dinheiro, a cara e a coragem, não foi eleito governador, mas mostrou que um discurso bem articulado encanta as pessoas.
Seu quarto lugar tem o doce sabor da vitória. Seu bom desempenho em Teresina faz com que se preste mais atenção em sua atuação daqui para frente.

Efeito orloff

A pífia votação de Elmano Ferrer, principalmente em Teresina, onde perdeu para Fábio Servio, faz lembrar a campanha do “Aceita, Chico”, que George Mendes fez para convencer o então prefeito Chico Gerardo a aceitar a candidatura de governador, em 1998. Chico Gerardo, sensato, fez ouvidos de mercador ao apelo.

Efeito vencido

Chico Gerardo, entretanto, só resolveu aceitar a candidatura quando já tinha passado o embalo da campanha. O resultado foi um fiasco. Não foi para lugar nenhum, a não ser o céu da boca da porca.

Mesma coisa

Assim ocorreu com Elmano. Em julho ele renunciou à candidatura alegando que ‘forças ocultas’ tinha torpedeado seu projeto. 
Muito tempo depois, sem apoio de qualquer partido resolveu e entrar na disputa, perdendo feio, como se viu.

Assim é demais!

E tem jornalista de TV que chegou a achar que a grande votação de Robert Rios em urnas do Diocesano é porque o colégio fica próximo à secretaria de Segurança, onde Rios foi titular.
Santa ignorância, naquelas urnas votam as famílias que residem naquela parte do centro da cidade.
Nenhum policial, com certeza.

Resultado lunar

Com as urnas eletrônicas e digitalização dos resultados se diz que o resultado das eleições no Brasil é como eclipse lunar. 
Anuncia-se, e o eleitor se prepara por ele até por 12 horas,  e ambos duram poucos instantes.

Custo do voto

O mito da compra de votos e uso de recursos próprios nas campanhas eleitorais estará em questão. 
Quanto custou a campanha e quantos votos tiveram Meireles e Amoedo, comparados com o Cabo Daciolo e o candidato Boulos, do PSOL?

Ocorrências

Duas ocorrências, de entrega de dinheiro, foram registradas com o envolvimento do candidato a deputado federal Flávio Nogueira. 
A primeira, se diz que um vereador de Piripiri estaria queimando os cartazes do candidato porque ele não cumpriu os acertos. 
A segunda, a PRF apreendeu R$ 36 mil no rumo de Água Branca. A ‘mula’ entregou o candidato.

Fim

Heráclito Fortes derrotado para a Câmara Federal na semana dos 30 anos da Constituição Federal que ele ajudou a escrever. 
Para ele, um ocaso triste para uma carreira política brilhante.

Ping-Pong 

As provas

Operação da Polícia Federal na sede do Progressistas em Teresina. Duas horas depois, o jornalista e professor Claudio Barros chega e toma conhecimento de que houve busca e apreensão de documentos e computadores. 
Cláudio: “Cadê o meu computador?
A funcionária: “A polícia levou...”
Cláudio: “Meu Deus, o computador  tá cheio de provas...”
A funcionária: “Contra o senador?”
Cláudio: “Não, são as provas que vou aplicar pros meus alunos lá na escola”.

Expressas 

Dra. Marina é a grande surpresa da eleição. Com uma campanha discreta, elegeu-se deputada federal no Piauí

Com isso, o Piauí passa a ter proporcionalmente a maior bancada feminina na Casa entre os Estados: 40% das cadeiras.

Dois ex-governadores, Marconi Perillo (GO) e Raimundo Colombo (SC) foram derrotados na corrida pelo Senado.

Um passo atrás Day after

Mais lidas desse blog


Publicidade