1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Intromissão indevida
Publicidade

Intromissão indevida

Quando se trata de resolver problemas ou seus interesses internos o deputado estadual, por mais obediência que possa ter ao governador do Estado, age com independência na Assembleia Legislativa. Já se viu isso em algumas batalhas travadas entre eles pela ocupação da mesa diretora. Depois das eleições de outubro algumas figuras alheias ao legislativo estadual tem se movimento no sentido de ditar regras ou impor candidato na disputa da presidência da Assembleia Legislativa, numa escancarada intromissão. O senador Ciro Nogueira (Progressistas) e o deputado federal Assis Carvalho (PT) têm propalado aos quatro cantos que querem mudar as coisas no legislativo, apostando num candidato que possa enfrentar o atual presidente Themistocles Filho, que tenta mais uma reeleição. Chama-se a isso intromissão indevida porque os dois sabem que esse regramento deve funcionar indistintamente nas casas legislativas. O próprio presidente eleito Jair Bolsonaro já acenou que não interferirá nas eleições da Câmara e do Senado, apesar de ter aparente poder de barganha para impor qualquer nome. Preferiu, entretanto, seguir com Rodrigo Maia, na Câmara dos Deputados, até mesmo para evitar constrangimento provocado por um confronto desnecessário. Já há exemplo no Piauí quando governadores e todos os que resolveram se intrometer na eleição da Assembleia foram humilhantemente derrotados. Não custa lembrar a derrota de Fábio Novo, que dormiu com 23 votos certos e amanheceu amargando um placar estarrecedor, contra. O melhor que Ciro Nogueira, Assis Carvalho e, por extensão, Firmino Filho e Wellington Dias poderiam fazer para não serem desmoralizados, seria cuidar cada um das suas atribuições constitucionais. Se eles nunca leram, poderiam aprender com o Barão de Montesquieu na sua célebre obra ‘O Espírito das Leis’, segundo a qual, os Poderes são autônomos para tomarem suas próprias decisões.

Senador Ciro Nogueira entra na disputa pelo poder na Assembleia Legislativa (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Novo CP

Desconfia-se que, prendendo (como mandou), o advogado que disse que tem vergonha do Supremo, o ministro Ricardo Lewandowski acaba de criar um novo tipo penal: o da injúria contra as instituições. 
Até então existia apenas a injúria racial.

Obra sonrisal

São Pedro pode ser neste inverno o cara que vai desmascarar muito gestor público. 
Lá em Amarante, por exemplo, a chuva que o santo despejou sobre o município, levou a estrada e ponte feitas pela Secretaria das Cidades, que custou R$ 1,5 milhão. 
Fica vermelha, cara sem vergonha!

Aliás...

O Ministério Público está investigando a denúncia de que uma mesma obra estaria recebendo recursos de duas secretarias. Da de Cidades e a de Transporte. 

Amor é lindo

Dr. Pessoa era uma das mais descontraídas figuras no evento da Band-PI, anteontem, no Finess Buffet. 
À sua esquerda, uma bela jovem.

Lenda urbana

Quando era governador, Mão Santa viu-se, de repente, dono de hospital em Fortaleza. O fuxico corria solto nas mesas de bares e em todas as rodas, porque naquele tempo não havia as redes sociais. Diziam que seu sócio era o secretário de Saúde, Paulo Lages. 
Boato, apenas boato.

Lenda urbana 2

De uns dias para cá, depois de divulgada a venda do Uninovafapi a um grupo educacional mineiro, as redes sociais bombaram a informação de que dois dos sócios desse empreendimento, seriam o governador Wellington Dias e o secretário de Fazenda Rafael Fonteles. 
Outra lenda urbana. Acredita-se que seja boato, tão-somente boato.

Bola murcha 

O futebol do Piauí continua caindo pelas tabelas, e a maior prova disso é que os times dos estados vizinhos encontram-se em patamares bem superiores, no ranking dos melhores do Brasil, segundo divulgou a CBF, ontem.

Bola murcha 2

Alguns times do Nordeste, como Vitória, Bahia e Sport, situam-se entre os 20 primeiros, e a surpreendente Chapecoense se afirma como 10º time do Brasil. 

Bola murcha 3 

Ao River e Altos, respectivamente, 72º e 76º no ranking, resta pelo menos o consolo de ter figurado entre os cem times melhor ranqueados. 

Secretariado

Wellington Dias deve tomar posse no próximo mandato com a grande maioria dos atuais auxiliares, o que não quer dizer, necessariamente, que eles sigam com o governador por muito tempo. 
Porque Wellington só quer empossar a nova equipe em fevereiro, depois da eleição na Assembleia Legislativa.

Consignados

Essa história de empréstimo consignado no Estado vai dar em dor de cabeça também para gestores. A coisa está judicializada. E os bancos não perdoam.

Lavanderia 

Foi-se o tempo em que o gestor público ‘lavava’ dinheiro comprando fazendas de gado. 
A moda agora é ‘lavar’ com carro antigo. Tem gestor, que não é tão grande assim, com mais de 10 carros na garagem. 
Aliás, a coluna não viu, mas tem conhecimento que um deles possui um verdadeiro estacionamento que cabe 50 carros velhos.

Corte especial

O mundo está mesmo perdido.
A polícia prendeu uns indivíduos que abatiam jumentos para vender em açougues de Teresina. 
E, dizem, em pontos conhecidos no Todos os Santos, no Dirceu e até na Avenida Zequinha Freire.
Acaba não, mundão!

Ping-Pong

Arroz papa

O engenheiro Adão Wallace chega ao Bar do Zé filho, morrendo de fome. Pede ao garçon e bom cozinheiro Luís que lhe prepare um prato. Em pouco tempo chega a comida. Adão reclama. 

Adão: “Luís, esse teu arroz foi feito a Bento 16?”
Luís: “Que diabo é isso, tio Adão?”
Adão: “É porque ele está pura papa”.

Publicado originalmente em 5 de maio de 2005.

Expressas

A Uespi lançou edital para Professor Formador. As inscrições estão abertas até o dia 14 de dezembro e irá oferecer 23 vagas.    

O prazo para regularizar a situação eleitoral para quem não votou no primeiro turno das Eleições 2018 encerra hoje.

De acordo com o TRE-PI, mais de 244 mil eleitores piauienses não justificaram o voto.

Apagão de governança Papai Noel do caloteiro

Mais lidas desse blog