1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Coluna Arimatéia Azevedo
Publicidade

Coluna Arimatéia Azevedo

Agosto de tempestade 

A união de vários partidos que se juntaram no entorno do governo Wellington Dias parece que procurou utilizar a sombra do poder para apenas sustentar (ou aumentar) os próprios espaços, passando a desconfiança de que  nesta reta final, quando se avizinha a eleição, cada um pode procurar seguir o seu rumo. Pior, alguns desses pretensos aliados encontram-se ainda abrigados no governo, mas sem qualquer voz de comando que possa uni-los na mesma causa. Wellington Dias, no seu jeito macio, manhoso, liso, tem tentado. Mas o que se tem, de fato, é uma colcha de retalhos, absolutamente esfacelada, a partir da própria decisão da montagem da chapa majoritária. O PT assiste de camarote a guerra quase aberta entre Marcelo Castro e Ciro Nogueira. Aliás, segmentos ainda rançosos com o ‘golpe’ de que acusam Ciro, contra Dilma, não só deixarão de votar, como incentivam o voto a outros candidatos ao Senado. Todos fingem não saber, mas o velho MDB cansado de guerra,  dividiu-se em três partes: a que vai seguir com Wellington Dias e Marcelo Castro (a menor delas); outra que vai acompanhar Luciano Nunes, e uma terceira parcela que seguirá Dr. Pessoa, unindo-se a outros partidos, e indicando o vice e os senadores. João Henrique e Themistocles Filho podem não dizer publicamente, mas não estarão na campanha de Wellington/Marcelo. Daí o risco, porque esses dois são raposas espertas e têm cacife. Diz-se que Themistocles tem atrás de si um batalhão capaz de provocar uma reviravolta no pleito, porque sabe movimentar a campanha, redirecionar aliados, e fazer aparecer os votos nas urnas. Nesse jogo de interesses e vaidades, não se sabe se Wellington continua enganando os aliados, ou se vai ser enganado por eles. Isto é, o período de tempestades no seio do governo parece que começa neste mês de agosto.

Vanessa Tapety: “sou preparada para a luta, vivo na guerra na minha cidade de Oeiras e agora vou partir para a luta no Piauí”. Na foto com os candidatos Menandro Pedro e major Elizete Lima (Foto: Lucas Sousa/ Portal AZ)

Interesseiros

A partir do impeachment de Dilma, o país inteiro viu o PT acusar Michel Temer e, de roldão, o PMDB, de terem protagonizado o golpe contra a presidente. 
Hoje, com a cara mais lavada, petistas chegam a sacrificar os velhos companheiros, como José Pimentel, no Ceará,  e outros em vários Estados, para abrir vagas para os emedebistas. 
Fica vermelha cara sem-vergonha!

Agora vai!

O Plamta pagou o mês de abril e, por isso, os hospitais e clinicas conveniados, voltaram a atender aos segurados.

Desespero

Tem sido um martírio para os segurados do Plamta a suspensão, pelos órgãos conveniados, do seu atendimento. 
Pode ser que já a partir de agora não haja mais problemas.

E a greve?

Falta o governo e sindicalistas buscarem uma solução para por fim à greve dos professores da rede estadual. 
A continuar essa queda de braço, quem vai sair prejudicado são os alunos, com a contaminação do ano letivo.

Caga fogo

Parece que vão esquentar uma pesquisa, cuja nota fiscal foi tirada em maio passado e só realizada agora, dia 20 deste mês. Portanto, antes de Dr. Pessoa se decidir como candidato a governador.

Bla-blá-bla-blá

Evaldo Gomes tem batido forte na maneira como Wellington Dias tem conduzido a sucessão. Ou seja, da forma que mais lhe convier, e sempre sufocando as reações na base aliada. 
Foi assim com Themistocles Filho, rifado da vaga de vice, que chegou a ensaiar uma oposição, mas quedou-se diante da candidatura do filho a deputado federal.

Reação enganosa

Publicaram que Ciro Nogueira não teria ficado em nada satisfeito com a informação de que Marcelo Castro estava caminhando para cima dos seus ‘colégios eleitorais’. Disseram, também, que Ciro estaria mandando recado, do tipo, ’posso romper’.
Esse vai morrer abraçado aos traíras, mas jamais ousaria um rompimento.

Olha só!

Circula nas redes sociais contrato milionário – de quase R$ 5 milhões – entre a Secretaria de Educação e uma empresa que nem televisão possui. 
Em campanha eleitoral é fácil mostrar como são fáceis essas parcerias do nada com coisa nenhuma, usando dinheiro público.

Guerreira

“Eu nasci preparada, sou preparada para a luta, vivi de oposição, vivo na guerra na minha cidade de Oeiras e agora vou partir para a luta no Piauí”. 
A frase é de Vanessa Tapety, essa jovem e bela advogada, cotadíssima para ser a vice na chapa de Dr. Pessoa.

A greve anda 

Enquanto isso os professores imploram por migalhas na mesma secretaria, que lhe dá as costas, levando risco a prejudicar o ano letivo.

Impressionante...

É na campanha eleitoral que se descobrem as malfeitorias públicas. 
Tem secretaria sem qualquer poder que comprou R$ 2,3 milhões e pagou tudo num mesmo dia.

Eita!

Diz-se que o poder de fogo de Assis Carvalho continua tão aceso que carros de propriedade de locadora muito próxima servem a hospitais estaduais no interior. 
Quantos são mesmo, em Barras, Manin?

Verniz

Não é o fato de Mão Santa poder representar um bom cabo eleitoral que o candidato Luciano Nunes tenha que colocar uma filha do prefeito de Parnaíba como sua companheira na chapa de governador e vice.
O eleitor passa a entender que esse tipo de procedimento só revela que tudo entre os políticos é eivado de interesse pessoal. 
Nada a ver com o coletivo.

Fábio Sérvio

Fábio Sérvio esclarece que continua candidato ao governo pelo PSL. A ideia de disputar o Senado na chapa de Dr. Pessoa, foi só coisa de uma noite chuvosa.

Ping-Pong 

Alô, Arquelau!

Falta energia no setor fazendário da Prefeitura de Teresina. O chefe liga imediatamente para o 0800 da Eletrobrás 
A moça: “Eletrobrás, em que posso ajudar?”
O chefe: “Quero comunicar que aqui estamos sem energia...”
A moça: “Já sabemos. Aqui também não tem”.

Expressas

A Equatorial Energia que adquiriu a Companhia Energética do Piauí (Cepisa) em leilão, em 26 de julho desse ano, deverá assumir a subsidiária até outubro. Os acionistas da Eletrobrás prorrogaram o prazo para que a empresa opere no estado. 

A Prefeitura de Canto do Buriti divulgou o edital do processo seletivo com prazo de validade de um ano que pretende contratar 13 profissionais de todos os níveis de escolaridade. 

Com jornadas de trabalho de 20 a 40 horas semanais, as remunerações variam entre R$ 1.000,00 e R$ 6.350,00.

Um passo atrás Estética, vaidade e óbito

Mais lidas desse blog


Publicidade