1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Podridão nas redes sociais
Publicidade

Podridão nas redes sociais

A falta de pudor e de limites parece que encontra eco nas redes sociais, e as surpresas (ou decepções) se somam em velocidade galopante. Por isto que os prints divulgados, ontem, nas redes sociais, logo ganharam trepidante e a avassaladora repercussão, até porque tratam de conversas nada republicanas, que envolvem, inclusive, influentes agentes públicos, e colocam em xeque as principais autoridades do Piauí. Os recados nada enigmáticos e a troca de favores e negócios jogados por baixo das conversas de WhatsApp são no mesmo nível das sujeiras jogadas por debaixo dos tapetes de gabinetes, daí porque é de se esperar que tudo possa ser mesmo verdade, caso não se comprove tratar-se de fake news. É que correm em todas as redes sociais supostos diálogos entre secretário de estado, jornalistas, apresentadores e assessores de órgãos públicos em que a conversa entre eles ultrapassa a civilidade e ganha contornos de prática de negócios cabulosos e até mesmo extorsão para calar grupo de WhatsApp. Um dos citados, o coordenador de comunicação, João Rodrigues, se encaminhava ontem à delegacia para fazer o registro num Boletim de Ocorrência e solicitou imediata e rigorosa apuração. As conversas mencionam até delegado da Polícia Federal e envolvem todo tipo de assunto, desde o financeiro, com cobrança de vantagens e de suposta propina, sobre ordem mandando atacar autoridade; fala de tratativas que descambam para o campo pessoal. O rol dos citados chega ao Tribunal de Justiça, e desembargadores são citados como corruptos vendedores de sentença, com direito a operadores de negócios, e até mesmo há esposas atingidas em suas honras. As conversas divulgadas são escabrosas, no limite do inimaginável, mas oferecem ao Ministério Público e à justiça a motivação definitiva e o momento de passar o Estado a limpo e interromper o binômio promíscuo entre o poder e a mídia, principalmente a dita mídia social que se acha imune à justiça, ou que supõe controlar a própria justiça. Ou se escancara a verdade e se coloca os pingos nos ‘is’ ou vai ficar sempre a impressão de que até mesmo a divulgação desses prints faz parte de estranho e perigoso jogo de caça ao dinheiro público.

Marcelo Castro diz que não vai discutir cargos no governo contra o qual ele trabalhou na campanha (Foto: reprodução internet)

Ciro investigado

O ministro Edson Fachin, do STF, concedeu mais um prazo – desta vez de 60 dias – para a Polícia Federal continuar investigando denúncia de prática de corrupção envolvendo o senador piauiense Ciro Nogueira.
Essa é mais uma denúncia que envolve o senador por suposto recebimento de propina. Mas o senador passa à opinião que nada disso é com ele.
Acaba não, mundão!

Sob controle

Só para se ter uma ideia do controle (ainda) que o Progressistas tem sobre o Geap no Brasil todo, o gestor do órgão no Ceará é indicação do senador Ciro Nogueira.  
O de São Paulo, também.

Pega o mentiroso

Ontem, foi desmascarado um canalha que, de uns tempos para cá, tem procurado enxovalhar a honra deste jornalista, através de fake news em sua arapuca midiática, muito bem pago com dinheiro do Senado Federal e de outras fontes bem nebulosas.

Codevasf

Até agora que nada se decide em Brasília sobre os nacos de poder dos políticos do Piauí no governo Bolsonaro, o único órgão nordestino importante está nas mãos do piauiense Avelino Neiva, a Codevasf. 
Se houver a mudança, como alguns setores governistas querem, o Nordeste e o Piauí ficam sem nada.

Ataques 

Parece que a oposição à prefeita Carmelita Castro em São Raimundo é tão virulenta, que, em áudio, ela diz não poder mais suportar os ataques do ex-prefeito Avelar Ferreira e de um radialista, alinhado a Ferreira.
“Isso é inadmissível”, diz ela.

Morre o vice

Faleceu ontem o vice-prefeito de Oeiras, Martinho Meneses, aos 82 anos. 
Era uma figura política das mais queridas na cidade.

Marcelo e os cargos

O senador Marcelo Castro disse em entrevista ao Portal AZ, que não quer discutir cargos federais no Piauí. 
“Não quero participar de um governo que não concordo ideologicamente e nem ajudei a eleger”.

Eu nem queria, mesmo

A desculpa do senador é parecida com a daqueles meninos quando lhe é negada a coisa e dizem: “Eu nem queria mesmo”.

Pimpolho

Marcelo está aguardando Wellington Dias abrir a temporada da corrida aos cargos do governo do Estado. 
Na pior das hipóteses ele emplaca o filho, atual diretor do DER, na secretaria de infra-estrutura. 

Vou ver primeiro

O deputado João Mádison deu a entender que não vai só dizer amém ao projeto de reforma administrativa enviada pelo governo à Assembleia.
“Não, isso aí a gente tem que ver primeiro, analisar, ler direitinho, reler se for o caso, sugerir alteração, e só depois aprovar”, afirma.

Um mês

Se correr sem sobressaltos o projeto de reforma deve levar no máximo 20 dias para ser discutido e aprovado na Assembleia Legislativa.
A informação é do Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Wilson Brandão.
E é porque o governador nem pediu para que tramitasse em regime de urgência.

Agora não!

Durante a entrega do projeto de reforma, Welington disse que não cogita chamar deputado para o governo.
Isso deixa suplente de deputado correndo às farmácias.

Galo

Wellington, porém, abre uma janela de experança: Ele ressalta que “nesse primeiro momento não, depois, quando voltarmos a normalidade podemos contar com esse auxílio”, disse.
Na certa, quer cozinhar o galo até aprovar as reformas com o voto dos deputados.

Conversa fake

O secretário de comunicação, João Rodrigues veio a público dizer que são montagens as conversas distribuídas via WhatsApp, onde ele aparece junto com outros jornalistas em situação nada republicana.
Rodrigues afirma que denunciou o caso à polícia e pediu investigação.

À luz do dia

Ninguém viu ou deu conta do criminoso que à luz do dia fez um verdadeiro desmantelamento de uma dezena de árvores no bairro Saci, zona Sul de Teresina.
Árvores centenárias foram derrubadas com motosserra por um louco que não gostava de bêbado desfrutando da sombra.
A delegacia de crimes ambientais serve pra quê, mesmo?

Ping-Pong

Fortalecendo a base

O jornalista Pedro Alcântara vai à Assembleia e puxa o deputado Júlio Arcoverde para ter uma “conversa franca” sobre a sua decisão de se licenciar do mandato para ser secretário de esportes e lazer do município.

Júlio Arcoverde: “Agora nós iremos fortalecer a base...”
Pedro Alcântara: “Fortalecer? Se o senhor é o vice-líder do governo e está é deixando a casa!!!...”
Júlio:  “Mas eu estou falando é do futebol de base...”

Expressas 

O TCE-PI deu início ao levantamento da situação das obras suspensas e paralisadas em todo o Piauí, que foram iniciadas a partir de 2009, cujo montante seja superior a R$ 1,5 milhão.

No Piauí, quase 38 mil devem sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS). Os valores variam de R$ 84 a R$ 998.

A Fundação Wall Ferraz recebeu um total de 1.080 inscrições para o Processo Seletivo de Instrutores que vão atuar nos cursos, oficinas e palestras que serão realizados em 2019.

A falta de pudor e de limites parece que encontra eco nas redes sociais, e as surpresas (ou decepções) se somam em velocidade galopante. Por isto que os prints divulgados, ontem, nas redes sociais, logo ganharam trepidante e a avassaladora repercussão, até porque tratam de conversas nada republicanas, que envolvem, inclusive, influentes agentes públicos, e colocam em xeque as principais autoridades do Piauí. Os recados nada enigmáticos e a troca de favores e negócios jogados por baixo das conversas de WhatsApp são no mesmo nível das sujeiras jogadas por debaixo dos tapetes de gabinetes, daí porque é de se esperar que tudo possa ser mesmo verdade, caso não se comprove tratar-se de fake news. É que correm em todas as redes sociais supostos diálogos entre secretário de estado, jornalistas, apresentadores e assessores de órgãos públicos em que a conversa entre eles ultrapassa a civilidade e ganha contornos de prática de negócios cabulosos e até mesmo extorsão para calar grupo de WhatsApp. Um dos citados, o coordenador de comunicação, João Rodrigues, se encaminhava ontem à delegacia para fazer o registro num Boletim de Ocorrência e solicitou imediata e rigorosa apuração. As conversas mencionam até delegado da Polícia Federal e envolvem todo tipo de assunto, desde o financeiro, com cobrança de vantagens e de suposta propina, sobre ordem mandando atacar autoridade; fala de tratativas que descambam para o campo pessoal. O rol dos citados chega ao Tribunal de Justiça, e desembargadores são citados como corruptos vendedores de sentença, com direito a operadores de negócios, e até mesmo há esposas atingidas em suas honras. As conversas divulgadas são escabrosas, no limite do inimaginável, mas oferecem ao Ministério Público e à justiça a motivação definitiva e o momento de passar o Estado a limpo e interromper o binômio promíscuo entre o poder e a mídia, principalmente a dita mídia social que se acha imune à justiça, ou que supõe controlar a própria justiça. Ou se escancara a verdade e se coloca os pingos nos ‘is’ ou vai ficar sempre a impressão de que até mesmo a divulgação desses prints faz parte de estranho e perigoso jogo de caça ao dinheiro público.

Marcelo Castro diz que não vai discutir cargos no governo contra o qual ele trabalhou na campanha (Foto: reprodução internet)

Ciro investigado

O ministro Edson Fachin, do STF, concedeu mais um prazo – desta vez de 60 dias – para a Polícia Federal continuar investigando denúncia de prática de corrupção envolvendo o senador piauiense Ciro Nogueira.
Essa é mais uma denúncia que envolve o senador por suposto recebimento de propina. Mas o senador passa à opinião que nada disso é com ele.
Acaba não, mundão!

Sob controle

Só para se ter uma ideia do controle (ainda) que o Progressistas tem sobre o Geap no Brasil todo, o gestor do órgão no Ceará é indicação do senador Ciro Nogueira.  
O de São Paulo, também.

Pega o mentiroso

Ontem, foi desmascarado um canalha que, de uns tempos para cá, tem procurado enxovalhar a honra deste jornalista, através de fake news em sua arapuca midiática, muito bem pago com dinheiro do Senado Federal e de outras fontes bem nebulosas.

Codevasf

Até agora que nada se decide em Brasília sobre os nacos de poder dos políticos do Piauí no governo Bolsonaro, o único órgão nordestino importante está nas mãos do piauiense Avelino Neiva, a Codevasf. 
Se houver a mudança, como alguns setores governistas querem, o Nordeste e o Piauí ficam sem nada.

Ataques 

Parece que a oposição à prefeita Carmelita Castro em São Raimundo é tão virulenta, que, em áudio, ela diz não poder mais suportar os ataques do ex-prefeito Avelar Ferreira e de um radialista, alinhado a Ferreira.
“Isso é inadmissível”, diz ela.

Morre o vice

Faleceu ontem o vice-prefeito de Oeiras, Martinho Meneses, aos 82 anos. 
Era uma figura política das mais queridas na cidade.

Marcelo e os cargos

O senador Marcelo Castro disse em entrevista ao Portal AZ, que não quer discutir cargos federais no Piauí. 
“Não quero participar de um governo que não concordo ideologicamente e nem ajudei a eleger”.

Eu nem queria, mesmo

A desculpa do senador é parecida com a daqueles meninos quando lhe é negada a coisa e dizem: “Eu nem queria mesmo”.

Pimpolho

Marcelo está aguardando Wellington Dias abrir a temporada da corrida aos cargos do governo do Estado. 
Na pior das hipóteses ele emplaca o filho, atual diretor do DER, na secretaria de infra-estrutura. 

Vou ver primeiro

O deputado João Mádison deu a entender que não vai só dizer amém ao projeto de reforma administrativa enviada pelo governo à Assembleia.
“Não, isso aí a gente tem que ver primeiro, analisar, ler direitinho, reler se for o caso, sugerir alteração, e só depois aprovar”, afirma.

Um mês

Se correr sem sobressaltos o projeto de reforma deve levar no máximo 20 dias para ser discutido e aprovado na Assembleia Legislativa.
A informação é do Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Wilson Brandão.
E é porque o governador nem pediu para que tramitasse em regime de urgência.

Agora não!

Durante a entrega do projeto de reforma, Welington disse que não cogita chamar deputado para o governo.
Isso deixa suplente de deputado correndo às farmácias.

Galo

Wellington, porém, abre uma janela de experança: Ele ressalta que “nesse primeiro momento não, depois, quando voltarmos a normalidade podemos contar com esse auxílio”, disse.
Na certa, quer cozinhar o galo até aprovar as reformas com o voto dos deputados.

Conversa fake

O secretário de comunicação, João Rodrigues veio a público dizer que são montagens as conversas distribuídas via WhatsApp, onde ele aparece junto com outros jornalistas em situação nada republicana.
Rodrigues afirma que denunciou o caso à polícia e pediu investigação.

À luz do dia

Ninguém viu ou deu conta do criminoso que à luz do dia fez um verdadeiro desmantelamento de uma dezena de árvores no bairro Saci, zona Sul de Teresina.
Árvores centenárias foram derrubadas com motosserra por um louco que não gostava de bêbado desfrutando da sombra.
A delegacia de crimes ambientais serve pra quê, mesmo?

Ping-Pong

Fortalecendo a base

O jornalista Pedro Alcântara vai à Assembleia e puxa o deputado Júlio Arcoverde para ter uma “conversa franca” sobre a sua decisão de se licenciar do mandato para ser secretário de esportes e lazer do município.

Júlio Arcoverde: “Agora nós iremos fortalecer a base...”
Pedro Alcântara: “Fortalecer? Se o senhor é o vice-líder do governo e está é deixando a casa!!!...”
Júlio:  “Mas eu estou falando é do futebol de base...”

Expressas 

O TCE-PI deu início ao levantamento da situação das obras suspensas e paralisadas em todo o Piauí, que foram iniciadas a partir de 2009, cujo montante seja superior a R$ 1,5 milhão.

No Piauí, quase 38 mil devem sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS). Os valores variam de R$ 84 a R$ 998.

A Fundação Wall Ferraz recebeu um total de 1.080 inscrições para o Processo Seletivo de Instrutores que vão atuar nos cursos, oficinas e palestras que serão realizados em 2019.

A polícia das águas Apagão rodoviário

Mais lidas desse blog