1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Capitão da final e ídolo, Cássio vê críticas exageradas ao Corinthians
Publicidade

Capitão da final e ídolo, Cássio vê críticas exageradas ao Corinthians

Cássio admitiu nessa sexta-feira que será o capitão do Corinthians na grande final do Campeonato Paulista, domingo, às 16h, na Arena. “Ontem, ele (Carille) falou comigo, disse que eu seria o capitão”, contou o camisa 12, em entrevista coletiva após o treinamento no CT Joaquim Grava.

Assim, Cássio pode chegar ao seu nono título com a camisa do Timão e ter a oportunidade de erguer a taça pela quarta vez. Experiência e conhecimento de clube não faltam ao ídolo corintiano, que aproveitou o momento para rebater as críticas mais fortes que imprensa e torcedores estão fazendo nas últimas semanas sobre o desempenho da equipe.

Cássio pode chegar ao nono título com a camisa do Corinthians (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

“Não é possível que a gente chegue na final e não tenha méritos. Às vezes as críticas são um pouco exageradas em cima do Corinthians. Chegamos a uma final, jogamos em casa, lógico que vai ser muito difícil, mas estamos perto de um título”, comentou.

“Contra o Santos (em Itaquera), fizemos um grande jogo, saímos ganhando, tivemos maturidade, e pelo tempo de estar no clube, muitas vezes não ganhamos na qualidade, ganhamos na vontade, dedicação. Pode estar faltando um pouco de técnica, mas isso é uma marca do Corinthians. Não tenho sombra de dúvida da confiança, da vontade, dedicação. Vamos em busca de mais um título”.

O Corinthians não marca um gol há quatro partidas, já são 419 minutos sem comemorar um único tento e seu centroavante titular, no caso Gustagol, vive uma seca de cinco jogos. Nada disso, porém, preocupa Cássio para o Majestoso.

“Muitas vezes o ataque fez gol e a gente não conseguiu não tomar. Acontece, falta de gols não se deve só aos atacantes. A gente vem trabalhando, espero que a gente possa acabar com esse jejum, mas não adianta fazer bicho de sete cabeças. Às vezes eu acho que as críticas são exageradas. O time está na final do campeonato, está na Copa do Brasil, na Sul-Americana, jogamos contra o campeão argentino”, lembrou.

“Gustagol foi o artilheiro do país ano passado, Love é experiente, Boselli por onde passou foi artilheiro. Esperamos que domingo possamos acabar com essa sequência sem gols e lá atrás defender. Precisamos estar todos juntos”, concluiu o arqueiro.

Cássio admitiu nessa sexta-feira que será o capitão do Corinthians na grande final do Campeonato Paulista, domingo, às 16h, na Arena. “Ontem, ele (Carille) falou comigo, disse que eu seria o capitão”, contou o camisa 12, em entrevista coletiva após o treinamento no CT Joaquim Grava.

Assim, Cássio pode chegar ao seu nono título com a camisa do Timão e ter a oportunidade de erguer a taça pela quarta vez. Experiência e conhecimento de clube não faltam ao ídolo corintiano, que aproveitou o momento para rebater as críticas mais fortes que imprensa e torcedores estão fazendo nas últimas semanas sobre o desempenho da equipe.

Cássio pode chegar ao nono título com a camisa do Corinthians (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

“Não é possível que a gente chegue na final e não tenha méritos. Às vezes as críticas são um pouco exageradas em cima do Corinthians. Chegamos a uma final, jogamos em casa, lógico que vai ser muito difícil, mas estamos perto de um título”, comentou.

“Contra o Santos (em Itaquera), fizemos um grande jogo, saímos ganhando, tivemos maturidade, e pelo tempo de estar no clube, muitas vezes não ganhamos na qualidade, ganhamos na vontade, dedicação. Pode estar faltando um pouco de técnica, mas isso é uma marca do Corinthians. Não tenho sombra de dúvida da confiança, da vontade, dedicação. Vamos em busca de mais um título”.

O Corinthians não marca um gol há quatro partidas, já são 419 minutos sem comemorar um único tento e seu centroavante titular, no caso Gustagol, vive uma seca de cinco jogos. Nada disso, porém, preocupa Cássio para o Majestoso.

“Muitas vezes o ataque fez gol e a gente não conseguiu não tomar. Acontece, falta de gols não se deve só aos atacantes. A gente vem trabalhando, espero que a gente possa acabar com esse jejum, mas não adianta fazer bicho de sete cabeças. Às vezes eu acho que as críticas são exageradas. O time está na final do campeonato, está na Copa do Brasil, na Sul-Americana, jogamos contra o campeão argentino”, lembrou.

“Gustagol foi o artilheiro do país ano passado, Love é experiente, Boselli por onde passou foi artilheiro. Esperamos que domingo possamos acabar com essa sequência sem gols e lá atrás defender. Precisamos estar todos juntos”, concluiu o arqueiro.