1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Aos 18 anos, Júlia Beatriz vive expectativa de fechar primeiro contrato profissional
Publicidade

Aos 18 anos, Júlia Beatriz vive expectativa de fechar primeiro contrato profissional

Atacante viveu três temporadas no Tiradentes e agora terá seu primeiro clube fora do estado

Seguidas convocações para a seleção brasileira de base, participação no Mundial Sub 17 e disputas de Brasileirão. Aos 18 anos, a carreira de Júlia Beatriz no futebol foi construída em três temporada com a camisa do Tiradentes. 


(Foto: Jade Araujo/Portal AZ)

Mas agora a atacante tem um novo e maior desafio. Em negociação com o Iranduba-AM, Júlia vive a expectativa de fechar seu primeiro contrato profissional da carreira em seu primeiro clube fora do Piauí. 

- As expectativas estão as melhores possíveis, até porque será minha primeira experiência profissional fora de casa e estou com boas sensações para isso.

Com o fim da disputa do Brasileiro A2 para o Tiradentes, Júlia começou a ser sondada por clubes como o Foz Cataratas/Athlético Paranaense e o Internacional. Mas o "sim"  de Julia foi para o Iranduba que, segundo ela, ficou surpresa ao saber que o time amazonense tinha interesse em contrata-la.  

- O Iranduba é uma equipe muito boa que já participou de várias competições importantes. É um clube que já fez e faz muita história e fiquei bastante feliz de saber que tinham interesse em mim. Foi algo que sinceramente eu não esperava e me alegrou bastante. 


Julia em 2018 com a primeira medalha em competições com a seleção (Foto: Jade Araujo/Portal AZ)

Aguardando os trâmites legais para o fechar contrato, Júlia segue treinando com a base do Tiradentes no CFAP. Agora, com a ansiedade para começar a sua carreira fora do Piauí, seguindo os passos de Adriana (Corinthians), Valéria (São Paulo) e mais recente a amiga Thays Ferrer (Foz Cataratas), que sairam do Tiradentes para outros grandes clubes do país, Júlia vai ter a missão de estrear em outras competições. 

Isso porque, o Iranduba disputa ainda este ano o Brasileiro Feminino A1, onde ocupa a oitava posição, além do Estadual e o Brasileiro Sub-18. 
 

Seguidas convocações para a seleção brasileira de base, participação no Mundial Sub 17 e disputas de Brasileirão. Aos 18 anos, a carreira de Júlia Beatriz no futebol foi construída em três temporada com a camisa do Tiradentes. 


(Foto: Jade Araujo/Portal AZ)

Mas agora a atacante tem um novo e maior desafio. Em negociação com o Iranduba-AM, Júlia vive a expectativa de fechar seu primeiro contrato profissional da carreira em seu primeiro clube fora do Piauí. 

- As expectativas estão as melhores possíveis, até porque será minha primeira experiência profissional fora de casa e estou com boas sensações para isso.

Com o fim da disputa do Brasileiro A2 para o Tiradentes, Júlia começou a ser sondada por clubes como o Foz Cataratas/Athlético Paranaense e o Internacional. Mas o "sim"  de Julia foi para o Iranduba que, segundo ela, ficou surpresa ao saber que o time amazonense tinha interesse em contrata-la.  

- O Iranduba é uma equipe muito boa que já participou de várias competições importantes. É um clube que já fez e faz muita história e fiquei bastante feliz de saber que tinham interesse em mim. Foi algo que sinceramente eu não esperava e me alegrou bastante. 


Julia em 2018 com a primeira medalha em competições com a seleção (Foto: Jade Araujo/Portal AZ)

Aguardando os trâmites legais para o fechar contrato, Júlia segue treinando com a base do Tiradentes no CFAP. Agora, com a ansiedade para começar a sua carreira fora do Piauí, seguindo os passos de Adriana (Corinthians), Valéria (São Paulo) e mais recente a amiga Thays Ferrer (Foz Cataratas), que sairam do Tiradentes para outros grandes clubes do país, Júlia vai ter a missão de estrear em outras competições. 

Isso porque, o Iranduba disputa ainda este ano o Brasileiro Feminino A1, onde ocupa a oitava posição, além do Estadual e o Brasileiro Sub-18.