1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Nos acréscimos, Holanda vence a Nova Zelândia pela Copa do Mundo feminina
Publicidade

Nos acréscimos, Holanda vence a Nova Zelândia pela Copa do Mundo feminina

Resultado veio depois de muita insistência em um jogo bem montado defensivamente pela Nova Zelândia

Começando as disputas desta terça (11) da Copa do Mundo feminina, Nova Zelandia e Holanda entram em campo buscando assumir a liderança do grupo. Em sua quinta participação, a Nova Zelandia buscava vencer seu primeiro jogo em Copa do Mundo. 


Holandesas marcaram nos acréscimos (Foto: divulgação/FIFA)

A adversária era a favorita  Holanda que tentou em 90 minutos furar o bloqueio da Nova Zelandia. Dentro da sua proposta, a seleção da oceania conseguiu ter uma aplicação defensiva muito grande e fez uma grande partida defensivamente. O gol veio nos acréscimos com jogada áerea e finalização de Roord. 

O resultado deixou Holanda e Canadá dividindo a lideraça com três pontos marcados e um gol de saldo. Na sequência, Camarões e Nova Zelândia fecham a classificação do grupo E. 

Arbitragem brasileira

A árbitra brasileira Edna Batista, que recentemente fez história ao apitar, depois de 14 anos, uma partida masculina da Série A do Campeonato Brasileiro, o jogo entre CSA e Goiás, é a representante do Brasil na Copa do Mundo.  

De igual para igual

Uma das grandes apostas para brigar pelo título Mundial, o Holanda acabou fazendo um primeiro tempo de igual para igual com a Noza Zelândia. Com uma boa marcação, a Nova Zelândia apostava nos contra-ataques e na marcação alta na saida de bola da Holanda. 

Foi desta forma que a Nova Zelândia esteve mais perto de abrir o placar na primeira etapa, com Chance acertando o travessão e White parando na defesa da goleira Van Veenendaal. A Holanda apostava em jogadas pelas laterais, toques rápidos e bolas altas e teve nos pés de Bloodworth a melhor chance. 

Bloodworth

No primeito tempo, a melhor chance da Holanda foi nos acrescimos. Após lançamento de bola na area, a goleira deu um soco, mas a bola voltou e sobrou para a zagueira Bloodworth que de cara para o gol vazio bateu para fora. 

Pressão e gol

A Holanda veio para o segundo tempo com uma atuação melhor. Pressionando mais, a seleção holandesa conseguiu criar grandes chances, mas seguia parando na boa estratégia defensiva da Nova Zelândia. 


Roord  comemora gol marcado (Foto: divulgação/FIFA)

Porém a insistencia acabou levando a melhor e coroando as holandesas. Aos 47 minutos do segundo tempo, cruzamento na área,  Roord pegou a sobra e cabeceou para o fundo do gol neozelandes. 
 

Começando as disputas desta terça (11) da Copa do Mundo feminina, Nova Zelandia e Holanda entram em campo buscando assumir a liderança do grupo. Em sua quinta participação, a Nova Zelandia buscava vencer seu primeiro jogo em Copa do Mundo. 


Holandesas marcaram nos acréscimos (Foto: divulgação/FIFA)

A adversária era a favorita  Holanda que tentou em 90 minutos furar o bloqueio da Nova Zelandia. Dentro da sua proposta, a seleção da oceania conseguiu ter uma aplicação defensiva muito grande e fez uma grande partida defensivamente. O gol veio nos acréscimos com jogada áerea e finalização de Roord. 

O resultado deixou Holanda e Canadá dividindo a lideraça com três pontos marcados e um gol de saldo. Na sequência, Camarões e Nova Zelândia fecham a classificação do grupo E. 

Arbitragem brasileira

A árbitra brasileira Edna Batista, que recentemente fez história ao apitar, depois de 14 anos, uma partida masculina da Série A do Campeonato Brasileiro, o jogo entre CSA e Goiás, é a representante do Brasil na Copa do Mundo.  

De igual para igual

Uma das grandes apostas para brigar pelo título Mundial, o Holanda acabou fazendo um primeiro tempo de igual para igual com a Noza Zelândia. Com uma boa marcação, a Nova Zelândia apostava nos contra-ataques e na marcação alta na saida de bola da Holanda. 

Foi desta forma que a Nova Zelândia esteve mais perto de abrir o placar na primeira etapa, com Chance acertando o travessão e White parando na defesa da goleira Van Veenendaal. A Holanda apostava em jogadas pelas laterais, toques rápidos e bolas altas e teve nos pés de Bloodworth a melhor chance. 

Bloodworth

No primeito tempo, a melhor chance da Holanda foi nos acrescimos. Após lançamento de bola na area, a goleira deu um soco, mas a bola voltou e sobrou para a zagueira Bloodworth que de cara para o gol vazio bateu para fora. 

Pressão e gol

A Holanda veio para o segundo tempo com uma atuação melhor. Pressionando mais, a seleção holandesa conseguiu criar grandes chances, mas seguia parando na boa estratégia defensiva da Nova Zelândia. 


Roord  comemora gol marcado (Foto: divulgação/FIFA)

Porém a insistencia acabou levando a melhor e coroando as holandesas. Aos 47 minutos do segundo tempo, cruzamento na área,  Roord pegou a sobra e cabeceou para o fundo do gol neozelandes.