1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Philippe Coutinho espera um Brasil ainda mais forte contra o Paraguai
Publicidade

Philippe Coutinho espera um Brasil ainda mais forte contra o Paraguai

Camisa 11 da Seleção Brasileira diz que time está em evolução e atuação irreparável contra o Peru passa a ser o mínimo buscado pelo grupo

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Philippe Coutinho afirmou que o Brasil não escolheria adversário nas quartas de final da Copa América. Na última segunda-feira (24), a Seleção ainda não conhecia seu oponente, que poderia ser Japão, Equador, Uruguai e Paraguai. Em coletiva de imprensa, Coutinho enfatizou que qual fosse a seleção classificada, a equipe brasileira iria trabalhar para fazer o seu melhor. Após a atuação irreparável sobre o Peru, fazer algo melhor pode parecer difícil. Não para o camisa 11. A Seleção Brasileira pode fazer diante do Paraguai um jogo ainda melhor do que fez contra os peruanos.

– Nós estamos sempre tentando melhorar. O professor nos cobra isso. A Copa América é uma competição muito difícil. No jogo de estreia tivemos dificuldades, seguimos contra a Venezuela e no terceiro jogo mostramos evolução, crescimento. Esperamos que o nosso jogo seja daí para a melhor. 

Coutinho foi eleito o melhor em campo nos dois primeiros jogos da Copa América e é, ao lado de Everton Cebolinha, o artilheiro do Brasil na competição. É um dos pilares do sistema de construção das jogadas do time brasileiro, que detém os melhores números ofensivos após o termino da primeira fase, com média de posse de bola acima de 68%. 

– O cara (Tite) pede para estarmos concentrados ao máximo em todos os treinamentos. A gente espera sempre reverter essa nossa posse de bola em gols. Conseguimos no último jogo e é o nosso objetivo daqui para frente – avisou o meio campista. 

Dono de um futebol refinado, com muita criatividade, dribles e gols, Philippe Coutinho carrega consigo o DNA do futebol brasileiro, principalmente àquele que tornou a Seleção Brasileira conhecida em todo mundo. Uma obrigação quase litúrgica pelo jogo bonito.

– Aqui na Seleção, a nossa responsabilidade é muito grande. Queremos sempre jogar bem. O Brasil sempre fez muitos bons jogadores, tem cinco mundiais. A expectativa é sempre a mesma quando vestimos a camisa da Seleção Brasileira – comentou. 

Contra o Paraguai, a Seleção terá mais uma chance de se conectar com o torcedor. No jogo contra o Peru, os aplausos e gritos de olé começaram bem cedo, ainda no primeiro tempo. Jogando em casa, Coutinho e a Seleção só querem continuar dando alegrias para o povo:

– Muito importante o carinho da torcida. A gente vê já no aeroporto, na porta do hotel, pessoal desejando força. Isso nos motiva ainda mais. A gente sabe que quando veste essa camisa somos cobrados.  Esperamos continuar evoluindo e crescendo junto com a torcida.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Philippe Coutinho afirmou que o Brasil não escolheria adversário nas quartas de final da Copa América. Na última segunda-feira (24), a Seleção ainda não conhecia seu oponente, que poderia ser Japão, Equador, Uruguai e Paraguai. Em coletiva de imprensa, Coutinho enfatizou que qual fosse a seleção classificada, a equipe brasileira iria trabalhar para fazer o seu melhor. Após a atuação irreparável sobre o Peru, fazer algo melhor pode parecer difícil. Não para o camisa 11. A Seleção Brasileira pode fazer diante do Paraguai um jogo ainda melhor do que fez contra os peruanos.

– Nós estamos sempre tentando melhorar. O professor nos cobra isso. A Copa América é uma competição muito difícil. No jogo de estreia tivemos dificuldades, seguimos contra a Venezuela e no terceiro jogo mostramos evolução, crescimento. Esperamos que o nosso jogo seja daí para a melhor. 

Coutinho foi eleito o melhor em campo nos dois primeiros jogos da Copa América e é, ao lado de Everton Cebolinha, o artilheiro do Brasil na competição. É um dos pilares do sistema de construção das jogadas do time brasileiro, que detém os melhores números ofensivos após o termino da primeira fase, com média de posse de bola acima de 68%. 

– O cara (Tite) pede para estarmos concentrados ao máximo em todos os treinamentos. A gente espera sempre reverter essa nossa posse de bola em gols. Conseguimos no último jogo e é o nosso objetivo daqui para frente – avisou o meio campista. 

Dono de um futebol refinado, com muita criatividade, dribles e gols, Philippe Coutinho carrega consigo o DNA do futebol brasileiro, principalmente àquele que tornou a Seleção Brasileira conhecida em todo mundo. Uma obrigação quase litúrgica pelo jogo bonito.

– Aqui na Seleção, a nossa responsabilidade é muito grande. Queremos sempre jogar bem. O Brasil sempre fez muitos bons jogadores, tem cinco mundiais. A expectativa é sempre a mesma quando vestimos a camisa da Seleção Brasileira – comentou. 

Contra o Paraguai, a Seleção terá mais uma chance de se conectar com o torcedor. No jogo contra o Peru, os aplausos e gritos de olé começaram bem cedo, ainda no primeiro tempo. Jogando em casa, Coutinho e a Seleção só querem continuar dando alegrias para o povo:

– Muito importante o carinho da torcida. A gente vê já no aeroporto, na porta do hotel, pessoal desejando força. Isso nos motiva ainda mais. A gente sabe que quando veste essa camisa somos cobrados.  Esperamos continuar evoluindo e crescendo junto com a torcida.