1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Com parte do elenco renovado, Seleção Piauiense inicia preparação para Brasileiro
Publicidade

Com parte do elenco renovado, Seleção Piauiense inicia preparação para Brasileiro

Apenas duas atletas permanecem no elenco que ficou com a sexta posição em 2018

Aos poucos, a seleção piauiense feminina Sub-18 vai encorpoando para a disputa do Campeonato Brasileiro de seleções 2ª divisão, que será realizado em Domingos Martins, Espirito Santo, entre os dias 24 a 29 de setembro. 


Parte do elenco convocado pela federação para disputar a competição (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Piauí, Sergipe, Bahia, Tocantins, Roraima, Amazonas, Espirito Santo e Mato Grosso de Sul são os estados que disputam o título da competição. A seleção do Piauí será treinada pelo técnico Mano, que no primeiro momento convocou 16 atletas, mas terá a missão de reduzir esse elenco para 10 até o início da competição. 

Com um período de pouco mais de três meses para ajustar a equipe, Augusto César, o Mano, aposta em um time capaz de ficar entre os quatro melhores estados do país. 

“O Piauí está dentro dessa divisão. Apenas os três primeiros avançam de divisão, então o nosso proposito é a gente ficar etntre os cinco ou chegue a semifinal, ficando entre as quatro melhores seleções”


Mano (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Para chegar lá, a seleção iniciou seus treinos essa semana após a apresentação de parte do elenco. Com larga experiência no vôleibol do estado, Mano ainda falou sobre a necessidade de se difundir o esporte nas escolas para que esses atletas cheguem mais fortes a seleção. 

“O grupo é todo renovado. Algumas estiveram no Brasileiro de seleções da categoria menor e subiram de categoria. Então assim, é preciso que na categoria de base, que começa na escola, é preciso que a escola faça um trabalho de massificação do esporte para em seguida esse aluno passar a ser atleta. Vejo que é preciso que se tenham mais equipes para retirarmos essas atletas que irão compor as seleções”

Dupla experiente


Maria Clara e Marilia Gabriele (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Com um grupo renovado, a maior parte das atletas não conhecem seus adversários. Mas entre os dezesseis nomes que compõem a seleção, dois já somam a experiencia de ter disputado mais de um brasileiro na curta carreira dentro do vôlei. Para Mano, ambas serão pontos chaves dentro da seleção para este ano. 

Marilia Gabriele tem 15 anos e soma três disputas de Brasileiro. Ela faz parte do elenco que em 2018 conquistou a sexta posição na competição nacional e foi destaque no Brasileiro Sub-16 no ano passado. 

“A gente vai chegar lá com o proposito de fazer uma boa competição. Estamos aqui para isso. Esse ano nossa seleção está mais forte. Para mim é muito bom disputar, pois é mais experiência que pegamos. Lá fora o nível é mais alto, mas estou aqui para ajudar as meninas”


Treinos realizados no centro da cidade (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Aos 17 anos, Maria Clara faz seu último brasileiro na categoria. No seu histórico, a levantadora soma dois brasileiros e se torna uma referencia no grupo pelos cinco anos de prática da modalidade. 

“A nossa experiência do ano passado foi de conhecer mesmo as várias seleções do Brasil. É muito dificil, mas o time desse ano tem uma base totalemnte nova, claro que são pessoas que não estamos acostumadas a jogar, mas a nossa esperança é ter um time bom para chegar lá e fazer uma boa competição”
 

Aos poucos, a seleção piauiense feminina Sub-18 vai encorpoando para a disputa do Campeonato Brasileiro de seleções 2ª divisão, que será realizado em Domingos Martins, Espirito Santo, entre os dias 24 a 29 de setembro. 


Parte do elenco convocado pela federação para disputar a competição (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Piauí, Sergipe, Bahia, Tocantins, Roraima, Amazonas, Espirito Santo e Mato Grosso de Sul são os estados que disputam o título da competição. A seleção do Piauí será treinada pelo técnico Mano, que no primeiro momento convocou 16 atletas, mas terá a missão de reduzir esse elenco para 10 até o início da competição. 

Com um período de pouco mais de três meses para ajustar a equipe, Augusto César, o Mano, aposta em um time capaz de ficar entre os quatro melhores estados do país. 

“O Piauí está dentro dessa divisão. Apenas os três primeiros avançam de divisão, então o nosso proposito é a gente ficar etntre os cinco ou chegue a semifinal, ficando entre as quatro melhores seleções”


Mano (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Para chegar lá, a seleção iniciou seus treinos essa semana após a apresentação de parte do elenco. Com larga experiência no vôleibol do estado, Mano ainda falou sobre a necessidade de se difundir o esporte nas escolas para que esses atletas cheguem mais fortes a seleção. 

“O grupo é todo renovado. Algumas estiveram no Brasileiro de seleções da categoria menor e subiram de categoria. Então assim, é preciso que na categoria de base, que começa na escola, é preciso que a escola faça um trabalho de massificação do esporte para em seguida esse aluno passar a ser atleta. Vejo que é preciso que se tenham mais equipes para retirarmos essas atletas que irão compor as seleções”

Dupla experiente


Maria Clara e Marilia Gabriele (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Com um grupo renovado, a maior parte das atletas não conhecem seus adversários. Mas entre os dezesseis nomes que compõem a seleção, dois já somam a experiencia de ter disputado mais de um brasileiro na curta carreira dentro do vôlei. Para Mano, ambas serão pontos chaves dentro da seleção para este ano. 

Marilia Gabriele tem 15 anos e soma três disputas de Brasileiro. Ela faz parte do elenco que em 2018 conquistou a sexta posição na competição nacional e foi destaque no Brasileiro Sub-16 no ano passado. 

“A gente vai chegar lá com o proposito de fazer uma boa competição. Estamos aqui para isso. Esse ano nossa seleção está mais forte. Para mim é muito bom disputar, pois é mais experiência que pegamos. Lá fora o nível é mais alto, mas estou aqui para ajudar as meninas”


Treinos realizados no centro da cidade (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Aos 17 anos, Maria Clara faz seu último brasileiro na categoria. No seu histórico, a levantadora soma dois brasileiros e se torna uma referencia no grupo pelos cinco anos de prática da modalidade. 

“A nossa experiência do ano passado foi de conhecer mesmo as várias seleções do Brasil. É muito dificil, mas o time desse ano tem uma base totalemnte nova, claro que são pessoas que não estamos acostumadas a jogar, mas a nossa esperança é ter um time bom para chegar lá e fazer uma boa competição”