1. Editorias
  2. AZ nas Eleições
  3. Procurador aparece em vídeo gritando para homem remover adesivo de Bolsonaro de veículo
Publicidade

Procurador aparece em vídeo gritando para homem remover adesivo de Bolsonaro de veículo

O Portal AZ havia noticiado que servidores do TRE-PI estavam atrás do carro

O Procurador Regional Eleitoral, Patrício Noé, flagrou na tarde desta terça-feira (02), o proprietário do carro modelo Ford/Galaxie Ano 1979/1979, que circula pelas ruas de Teresina com adesivo do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), propaganda proibida pela legislação eleitoral.

Foto: reprodução internet

Em vídeo que circula nas redes sociais, o Procurador aparece gritando com um homem que seria o proprietário do veículo.

Nas imagens Noé grita: “Tá esperando o quê?”, diz ao suposto dono do carro.

O proprietário, por sua vez, afirma que vai tirar o veículo. “Vou tirar sim, senhor”, afirma ele que em seguida solicita a identificação do Procurador, que logo mostra a carteira do MPF.

O caso

No sábado, o Portal AZ noticiou que o Procurador Eleitoral Leonardo Carvalho Cavalcante, apresentou ação requisitando a retirada do adesivo do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) do veículo.

Foto: reprodução internet

Na petição, o procurador alega que o adesivo descumpre o parágrafo 3º do artigo 15º resolução nº 23.551/2017 do Tribunal Superior Eleitoral que discorre que “É proibido colar propaganda eleitoral em veículos, exceto adesivos microperfurados até a extensão total do para-brisa traseiro e, em outras posições, adesivos que não excedam a 0,5m²”.

Ainda segundo o procurador, “convém registrar que “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos” é o nome da coligação pela qual concorre o mencionado candidato, sendo evidente a caracterização dos artefatos como instrumentos de propaganda eleitoral”, afirma o procurador.

Leonardo Carvalho Cavalcante pede ainda que os servidores do TRE se desloque até  local onde possa ser encontrado o veículo afim de se verificar a irregularidade, que caso seja comprovada, o material deve ser removido e levado ao depósito do tribunal.

Assista ao vídeo abaixo:

O Portal AZ apurou que o veículo pertence a um empresário identificado apenas como Thiago.

O Procurador Regional Eleitoral, Patrício Noé, flagrou na tarde desta terça-feira (02), o proprietário do carro modelo Ford/Galaxie Ano 1979/1979, que circula pelas ruas de Teresina com adesivo do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), propaganda proibida pela legislação eleitoral.

Foto: reprodução internet

Em vídeo que circula nas redes sociais, o Procurador aparece gritando com um homem que seria o proprietário do veículo.

Nas imagens Noé grita: “Tá esperando o quê?”, diz ao suposto dono do carro.

O proprietário, por sua vez, afirma que vai tirar o veículo. “Vou tirar sim, senhor”, afirma ele que em seguida solicita a identificação do Procurador, que logo mostra a carteira do MPF.

O caso

No sábado, o Portal AZ noticiou que o Procurador Eleitoral Leonardo Carvalho Cavalcante, apresentou ação requisitando a retirada do adesivo do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) do veículo.

Foto: reprodução internet

Na petição, o procurador alega que o adesivo descumpre o parágrafo 3º do artigo 15º resolução nº 23.551/2017 do Tribunal Superior Eleitoral que discorre que “É proibido colar propaganda eleitoral em veículos, exceto adesivos microperfurados até a extensão total do para-brisa traseiro e, em outras posições, adesivos que não excedam a 0,5m²”.

Ainda segundo o procurador, “convém registrar que “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos” é o nome da coligação pela qual concorre o mencionado candidato, sendo evidente a caracterização dos artefatos como instrumentos de propaganda eleitoral”, afirma o procurador.

Leonardo Carvalho Cavalcante pede ainda que os servidores do TRE se desloque até  local onde possa ser encontrado o veículo afim de se verificar a irregularidade, que caso seja comprovada, o material deve ser removido e levado ao depósito do tribunal.

Assista ao vídeo abaixo:

O Portal AZ apurou que o veículo pertence a um empresário identificado apenas como Thiago.