1. Editorias
  2. AZ nas Eleições
  3. Associação denuncia que policiais que fazem reforço da segurança no 2º turno no interior do Piauí não receberam diárias
Publicidade

Associação denuncia que policiais que fazem reforço da segurança no 2º turno no interior do Piauí não receberam diárias

Serão 5.478 policiais militares, sendo estes distribuídos nos 224 municípios do Estado do Piauí

A Associação beneficente dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares do Estado do Piauí (ABECSPI) denuncia que alguns batalhões do interior do Estado não pagaram as diárias dos policiais Praças que viajaram para segurança durante a votação no 2º turno das eleições, que acontece neste domingo (28).

De acordo com associação, os oficiais responsáveis retardaram a documentação necessária para fins de pagamento das diárias dos policiais militares escalados no pleito eleitoral para o 2ºturno.

Ainda, de acordo com nota divulgada pela ABECSPI, os oficiais escalados para o reforço da segurança no 2º turno já receberam suas diárias, enquanto que os Praças não. A associação pede a apuração da denuncia por parte da Corregedoria da Polícia Militar.

Foto:Polícia Militar

A assessoria de comunicação da Polícia Militar do Piauí informou que todas as diárias e as operações planejadas da PM foram repassadas ao setor financeiro na quinta-feira (25), e que em o que o pode ter ocorrido de não cair na conta do militar, pode ser devido a compensação do banco.

“Todas as diárias e planejadas já foram pagas. Na segunda-feira, depois da compensação do banco será creditado na conta bancária”, afirma coronel Elza Rodrigues.

A Operação

A Polícia Militar do Piauí deu início a Operação Eleições 2º Turno, na quinta-feira (25), com o embarque do efetivo saindo de 12 unidades da capital para o interior do Estado. Serão 5.478 policiais militares, sendo estes distribuídos nos 224 municípios do Estado do Piauí.

Segundo a Secretaria de Segurança, na capital e no interior do estado totalizam 3.608 locais de votação, os policiais permanecerão nesses locais desde a chegada da urna fazendo a guarda dela e no dia da votação.

De acordo com o Coordenador Geral de Operações, coronel Márcio Oliveira, o policiamento ostensivo será reforçado.

“Nós teremos viaturas e motocicletas circulando diuturnamente, as guardas dos quartéis e dos presídios serão mantidas. Temos tropas reservas para serem deslocadas para qualquer emergência, tanto para o interior do estado quanto para a capital. Todos os grandes comandos estão integrados, são 82 zonas eleitorais e nelas teremos um oficial superior acompanhando o juiz de cada zona, a disposição da Justiça Eleitoral, nós teremos um capitão ou tenente comandando o policiamento e servindo de ligação entre a justiça eleitoral e a nossa tropa”, explica.

Confira a nota da ABECSPI na íntegra:

Associação Beneficente dos Cabos e Soldados da Policia Militar e Bombeiros Militares do Estado do Piaui – ABECSPI, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ nº 00.646.099/0001-0, sediada em Teresina-PI a Rua Heitor Castelo Branco nº 2910 – Ilhotas, CEP 64.001-320, sendo, hordiemente representada legalmente por AGNALDO JOSÉ DE OLIVEIRA, brasileiro, casado, Cabo da Policia Militar do Estado do Piauí, inscrito no RG Militar sob nº 108594-89, tendo domicilio no endereço supracitado.

Vem registrar o seu absoluto repudio e indignação pela falta de zelo para com os policiais militares de alguns batalhões do interior do Piauí, onde na ocasião viajaram para vigiar as urnas eletrônicas do TRE no 2º turno das eleições presidenciais, tal fato deverá ser apurado no âmbito da corporação policial militar PMPI, afim de apurar a irresponsabilidade de alguns oficiais que retardaram a documentação para fins de pagamento das diárias dos policiais militares escalados no pleito eleitoral 2º turno.

Entendemos e valorizamos o direito à ampla defesa e contraditório, mas também, o dever de agir com responsabilidade, respeito ao próximo, bem como a seus subordinados. A aplicação constante da responsabilidade em defesa dos militares (PRAÇAS) da PMPI, que até a presente data não receberam suas diárias, como estão passando esses militares (PRAÇAS) sem suas diárias, tais responsabilidades devem ser igualitárias dentro da corporação policial militar, mas nesta oportunidades veio a grande falha por parte de alguns comandantes de unidades ou subunidades. Onde os oficiais receberam suas diárias e as Praças não.

Temos uma constituição que promove a igualdade de Direitos e estabelece os Deveres de todos para com todos. Somos signatários e participantes de um largo número de entidades e organizações que promovem os Direitos Humanos.

Ficamos desapontados pela irresponsabilidade de alguns oficiais que não atentaram para o bem estar dos militares que já estavam contando com essas diárias para se manterem, bem como suprir no mínimo de suas 03 (três) refeições diárias, mas infelizmente foram tolhidos.

Confiamos na palavra do Subcomandante geral da PMPI, que prontamente atendeu nossa reivindicação a respeito das diárias dos militares estaduais, e, prontamente foi a quem de direito, mas ainda nada de diárias depositadas nas contas de nossos praças, quem pagará pelo constrangimento que cada policial militar (PRAÇAS) está sofrendo. A irresponsabilidade se fosse por parte de algum PRAÇA, creio eu que ele já estaria era preso, mas como se trata de oficial as coisas são diferentes, estamos sabendo que os oficiais receberam suas diárias e o prejudicado ainda sempre é os PRAÇAS da PMPI, pois ainda somos nós que seguramos a segurança pública deste estado, seja qual for a modalidade de policiamento ou até mesmo em vigiar urnas eleitorais que não é de responsabilidade nossa.

Queremos a apuração e punição imediata deste oficial que falhou em deixar nossos militares sem diárias e passando serias necessidades por não ter condições nem se quer de comprar uma água mineral para saciar sua sede.

Att. Cb Pm Agnaldo – Presidente da ABECS-PI.
“QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER.”

 

A Associação beneficente dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares do Estado do Piauí (ABECSPI) denuncia que alguns batalhões do interior do Estado não pagaram as diárias dos policiais Praças que viajaram para segurança durante a votação no 2º turno das eleições, que acontece neste domingo (28).

De acordo com associação, os oficiais responsáveis retardaram a documentação necessária para fins de pagamento das diárias dos policiais militares escalados no pleito eleitoral para o 2ºturno.

Ainda, de acordo com nota divulgada pela ABECSPI, os oficiais escalados para o reforço da segurança no 2º turno já receberam suas diárias, enquanto que os Praças não. A associação pede a apuração da denuncia por parte da Corregedoria da Polícia Militar.

ddd

Foto:Polícia Militar

A assessoria de comunicação da Polícia Militar do Piauí informou que todas as diárias e as operações planejadas da PM foram repassadas ao setor financeiro na quinta-feira (25), e que em o que o pode ter ocorrido de não cair na conta do militar, pode ser devido a compensação do banco.

“Todas as diárias e planejadas já foram pagas. Na segunda-feira, depois da compensação do banco será creditado na conta bancária”, afirma coronel Elza Rodrigues.

A Operação

A Polícia Militar do Piauí deu início a Operação Eleições 2º Turno, na quinta-feira (25), com o embarque do efetivo saindo de 12 unidades da capital para o interior do Estado. Serão 5.478 policiais militares, sendo estes distribuídos nos 224 municípios do Estado do Piauí.

Segundo a Secretaria de Segurança, na capital e no interior do estado totalizam 3.608 locais de votação, os policiais permanecerão nesses locais desde a chegada da urna fazendo a guarda dela e no dia da votação.

De acordo com o Coordenador Geral de Operações, coronel Márcio Oliveira, o policiamento ostensivo será reforçado.

“Nós teremos viaturas e motocicletas circulando diuturnamente, as guardas dos quartéis e dos presídios serão mantidas. Temos tropas reservas para serem deslocadas para qualquer emergência, tanto para o interior do estado quanto para a capital. Todos os grandes comandos estão integrados, são 82 zonas eleitorais e nelas teremos um oficial superior acompanhando o juiz de cada zona, a disposição da Justiça Eleitoral, nós teremos um capitão ou tenente comandando o policiamento e servindo de ligação entre a justiça eleitoral e a nossa tropa”, explica.

Confira a nota da ABECSPI na íntegra:

Associação Beneficente dos Cabos e Soldados da Policia Militar e Bombeiros Militares do Estado do Piaui – ABECSPI, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ nº 00.646.099/0001-0, sediada em Teresina-PI a Rua Heitor Castelo Branco nº 2910 – Ilhotas, CEP 64.001-320, sendo, hordiemente representada legalmente por AGNALDO JOSÉ DE OLIVEIRA, brasileiro, casado, Cabo da Policia Militar do Estado do Piauí, inscrito no RG Militar sob nº 108594-89, tendo domicilio no endereço supracitado.

Vem registrar o seu absoluto repudio e indignação pela falta de zelo para com os policiais militares de alguns batalhões do interior do Piauí, onde na ocasião viajaram para vigiar as urnas eletrônicas do TRE no 2º turno das eleições presidenciais, tal fato deverá ser apurado no âmbito da corporação policial militar PMPI, afim de apurar a irresponsabilidade de alguns oficiais que retardaram a documentação para fins de pagamento das diárias dos policiais militares escalados no pleito eleitoral 2º turno.

Entendemos e valorizamos o direito à ampla defesa e contraditório, mas também, o dever de agir com responsabilidade, respeito ao próximo, bem como a seus subordinados. A aplicação constante da responsabilidade em defesa dos militares (PRAÇAS) da PMPI, que até a presente data não receberam suas diárias, como estão passando esses militares (PRAÇAS) sem suas diárias, tais responsabilidades devem ser igualitárias dentro da corporação policial militar, mas nesta oportunidades veio a grande falha por parte de alguns comandantes de unidades ou subunidades. Onde os oficiais receberam suas diárias e as Praças não.

Temos uma constituição que promove a igualdade de Direitos e estabelece os Deveres de todos para com todos. Somos signatários e participantes de um largo número de entidades e organizações que promovem os Direitos Humanos.

Ficamos desapontados pela irresponsabilidade de alguns oficiais que não atentaram para o bem estar dos militares que já estavam contando com essas diárias para se manterem, bem como suprir no mínimo de suas 03 (três) refeições diárias, mas infelizmente foram tolhidos.

Confiamos na palavra do Subcomandante geral da PMPI, que prontamente atendeu nossa reivindicação a respeito das diárias dos militares estaduais, e, prontamente foi a quem de direito, mas ainda nada de diárias depositadas nas contas de nossos praças, quem pagará pelo constrangimento que cada policial militar (PRAÇAS) está sofrendo. A irresponsabilidade se fosse por parte de algum PRAÇA, creio eu que ele já estaria era preso, mas como se trata de oficial as coisas são diferentes, estamos sabendo que os oficiais receberam suas diárias e o prejudicado ainda sempre é os PRAÇAS da PMPI, pois ainda somos nós que seguramos a segurança pública deste estado, seja qual for a modalidade de policiamento ou até mesmo em vigiar urnas eleitorais que não é de responsabilidade nossa.

Queremos a apuração e punição imediata deste oficial que falhou em deixar nossos militares sem diárias e passando serias necessidades por não ter condições nem se quer de comprar uma água mineral para saciar sua sede.

Att. Cb Pm Agnaldo – Presidente da ABECS-PI.
“QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER.”