Editorias
  1. Justiça
  2. Justiça decreta prisão preventiva de Moaci Moura por descumprimento de medidas cautelares
Publicidade

Justiça decreta prisão preventiva de Moaci Moura por descumprimento de medidas cautelares

Moaci Moura da Silva Junior é acusado de provocar o acidente que matou os irmãos Bruno Queiróz e Junior Araújo, idealizador do coletivo Salve Rainha

(Atualizada às 13h13)

A Segunda Câmara Especializada Criminal decretou a prisão preventiva de Moaci Moura da Silva Junior, acusado de provocar o acidente que matou os irmãos Bruno Queiróz e Francisco da Chagas Araújo Júnior, idealizador do coletivo Salve Rainha.

Moaci Moura. Foto: Reprodução

Segundo a decisão, que tem como relator o desembargador Sebastião Ribeiro Martins, a prisão preventiva foi motivada pelo descumprimento das medidas cautelares.

“A prisão preventiva está devidamente justificada no descumprimento das medidas cautelares anteriormente impostas quando deferida  a liberdade provisória, circunstância suficiente à demonstração do perigo relacionado a liberdade do ora recorrente”, diz a decisão.

Moaci Moura estava respondendo ao processo em liberdade e cumprindo medidas cautelares. O pedido da prisão preventiva foi formulado pelo assistente de acusação Francisco das Chagas de Araújo Costa, pai das vítimas, pela suposta quebra dessas medidas.

“Moaci se ausentou da comarca sem a devida autorização judicial e frequentou bares, ingeriu bebida alcoólica, dirigiu veículos mesmo estando proibido”, alegou. 

Ainda segundo a decisão, nos autos há o print de uma foto publicada em rede social do Moaci em que ele estaria se despedindo de um amigo, o qual indica que ele estaria deixando a cidade de Teresina.

Dentre as medidas cautelares que Moaci não poderia descumprir estão: “suspensão da permissão ou habilitação para dirigir veículo automotor por seis meses; recolhimento domiciliar noturno e dias de folga das 21h às 05h. Não frequentar bares, boates ou similares; comparecimento mensal em juízo sempre que intimado e proibição de ausentar da Comarca sem prévia autorização”.

Foto: Reprodução

Além do homicídio de Bruno e Junior Araújo, o jovem também é acusado de lesão corporal grave contra o jornalista Jader Damasceno.  

O acidente

A colisão aconteceu no dia 26 de junho de 2016 quando Bruno, Francisco e Jader Damasceno deixavam o Parque da Cidadania. O fusca em que os três estavam foi atingido violentamente pelo Corolla dirigido por Moaci na Avenida Miguel Rosa. 

Foto: Reprodução

Bruno morreu no local, o irmão ainda resistiu quatro dias no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

Veja o vídeo abaixo: