1. Editorias
  2. Saúde
  3. Médicos ameaçam paralisar atendimentos por falta de pagamento
Publicidade

Médicos ameaçam paralisar atendimentos por falta de pagamento

Sindicato alega atraso nas faturas de setembro e outubro de 2018

Os médicos que prestam serviços pelo IASPI/PLAMTA ameaçam paralisar os atendimentos na próxima terça-feira (12). O Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) afirma ter protocolado um oficio no Ministério Público e no IASPI/PLAMTA solicitando providências em relação às faturas de setembro e outubro de 2018 que segundo o sindicato ainda se encontram em aberto.

O Ministério Público do Estado do Piauí, através do promotor de Justiça Fernando Santos agendou uma audiência com representantes do IASPI/PLAMTA e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) para a próxima sexta-feira (15) às 9h, para discutir o atraso no pagamento da rede filiada pelo IASPI/Plamta.

(Reunião do sindicato com o MP)

De acordo com o presidente do sindicato, Jefferson Campelo e o assessor jurídico, Thiago Brandim, o Sindhospi  pediu apoio ao MP solicitando providências quanto ao pagamento da fatura referente ao mês de outubro de 2018, que ainda está em aberto e da fatura do mês de novembro, que vence neste domingo(10). 

De acordo com o assessor Thiago Brandim, o sindicato também destacou que foi surpreendido pela redução dos valores dos procedimentos cirúrgicos. “O IASPI/Plamta reduziu, de forma abrupta e sem a anuência dos prestadores, os valores dos procedimentos cirúrgicos. É uma medida que o Sindicato não admite em hipótese alguma, haja vista que os valores já estão defasados, não sendo crível falar em redução”, afirma. 

Nesta quarta-feira (06), representantes do Sindhospi estiveram reunidos com o promotor de Justiça Fernando Santos, no Ministério Público do Piauí, para relatar os atrasos.

“A finalidade da audiência é tentar sanar esse atraso do cronograma, bem como a irregular diminuição dos valores dos serviços. Está prevista a suspensão dos atendimentos na próxima semana, a partir do próximo dia 12 de fevereiro, caso não seja cumprido o cronograma, como já vem ocorrendo, por isso a importância de um consenso entre as instituições" pontua o assessor jurídico.

Atualmente o IASPI/PLAMTA representa cerca de 70% (setenta por cento) do faturamento das empresas de saúde do Piauí.
 

Os médicos que prestam serviços pelo IASPI/PLAMTA ameaçam paralisar os atendimentos na próxima terça-feira (12). O Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) afirma ter protocolado um oficio no Ministério Público e no IASPI/PLAMTA solicitando providências em relação às faturas de setembro e outubro de 2018 que segundo o sindicato ainda se encontram em aberto.

O Ministério Público do Estado do Piauí, através do promotor de Justiça Fernando Santos agendou uma audiência com representantes do IASPI/PLAMTA e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) para a próxima sexta-feira (15) às 9h, para discutir o atraso no pagamento da rede filiada pelo IASPI/Plamta.

hhhhh

(Reunião do sindicato com o MP)

De acordo com o presidente do sindicato, Jefferson Campelo e o assessor jurídico, Thiago Brandim, o Sindhospi  pediu apoio ao MP solicitando providências quanto ao pagamento da fatura referente ao mês de outubro de 2018, que ainda está em aberto e da fatura do mês de novembro, que vence neste domingo(10). 

De acordo com o assessor Thiago Brandim, o sindicato também destacou que foi surpreendido pela redução dos valores dos procedimentos cirúrgicos. “O IASPI/Plamta reduziu, de forma abrupta e sem a anuência dos prestadores, os valores dos procedimentos cirúrgicos. É uma medida que o Sindicato não admite em hipótese alguma, haja vista que os valores já estão defasados, não sendo crível falar em redução”, afirma. 

Nesta quarta-feira (06), representantes do Sindhospi estiveram reunidos com o promotor de Justiça Fernando Santos, no Ministério Público do Piauí, para relatar os atrasos.

“A finalidade da audiência é tentar sanar esse atraso do cronograma, bem como a irregular diminuição dos valores dos serviços. Está prevista a suspensão dos atendimentos na próxima semana, a partir do próximo dia 12 de fevereiro, caso não seja cumprido o cronograma, como já vem ocorrendo, por isso a importância de um consenso entre as instituições" pontua o assessor jurídico.

Atualmente o IASPI/PLAMTA representa cerca de 70% (setenta por cento) do faturamento das empresas de saúde do Piauí.