1. Blogs
  2. Atualidade Jurídica
  3. TJPI leva projeto de prevenção à violência doméstica a escolas;  Pós-graduações: ESA-PI E APPM assinam convênio para descontos a servidores públicos municipais
Publicidade

TJPI leva projeto de prevenção à violência doméstica a escolas;  Pós-graduações: ESA-PI E APPM assinam convênio para descontos a servidores públicos municipais


O Tribunal de Justiça do Piauí inicia, dia 1º de agosto, o projeto Flores Incultas, que consiste na realização de rodas de conversa sobre violência doméstica e familiar contra mulheres em escolas das redes pública e privada do Piauí. Inicialmente, serão visitadas sete escolas da rede municipal de ensino de Teresina e uma escola de Parnaíba. O projeto é parcete da macrocampanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, operacionalizada pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica do Poder Judiciário do Piauí.

Já estão confirmadas no projeto Flores Incultas, em Teresina, as escolas municipais Deputado Francilio Almeida, Ubiraci Carvalho, Velho Monge, Ofélio Leitão, Porfírio Cordão, R. N. Monteiro de Santana; e o Centro Municipal de Educação Infantil Helena Medeiros. Em Parnaíba, está confirmada a Unidade Escolar Dr. João Silva Filho.

O projeto faz referência à obra Flores Incultas, da autora piauiense Luiza Amélia de Queiroz. A obra, de 1875, reúne uma compilação de 112 poemas e é marcada por um universo poético permeado por sentimentos relacionados à condição da mulher, à amizade, ao pessimismo, à religiosidade, à infância, à família e à morte.
A coletânea Flores Incultas foi a primeira obra escrita e publicada por uma mulher no estado do Piauí e é possível associar seu título com a condição feminina no período (século XIX), que valorizava uma socialização feminina para o cultivo da delicadeza, sendo as mulheres da época, em sua maioria, incultas.

“Partimos do universo literário para conversar com alunos, pais e professores, dentro do ambiente escolar, sobre o que configura violência doméstica e familiar, mecanismos para identificação e denúncia, bem como meios de romper o ciclo. Essa conversa no ambiente escolar é importante para a conscientização da sociedade, visando principalmente à prevenção. Sabemos que a violência vivenciada em casa chega até a escola e interfere sobremaneira na vida de crianças e adolescentes. Queremos, juntos, abordar essa questão, trazendo conhecimento sobre a Lei Maria da Penha, conscientizando homens, para que não sejam agressores; e mulheres, para que saibam que podem se libertar”, explica a juíza Keylla Ranyere, coordenadora Estadual da Mulher em Situação de Violência do Tribunal de Justiça do Piauí.

O desenvolvimento do projeto Flores Incultas pelo Judiciário Piauiense está alinhado com diretrizes constitucionais e de legislação específica do ordenamento jurídico brasileiro, do Conselho Nacional de Justiça e da Organização das Nações Unidas.

Pós-graduações: ESA-PI E APPM assinam convênio que vai proporcionar descontos para servidores públicos municipais


Na manhã desta quinta-feira (28/07), os representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí (OAB-PI) e da Escola Superior de Advocacia do Piauí (ESA-PI), estiveram reunidos na sede da Associação Piauiense de Munícipios (APPM) para a assinatura de um convênio. Os servidores municipais de todo o estado a partir de agora têm direito a um desconto de 20% nas pós-graduações oferecidas pela ESA-PI.

“Na atual gestão da ESA-PI, há uma preocupação em proporcionar estudos e qualificações, sobretudo, por meio das pós-graduações. São nove no total, abrangendo diversas áreas, como uma voltada para o ensino jurídico, habilitando o advogado a ministrar aulas. Inclusive, pela primeira vez, teremos uma pós-graduação sobre Tribunal do Júri e, novamente, uma acerca de Licitações e Contratos”, destacou Daniela Freitas, presidente em exercício da OAB-PI.
O diretor-geral da ESA-PI, Thiago Carcará, ressaltou que está muito satisfeito com a parceria. “A participação dos municípios é fundamental. Sabemos que existem diversos marcos, que vai desde o saneamento básico e o plano-diretor, passando pela questão de contratações e licitações”, disse.

PÓS-GRADUAÇÕES OFERECIDAS PELA ESA
Atualmente, existem nove editais abertos para pós-graduações. São eles: Licitações e Contratos com ênfase na Lei nº 14.133/2021 e Habilitação para Pregoeiro; Direito Médico e Saúde; Direito da Família e Sucessões; Direito Municipal, Urbanístico e Gestão Pública; Direito Digital e Proteção de Dados; Direito da Energia, Petróleo, Gás e Mineração; Tribunal do Júri; Docência do Ensino Jurídico, e; Direito Militar com habilitação em Docência.

“Sabemos da importância da capacitação dos servidores. Esse convênio vai fortalecer mais ainda o estado. Ganha a OAB, ganha a APPM, os advogados e a sociedade. As pós-graduações vão trazer conhecimentos indispensáveis para o bom funcionamento da administração pública”, conclui Thiago Carcará.

Estiveram presentes da reunião: o diretor-geral da APPM, Cleyton James; a procuradora da APPM, Uiana Coimbra; o prefeito de Santa Cruz dos Milagres e Tesoureiro da APPM, Wylner Moura; o membro consultor da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas, Francisco da Silva Filho; coordenadora da pós-graduação de Direito Municipal da ESA, Bárbara Dantas; e um dos coordenadores da ESA, Natan Pinheiro.

Fonte: TJ-PI / OAB-PI.

Pensamento do dia.

Fonte: Marcos Martins


O Tribunal de Justiça do Piauí inicia, dia 1º de agosto, o projeto Flores Incultas, que consiste na realização de rodas de conversa sobre violência doméstica e familiar contra mulheres em escolas das redes pública e privada do Piauí. Inicialmente, serão visitadas sete escolas da rede municipal de ensino de Teresina e uma escola de Parnaíba. O projeto é parcete da macrocampanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, operacionalizada pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica do Poder Judiciário do Piauí.

Já estão confirmadas no projeto Flores Incultas, em Teresina, as escolas municipais Deputado Francilio Almeida, Ubiraci Carvalho, Velho Monge, Ofélio Leitão, Porfírio Cordão, R. N. Monteiro de Santana; e o Centro Municipal de Educação Infantil Helena Medeiros. Em Parnaíba, está confirmada a Unidade Escolar Dr. João Silva Filho.

O projeto faz referência à obra Flores Incultas, da autora piauiense Luiza Amélia de Queiroz. A obra, de 1875, reúne uma compilação de 112 poemas e é marcada por um universo poético permeado por sentimentos relacionados à condição da mulher, à amizade, ao pessimismo, à religiosidade, à infância, à família e à morte.
A coletânea Flores Incultas foi a primeira obra escrita e publicada por uma mulher no estado do Piauí e é possível associar seu título com a condição feminina no período (século XIX), que valorizava uma socialização feminina para o cultivo da delicadeza, sendo as mulheres da época, em sua maioria, incultas.

“Partimos do universo literário para conversar com alunos, pais e professores, dentro do ambiente escolar, sobre o que configura violência doméstica e familiar, mecanismos para identificação e denúncia, bem como meios de romper o ciclo. Essa conversa no ambiente escolar é importante para a conscientização da sociedade, visando principalmente à prevenção. Sabemos que a violência vivenciada em casa chega até a escola e interfere sobremaneira na vida de crianças e adolescentes. Queremos, juntos, abordar essa questão, trazendo conhecimento sobre a Lei Maria da Penha, conscientizando homens, para que não sejam agressores; e mulheres, para que saibam que podem se libertar”, explica a juíza Keylla Ranyere, coordenadora Estadual da Mulher em Situação de Violência do Tribunal de Justiça do Piauí.

O desenvolvimento do projeto Flores Incultas pelo Judiciário Piauiense está alinhado com diretrizes constitucionais e de legislação específica do ordenamento jurídico brasileiro, do Conselho Nacional de Justiça e da Organização das Nações Unidas.

Pós-graduações: ESA-PI E APPM assinam convênio que vai proporcionar descontos para servidores públicos municipais


Na manhã desta quinta-feira (28/07), os representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí (OAB-PI) e da Escola Superior de Advocacia do Piauí (ESA-PI), estiveram reunidos na sede da Associação Piauiense de Munícipios (APPM) para a assinatura de um convênio. Os servidores municipais de todo o estado a partir de agora têm direito a um desconto de 20% nas pós-graduações oferecidas pela ESA-PI.

“Na atual gestão da ESA-PI, há uma preocupação em proporcionar estudos e qualificações, sobretudo, por meio das pós-graduações. São nove no total, abrangendo diversas áreas, como uma voltada para o ensino jurídico, habilitando o advogado a ministrar aulas. Inclusive, pela primeira vez, teremos uma pós-graduação sobre Tribunal do Júri e, novamente, uma acerca de Licitações e Contratos”, destacou Daniela Freitas, presidente em exercício da OAB-PI.
O diretor-geral da ESA-PI, Thiago Carcará, ressaltou que está muito satisfeito com a parceria. “A participação dos municípios é fundamental. Sabemos que existem diversos marcos, que vai desde o saneamento básico e o plano-diretor, passando pela questão de contratações e licitações”, disse.

PÓS-GRADUAÇÕES OFERECIDAS PELA ESA
Atualmente, existem nove editais abertos para pós-graduações. São eles: Licitações e Contratos com ênfase na Lei nº 14.133/2021 e Habilitação para Pregoeiro; Direito Médico e Saúde; Direito da Família e Sucessões; Direito Municipal, Urbanístico e Gestão Pública; Direito Digital e Proteção de Dados; Direito da Energia, Petróleo, Gás e Mineração; Tribunal do Júri; Docência do Ensino Jurídico, e; Direito Militar com habilitação em Docência.

“Sabemos da importância da capacitação dos servidores. Esse convênio vai fortalecer mais ainda o estado. Ganha a OAB, ganha a APPM, os advogados e a sociedade. As pós-graduações vão trazer conhecimentos indispensáveis para o bom funcionamento da administração pública”, conclui Thiago Carcará.

Estiveram presentes da reunião: o diretor-geral da APPM, Cleyton James; a procuradora da APPM, Uiana Coimbra; o prefeito de Santa Cruz dos Milagres e Tesoureiro da APPM, Wylner Moura; o membro consultor da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas, Francisco da Silva Filho; coordenadora da pós-graduação de Direito Municipal da ESA, Bárbara Dantas; e um dos coordenadores da ESA, Natan Pinheiro.

Fonte: TJ-PI / OAB-PI.

Pensamento do dia.

Fonte: Marcos Martins

MEC altera prazo para confirmação de informações do Prouni; II SALAP promove a valorização da literatura jurídica Lei modifica regras para mudança de nome no Brasil; PMT cria pontos de apoio para motoristas de aplicativo e deliverys; Inscrições para o ProUni começam na próxima segunda-feira