1. Blogs
  2. Josenildo Melo
  3. Quem cuida realmente de todos?

Quem cuida realmente de todos?

DEUS é o centro, governando com poder soberano. O verdadeiro calvinista viu isso e, por isso, mantém Deus no centro de tudo o que faz. Deus é o centro de sua adoração, no verdadeiro culto a atenção é desviada das coisas terrenas e reverentemente fixada em Deus e em sua glória. Deus também é o centro do pensamento do verdadeiro Calvinista. Seu objetivo é levar “cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (2Co10.5b), para esse fim o seu raciocínio começa e termina com Deus. Tá vendo? Quem cuida realmente de Todos? De todos? Quem Deus escolheu, predestinou; lógico que cuida!

J. I. Packer observou: “O calvinista é o cristão que confessa diante dos homens, na sua teologia, simplesmente o que ele acredita em seu coração diante de Deus quando ora”. Ou, para citar novamente B. B. Warfield, “O Calvinista é o homem que está determinado a preservar a mesma atitude que tem ao orar em sua maneira de pensar, na sua maneira de sentir, em tudo o que faz (...) Outros homens são calvinistas em seus joelhos; o calvinista é o homem que está determinado que sua mente e coração permanecerão em seus joelhos continuamente e, somente a partir desta atitude, pensar, sentir e agir”. É um novo Brasil!

O que significa o título Quem cuida realmente de Todos? É um artigo de entrelinhas. O poder Brasil adentra ao Calvinismo! Pessoas sendo colocadas em postos chave. Autoridades, governantes, pessoas influentes já não são pautados por discrepâncias (Que possui diferença de pensamentos ou opiniões; divergência, discrepância: discrepância entre duas teorias.). Uma das características maiores do calvinismo é o pensamento ordenado. A corte, as cortes, agora já não ouvem mais os discrepantes. E quem cuida realmente de todos? A ordenança. O ordenamento. Cristo Jesus está sendo “ouvido”!

O puritano Thomas Brooks escreveu: “O objetivo da obediência que acompanha a salvação é a glória divina. O objetivo da alma obediente, em oração e louvores, ao falar e andar, em dar e receber, em viver e fazer, é a glória divina. (...) Em todas as ações, a alma obediente pretende promover a glória divina”. O Verdadeiro calvinista não só reconhece a glória de Deus, mas também é zeloso para promovê-la. Ansiamos que a Igreja Evangélica redescubra a teologia da graça. A teologia reformada é o sistema de doutrina que visa dar a Deus toda a glória por sua graça no evangelho. Assim, a sua recuperação promove a maior de todas as metas e o maior propósito de todos: a glória de Deus. Calvinistas no Poder?

No mundo reformado a palavra poder é vista no sentido benéfico. Quem cuida realmente de todos? De todos? Quem Deus escolheu, predestinou; lógico que cuida! É importante notar que a ênfase reformada na unidade visível foi aplicada para a verdadeira Igreja de Jesus Cristo. Essa foi uma questão vital para os reformadores que lutaram contra a acusação de que eram pecadores (um pecado chamado cisma) por deixarem a Igreja Católica Romana. Eles desenvolveram então três “Marcas da Igreja” para discernir entre a verdadeira e a falsa Igreja. As marcas são as seguintes: 1 – A Pregação Fiel da palavra. 2 – A correta ministração dos sacramentos. 3 – A administração da disciplina eclesiástica.

*Este Artigo contém trechos do Livro Série Fé Reformada.

DEUS é o centro, governando com poder soberano. O verdadeiro calvinista viu isso e, por isso, mantém Deus no centro de tudo o que faz. Deus é o centro de sua adoração, no verdadeiro culto a atenção é desviada das coisas terrenas e reverentemente fixada em Deus e em sua glória. Deus também é o centro do pensamento do verdadeiro Calvinista. Seu objetivo é levar “cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (2Co10.5b), para esse fim o seu raciocínio começa e termina com Deus. Tá vendo? Quem cuida realmente de Todos? De todos? Quem Deus escolheu, predestinou; lógico que cuida!

J. I. Packer observou: “O calvinista é o cristão que confessa diante dos homens, na sua teologia, simplesmente o que ele acredita em seu coração diante de Deus quando ora”. Ou, para citar novamente B. B. Warfield, “O Calvinista é o homem que está determinado a preservar a mesma atitude que tem ao orar em sua maneira de pensar, na sua maneira de sentir, em tudo o que faz (...) Outros homens são calvinistas em seus joelhos; o calvinista é o homem que está determinado que sua mente e coração permanecerão em seus joelhos continuamente e, somente a partir desta atitude, pensar, sentir e agir”. É um novo Brasil!

O que significa o título Quem cuida realmente de Todos? É um artigo de entrelinhas. O poder Brasil adentra ao Calvinismo! Pessoas sendo colocadas em postos chave. Autoridades, governantes, pessoas influentes já não são pautados por discrepâncias (Que possui diferença de pensamentos ou opiniões; divergência, discrepância: discrepância entre duas teorias.). Uma das características maiores do calvinismo é o pensamento ordenado. A corte, as cortes, agora já não ouvem mais os discrepantes. E quem cuida realmente de todos? A ordenança. O ordenamento. Cristo Jesus está sendo “ouvido”!

O puritano Thomas Brooks escreveu: “O objetivo da obediência que acompanha a salvação é a glória divina. O objetivo da alma obediente, em oração e louvores, ao falar e andar, em dar e receber, em viver e fazer, é a glória divina. (...) Em todas as ações, a alma obediente pretende promover a glória divina”. O Verdadeiro calvinista não só reconhece a glória de Deus, mas também é zeloso para promovê-la. Ansiamos que a Igreja Evangélica redescubra a teologia da graça. A teologia reformada é o sistema de doutrina que visa dar a Deus toda a glória por sua graça no evangelho. Assim, a sua recuperação promove a maior de todas as metas e o maior propósito de todos: a glória de Deus. Calvinistas no Poder?

No mundo reformado a palavra poder é vista no sentido benéfico. Quem cuida realmente de todos? De todos? Quem Deus escolheu, predestinou; lógico que cuida! É importante notar que a ênfase reformada na unidade visível foi aplicada para a verdadeira Igreja de Jesus Cristo. Essa foi uma questão vital para os reformadores que lutaram contra a acusação de que eram pecadores (um pecado chamado cisma) por deixarem a Igreja Católica Romana. Eles desenvolveram então três “Marcas da Igreja” para discernir entre a verdadeira e a falsa Igreja. As marcas são as seguintes: 1 – A Pregação Fiel da palavra. 2 – A correta ministração dos sacramentos. 3 – A administração da disciplina eclesiástica.

*Este Artigo contém trechos do Livro Série Fé Reformada.

Empresa Brasil de Comunicação O que conversa o Clero?