1. Blogs
  2. Josenildo Melo
  3. Comércio em torno de Cristo
Publicidade

Comércio em torno de Cristo

É impressionante o comércio empreendido em torno de Cristo Jesus; Deus. Pouquíssimas Igrejas fazem algo de forma gratuita por alguém. Se existe o planejamento de um curso é pago. Se existirá um encontro de confraternização; é pago. Se por algum motivo irão construir salas, prédios, novas instalações e Igrejas; tudo tem que ser feito bingo, rifas, inúmeros pedidos a quem já não tem pra doar algo. Cresce a cada dia o comércio em torno de Cristo Jesus; Deus? É impressionante como não possuem o mínimo de vergonha ou piedade pelos fiéis. Já o que acontecia com os primeiros cristãos?

A Igreja primitiva sempre sobreviveu da partilha dos bens. Mas hoje isso não é possível? Quer partilha maior do que dizimar fielmente? Se todos os fiéis que freqüentam Igrejas pagassem o dízimo (por mínimo que seja o valor) não seria necessário tanta pidança. Você sai da quietude da sua casa e o que encontra em um domingo? Verdadeiros feirantes tentando “arrancar tudo de seus fiéis”? E muitos sacerdotes ainda se justificam com a máxima: se não pedirmos Eles (os fiéis) gastarão com os mais diversos vícios! Tá vendo a que ponto chegou o comércio em torno de Cristo Jesus; Deus. Mas quem não doa não ascende social e hierarquicamente na Igreja? Alguns “Padres chegam ao ponto” de dizerem abertamente que a maioria dos Bispos quando se dirigem a um sacerdote de forma alegre e respeitosa EXISTE o maldito dinheiro sendo o produtor do respeito e educabilidade!

Que coisa! E a famosa frase: sem dinheiro nada evolui? O exemplo de vida arrasta multidões. De nada adianta templos magníficos e construções a torto e a direito se não existirão mais fiéis pra “encher-los”. A Igreja de Cristo está ficando restrita aos que não decifram bem o correto do incorreto? Certo mesmo é que Paulo, apóstolo, fazia tendas pra sobreviver e mesmo assim dedicava a maior parte do seu tempo ao Reino de Deus. Sabia que hoje em dia até mesmo os organistas, cantores e leitores são remunerados por suas respectivas dioceses ou arquidioceses? Existem fiéis denunciando paróquias à justiça alegando que nunca foram remunerados por seus serviços prestados. É o fim do mundo?

Certo mesmo é que ainda hoje existem pessoas sinceras e que não desejam apenas o bem pessoal, mas coletivo. O que faz uma pessoa tirar o que não tem e contribuir “desordenadamente aos sacerdotes”? Desde que o mundo é mundo os seres humanos possuem uma necessidade de reconhecimento! Certa vez ao acompanhar determinado político, enfatizamos o fato de que o nome deste político foi muito proferido; eis a sua resposta: “foi tudo acertado, quanto mais o nome era enfatizado, mas ele remunerava”! O que faz uma pessoa submeter-se a isso? A crença de que Deus já não existe e não tem poder nenhum? Seria a descrença na providência de Cristo Jesus; Deus? Tem que contribuir se não o “Arcebispo ou Bispo” não o promoverá a nada? Será sempre baixo clero?

Geralmente é o que acontece a quem não adentra ou adere ao comércio em torno de Cristo Jesus; Deus? Tem sacerdote “santo” vendendo o almoço pra comprar o jantar? 65% (sessenta e cinco por cento) do Clero? Eis o que salva a Igreja de Cristo Jesus; Deus, os “santos”. Muito cuidado; o inferno realmente existe! Eis o que diz a sagrada escritura sobre o inferno: “O Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre. (Apocalipse 20:10). Resista, creia; não ceda ao comércio em torno de Cristo!

É impressionante o comércio empreendido em torno de Cristo Jesus; Deus. Pouquíssimas Igrejas fazem algo de forma gratuita por alguém. Se existe o planejamento de um curso é pago. Se existirá um encontro de confraternização; é pago. Se por algum motivo irão construir salas, prédios, novas instalações e Igrejas; tudo tem que ser feito bingo, rifas, inúmeros pedidos a quem já não tem pra doar algo. Cresce a cada dia o comércio em torno de Cristo Jesus; Deus? É impressionante como não possuem o mínimo de vergonha ou piedade pelos fiéis. Já o que acontecia com os primeiros cristãos?

A Igreja primitiva sempre sobreviveu da partilha dos bens. Mas hoje isso não é possível? Quer partilha maior do que dizimar fielmente? Se todos os fiéis que freqüentam Igrejas pagassem o dízimo (por mínimo que seja o valor) não seria necessário tanta pidança. Você sai da quietude da sua casa e o que encontra em um domingo? Verdadeiros feirantes tentando “arrancar tudo de seus fiéis”? E muitos sacerdotes ainda se justificam com a máxima: se não pedirmos Eles (os fiéis) gastarão com os mais diversos vícios! Tá vendo a que ponto chegou o comércio em torno de Cristo Jesus; Deus. Mas quem não doa não ascende social e hierarquicamente na Igreja? Alguns “Padres chegam ao ponto” de dizerem abertamente que a maioria dos Bispos quando se dirigem a um sacerdote de forma alegre e respeitosa EXISTE o maldito dinheiro sendo o produtor do respeito e educabilidade!

Que coisa! E a famosa frase: sem dinheiro nada evolui? O exemplo de vida arrasta multidões. De nada adianta templos magníficos e construções a torto e a direito se não existirão mais fiéis pra “encher-los”. A Igreja de Cristo está ficando restrita aos que não decifram bem o correto do incorreto? Certo mesmo é que Paulo, apóstolo, fazia tendas pra sobreviver e mesmo assim dedicava a maior parte do seu tempo ao Reino de Deus. Sabia que hoje em dia até mesmo os organistas, cantores e leitores são remunerados por suas respectivas dioceses ou arquidioceses? Existem fiéis denunciando paróquias à justiça alegando que nunca foram remunerados por seus serviços prestados. É o fim do mundo?

Certo mesmo é que ainda hoje existem pessoas sinceras e que não desejam apenas o bem pessoal, mas coletivo. O que faz uma pessoa tirar o que não tem e contribuir “desordenadamente aos sacerdotes”? Desde que o mundo é mundo os seres humanos possuem uma necessidade de reconhecimento! Certa vez ao acompanhar determinado político, enfatizamos o fato de que o nome deste político foi muito proferido; eis a sua resposta: “foi tudo acertado, quanto mais o nome era enfatizado, mas ele remunerava”! O que faz uma pessoa submeter-se a isso? A crença de que Deus já não existe e não tem poder nenhum? Seria a descrença na providência de Cristo Jesus; Deus? Tem que contribuir se não o “Arcebispo ou Bispo” não o promoverá a nada? Será sempre baixo clero?

Geralmente é o que acontece a quem não adentra ou adere ao comércio em torno de Cristo Jesus; Deus? Tem sacerdote “santo” vendendo o almoço pra comprar o jantar? 65% (sessenta e cinco por cento) do Clero? Eis o que salva a Igreja de Cristo Jesus; Deus, os “santos”. Muito cuidado; o inferno realmente existe! Eis o que diz a sagrada escritura sobre o inferno: “O Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre. (Apocalipse 20:10). Resista, creia; não ceda ao comércio em torno de Cristo!

A VELHA MÍDIA QUEBROU? Tem lógica a expressão eleitos?