1. Blogs
  2. Blog da Cris
  3. Empregado que sofre acidente a caminho do trabalho, ou na volta para casa, é acidente de trabalho?
Publicidade

Empregado que sofre acidente a caminho do trabalho, ou na volta para casa, é acidente de trabalho?

Uma dúvida recorrente aos empregados que se acidentam indo ou voltando do trabalho é a possibilidade ou não desse incidente ser considerado acidente de trabalho, gerador de estabilidade.

O art. 21 da Lei nº 8.213/91, traz situações de acidentes de trabalho por equiparação, entre eles, o acidente ocorrido no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado.

Pelos termos da lei, significa que o acidente de trajeto assegura ao trabalhador acidentado os mesmos direitos que o acidente “típico” ocorrido durante a execução do trabalho.

Que direitos, então, são assegurados aos empregados que se acidentam no trajeto para o trabalho?

A equiparação do acidente de trajeto ao acidente de trabalho garante ao empregado acidentado vários direitos trabalhistas e previdenciários:
1.    A empresa deverá emitir a CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho;
2.    O empregado terá direito ao auxílio-doença acidentário pago pelo INSS, se o trabalhador precisar se afastar do serviço por mais de quinze dias;
3.    O empregador deverá recolher normalmente o FGTS do trabalhador enquanto ele estiver afastado pelo INSS;
4.    O empregado terá a estabilidade de 12 meses a partir da alta previdenciária;
5.    Caso não tenha condição de voltar a trabalhar, poderá fazer jus a aposentadoria por invalidez;
6.    Caso retorne ao serviço, mas com sequelas que dificultem as atividades profissionais, ele pode ter direito ao auxílio-acidente.

Portanto, fique ligado para orientar seu cliente sobre direitos e deveres de empregados e empregadores. 

Uma dúvida recorrente aos empregados que se acidentam indo ou voltando do trabalho é a possibilidade ou não desse incidente ser considerado acidente de trabalho, gerador de estabilidade.

O art. 21 da Lei nº 8.213/91, traz situações de acidentes de trabalho por equiparação, entre eles, o acidente ocorrido no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado.

Pelos termos da lei, significa que o acidente de trajeto assegura ao trabalhador acidentado os mesmos direitos que o acidente “típico” ocorrido durante a execução do trabalho.

Que direitos, então, são assegurados aos empregados que se acidentam no trajeto para o trabalho?

A equiparação do acidente de trajeto ao acidente de trabalho garante ao empregado acidentado vários direitos trabalhistas e previdenciários:
1.    A empresa deverá emitir a CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho;
2.    O empregado terá direito ao auxílio-doença acidentário pago pelo INSS, se o trabalhador precisar se afastar do serviço por mais de quinze dias;
3.    O empregador deverá recolher normalmente o FGTS do trabalhador enquanto ele estiver afastado pelo INSS;
4.    O empregado terá a estabilidade de 12 meses a partir da alta previdenciária;
5.    Caso não tenha condição de voltar a trabalhar, poderá fazer jus a aposentadoria por invalidez;
6.    Caso retorne ao serviço, mas com sequelas que dificultem as atividades profissionais, ele pode ter direito ao auxílio-acidente.

Portanto, fique ligado para orientar seu cliente sobre direitos e deveres de empregados e empregadores. 

O empregador pode solicitar informações sobre a orientação sexual dos candidatos a emprego? Empresa pode solicitar exame de gravidez na extinção contratual?