1. Blogs
  2. Café com Informação
  3. Profissionais esclarecem os riscos de uso de medicamentos para emagrecer e das dietas “milagrosas”
Publicidade

Profissionais esclarecem os riscos de uso de medicamentos para emagrecer e das dietas “milagrosas”

Pode ser perfeccionismo ou ilusão óptica, mas algumas pessoas não estão satisfeitas com a imagem que observam quando se deparam em frente ao espelho. Uma imperfeição ali, outra lá são visíveis aos olhos de quem busca atingir um 'corpo ideal'. 

A chamada “ditadura da magreza” impõe padrões de comportamento que vão além do equilíbrio para a conquista do corpo sarado, seja via dietas mirabolantes, do uso de inibidores de apetites ou através da prática de exercícios físicos combinada com suplementos e medicamentos. Mas será se realmente vale a pena tudo isso para ter o corpo perfeito?

Raquel Alves no Café com Informação (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

A nutricionista Raquel Alves, explica ao programa Café com Informação, que hoje em dia as pessoas estão sim em busca de uma vida mais saudável e querem fazer parte da geração saúde, mas que nem sempre fazem da forma correta. 

“As pessoas hoje estão sempre se espelhando nas redes sociais, artistas e digitais influencer, mas o que dá certo para uma não necessariamente pode funcionar com a outra, pois cada um tem sua individualidade. As pessoas acabam procurando por medicamentos, dietas mirabolantes, mas não buscam antes cuidar da saúde”.

Sobre as suplementações, que tanto se ouve falar, principalmente no meio fitness, a nutricionista fala que antes de iniciar o uso deve ser feito um estudo, com exames, para saber se há necessidade do uso.

“A suplementação ajuda bastante, mas qualquer tipo de suplementação deve ser passada por um profissional especializado, da qual ele deve ver a carência dos nutrientes e minerais que ele necessite complementar. Suplementação já está falando, é o que o alimento não consegue proporcionar, é uma carência de alguma vitamina”.

Falando do dilema da dieta versus idade, Raquel comenta que há sim uma relação entre eles.

“Para iniciar uma dieta é necessário fazer alguns exames que vão auxiliar o profissional na dieta a ser passada. É preciso analisar glicemia, colesterol, triglicerídea e questão hormonal, que interfere muito na dieta. Tudo isso relacionado à idade do paciente, pois quando mais o tempo passa o metabolismo vai ficando mais lento, principalmente se a pessoa não tiver uma alimentação adequada, que possam ajudar no funcionamento do metabolismo, causando assim um aumento de peso e aí onde se deve ter bastante cuidado”.

Ângela Maria Leal participa do Café com Informação (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

Já a endocrinologista e metabologista Ângela Maria Leal explicou ao programa que a obesidade é uma doença crônica e tem aumentado sua prevalência nos últimos anos. 

“O tratamento para o excesso de peso é necessário e ele consiste exatamente na mudança do estilo de vida. Alguns indivíduos vão necessitar, que para que ocorra a mudança do estilo de vida, seja necessária a prescrição de medicamentos para o tratamento da obesidade, mas são medicamentos aprovados pela ANVISA, e só quem pode prescrever é o endocrinologista que tem o RQE (Registro de Qualificação de Especialista), assim impedindo o uso indiscriminado do medicamento. Não há fórmula mágica”.

Em relação à venda indiscriminada de remédios milagrosos de emagrecimento na internet e a dependência que eles podem causar no usuário a endocrinologista explica que quando o paciente busca o profissional adequado isso não deve ocorrer.

“Quando você esta acompanhado de uma profissional que fez uma anamnese detalhada do seu histórico pessoal, familiar e em relação as suas comorbidades, pode ser feita uma prescrição de forma correta pelo profissional habilitado, não é para causar dependência. Agora infelizmente ainda existem pessoas que prescrevem a medicação de forma indiscriminada e não são especialistas na área. É importante que a população fique consciente e pesquise”.

A médica também alerta para uso exagerado de substancias termogênicas nos processos de emagrecimento.

“O melhor termogênico é a atividade física, pois você acelera o metabolismo, aumenta a massa magra, facilitando a queima de gordura. Então, as substâncias ditas termogênicas, das quais muitas vezes não se tem comprovação de quais são seus componentes ou se tem risco, não são comprovados. O que a ciência tem de maior eficácia é a mudança do estilo de vida”.

Ângela Leal também comentou sobre o excesso de preocupação com os padrões de beleza impostos atualmente e deixou um conselho as pessoas que costumam procurar formas mais fáceis de atingir no padrão de beleza imposto pela mídia.

“Não é correto o uso de medicações das quais não se conheça os riscos, as contra indicações e os efeitos colaterais que elas possuam, então por isso reintero a importância de buscar sempre o especialista em endocrinologia e metabologia, pois eles conhecem exatamente os benefícios e os riscos de cada medicação. Cuidado!”, alerta.

Assista abaixo ao programa na íntegra:

Pode ser perfeccionismo ou ilusão óptica, mas algumas pessoas não estão satisfeitas com a imagem que observam quando se deparam em frente ao espelho. Uma imperfeição ali, outra lá são visíveis aos olhos de quem busca atingir um 'corpo ideal'. 

A chamada “ditadura da magreza” impõe padrões de comportamento que vão além do equilíbrio para a conquista do corpo sarado, seja via dietas mirabolantes, do uso de inibidores de apetites ou através da prática de exercícios físicos combinada com suplementos e medicamentos. Mas será se realmente vale a pena tudo isso para ter o corpo perfeito?

Raquel Alves no Café com Informação (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

A nutricionista Raquel Alves, explica ao programa Café com Informação, que hoje em dia as pessoas estão sim em busca de uma vida mais saudável e querem fazer parte da geração saúde, mas que nem sempre fazem da forma correta. 

“As pessoas hoje estão sempre se espelhando nas redes sociais, artistas e digitais influencer, mas o que dá certo para uma não necessariamente pode funcionar com a outra, pois cada um tem sua individualidade. As pessoas acabam procurando por medicamentos, dietas mirabolantes, mas não buscam antes cuidar da saúde”.

Sobre as suplementações, que tanto se ouve falar, principalmente no meio fitness, a nutricionista fala que antes de iniciar o uso deve ser feito um estudo, com exames, para saber se há necessidade do uso.

“A suplementação ajuda bastante, mas qualquer tipo de suplementação deve ser passada por um profissional especializado, da qual ele deve ver a carência dos nutrientes e minerais que ele necessite complementar. Suplementação já está falando, é o que o alimento não consegue proporcionar, é uma carência de alguma vitamina”.

Falando do dilema da dieta versus idade, Raquel comenta que há sim uma relação entre eles.

“Para iniciar uma dieta é necessário fazer alguns exames que vão auxiliar o profissional na dieta a ser passada. É preciso analisar glicemia, colesterol, triglicerídea e questão hormonal, que interfere muito na dieta. Tudo isso relacionado à idade do paciente, pois quando mais o tempo passa o metabolismo vai ficando mais lento, principalmente se a pessoa não tiver uma alimentação adequada, que possam ajudar no funcionamento do metabolismo, causando assim um aumento de peso e aí onde se deve ter bastante cuidado”.

Ângela Maria Leal participa do Café com Informação (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

Já a endocrinologista e metabologista Ângela Maria Leal explicou ao programa que a obesidade é uma doença crônica e tem aumentado sua prevalência nos últimos anos. 

“O tratamento para o excesso de peso é necessário e ele consiste exatamente na mudança do estilo de vida. Alguns indivíduos vão necessitar, que para que ocorra a mudança do estilo de vida, seja necessária a prescrição de medicamentos para o tratamento da obesidade, mas são medicamentos aprovados pela ANVISA, e só quem pode prescrever é o endocrinologista que tem o RQE (Registro de Qualificação de Especialista), assim impedindo o uso indiscriminado do medicamento. Não há fórmula mágica”.

Em relação à venda indiscriminada de remédios milagrosos de emagrecimento na internet e a dependência que eles podem causar no usuário a endocrinologista explica que quando o paciente busca o profissional adequado isso não deve ocorrer.

“Quando você esta acompanhado de uma profissional que fez uma anamnese detalhada do seu histórico pessoal, familiar e em relação as suas comorbidades, pode ser feita uma prescrição de forma correta pelo profissional habilitado, não é para causar dependência. Agora infelizmente ainda existem pessoas que prescrevem a medicação de forma indiscriminada e não são especialistas na área. É importante que a população fique consciente e pesquise”.

A médica também alerta para uso exagerado de substancias termogênicas nos processos de emagrecimento.

“O melhor termogênico é a atividade física, pois você acelera o metabolismo, aumenta a massa magra, facilitando a queima de gordura. Então, as substâncias ditas termogênicas, das quais muitas vezes não se tem comprovação de quais são seus componentes ou se tem risco, não são comprovados. O que a ciência tem de maior eficácia é a mudança do estilo de vida”.

Ângela Leal também comentou sobre o excesso de preocupação com os padrões de beleza impostos atualmente e deixou um conselho as pessoas que costumam procurar formas mais fáceis de atingir no padrão de beleza imposto pela mídia.

“Não é correto o uso de medicações das quais não se conheça os riscos, as contra indicações e os efeitos colaterais que elas possuam, então por isso reintero a importância de buscar sempre o especialista em endocrinologia e metabologia, pois eles conhecem exatamente os benefícios e os riscos de cada medicação. Cuidado!”, alerta.

Assista abaixo ao programa na íntegra:

Café com Informação faz retrospectiva dos melhores momentos de 2018 “A Lei da licitação é muito bem elaborada, mas o tempo todo fraudada no Piauí”, diz presidente do TCE-PI