1. Blogs
  2. Opinião
  3. Reflexões de fim de ano, crônicas da vida mesquinha
Publicidade

Reflexões de fim de ano, crônicas da vida mesquinha

O quanto as generalizações nos amarram e nos prendem? Preconceitos, conceitos prontos e embalados? Os bonitos são burros, os quietos inteligentes, os ríspidos mais machos, os inteligentes anti sociais, os ricos fúteis e maus, os pobres acolhedores e caridosos, os políticos todos ladrões, os advogados todos espertos, as modelos todas prostitutas, as prostitutas todas sem sentimentos, os casados infelizes, os solteiros promíscuos, as separadas sem vergonha, as blogueiras vazias, os professores intelectuais, as feministas mal amadas ( comidas- sim expressão horrorosa!), o macumbeiro é do mal, o evangélico não faz nada errado, o negro tem que se empregado, o branco patrão, mulher simpática tá dando mole, se é de direita é egoísta e rico, não se importa com ninguém, Esquerdista é maconheiro, preguiçoso e encostado, conhecer as pessoas por trás desses estereótipos ninguém quer.

O conforto de não pensar, receber conceitos prontos, mastigados, a manipulação das consciências vem disso de uma preguiça inata de pensar por uns e da esperteza em usar dessa preguiça por outros, Já deu minha gente, vamos quebrar isso... não se dobrar a um ou outro desses preconceitos, desses jargões que dão o alento de ser acolhido pela maioria, que servem muitas vezes para preservar seu próprio status quo, para justificar suas ações e escolhas, isso é um.misto de preguiça é mau caratismo.

É por isso que eu escrevo, por mais discernimento, mais pensar, mais conhecer e se dar a conhecer, mais disponibilidade e gentileza, mais humanidade ainda que nossa maldade intrínseca nos defina como humanos também a bondade também nos integra e é ela que temos que resgatar, por que quando se toma uma atitude dura com alguem sempre, sempre se ouve: É isso mesmo! Não seja trouxa, tem que ser assim mesmo!!! A mensagem final é não goste, não se importe, não dê, não ame, não ajude, ninguém presta, ninguém merece!

Quando em oposto, você se abre e se declara, vive paixão, amor, cuidado, gentileza, amparo, o que se ouve é: Não faz isso!!! Você vai se decepcionar, fulano não merece, não precisa isso tudo, você é besta, você está sendo tolo, Ninguém gosta de assistir o bem ser feito, quem é cínico merece aplauso, quem é disponível, crítica.  Que mesquinhez de alma... Chega!!!

Penso, mudo de ideia, de opinião, (basta me convencer), Já chega de desamor,   eu nem ligo de ser besta, gosto mesmo, amo, me importo, ajudo, sou disponível, vivo sem medo, crio expectativa mesmooo, sofro, choro, me decepciono, me magôo, mas olha, sem isso nem é vida...

O quanto as generalizações nos amarram e nos prendem? Preconceitos, conceitos prontos e embalados? Os bonitos são burros, os quietos inteligentes, os ríspidos mais machos, os inteligentes anti sociais, os ricos fúteis e maus, os pobres acolhedores e caridosos, os políticos todos ladrões, os advogados todos espertos, as modelos todas prostitutas, as prostitutas todas sem sentimentos, os casados infelizes, os solteiros promíscuos, as separadas sem vergonha, as blogueiras vazias, os professores intelectuais, as feministas mal amadas ( comidas- sim expressão horrorosa!), o macumbeiro é do mal, o evangélico não faz nada errado, o negro tem que se empregado, o branco patrão, mulher simpática tá dando mole, se é de direita é egoísta e rico, não se importa com ninguém, Esquerdista é maconheiro, preguiçoso e encostado, conhecer as pessoas por trás desses estereótipos ninguém quer.

O conforto de não pensar, receber conceitos prontos, mastigados, a manipulação das consciências vem disso de uma preguiça inata de pensar por uns e da esperteza em usar dessa preguiça por outros, Já deu minha gente, vamos quebrar isso... não se dobrar a um ou outro desses preconceitos, desses jargões que dão o alento de ser acolhido pela maioria, que servem muitas vezes para preservar seu próprio status quo, para justificar suas ações e escolhas, isso é um.misto de preguiça é mau caratismo.

É por isso que eu escrevo, por mais discernimento, mais pensar, mais conhecer e se dar a conhecer, mais disponibilidade e gentileza, mais humanidade ainda que nossa maldade intrínseca nos defina como humanos também a bondade também nos integra e é ela que temos que resgatar, por que quando se toma uma atitude dura com alguem sempre, sempre se ouve: É isso mesmo! Não seja trouxa, tem que ser assim mesmo!!! A mensagem final é não goste, não se importe, não dê, não ame, não ajude, ninguém presta, ninguém merece!

Quando em oposto, você se abre e se declara, vive paixão, amor, cuidado, gentileza, amparo, o que se ouve é: Não faz isso!!! Você vai se decepcionar, fulano não merece, não precisa isso tudo, você é besta, você está sendo tolo, Ninguém gosta de assistir o bem ser feito, quem é cínico merece aplauso, quem é disponível, crítica.  Que mesquinhez de alma... Chega!!!

Penso, mudo de ideia, de opinião, (basta me convencer), Já chega de desamor,   eu nem ligo de ser besta, gosto mesmo, amo, me importo, ajudo, sou disponível, vivo sem medo, crio expectativa mesmooo, sofro, choro, me decepciono, me magôo, mas olha, sem isso nem é vida...

Justiça Restaurativa Conquistas civis