1. Blogs
  2. Claudio Barros
  3. É o SUS e não os agentes políticos que vai salvar os brasileiros da covid-19
Publicidade

É o SUS e não os agentes políticos que vai salvar os brasileiros da covid-19

Faz bastante tempo que disputas políticas e ideológicas tomaram o palco principal do país durante a pandemia de coronavírus. Nem precisamos citar os nomes desse atores, posto que todos os sabem de cor e salteado. 

É o SUS e não os agentes políticos que vai salvar os brasileiros da covid-19

Assim, convém que olhemos para uma instituição brasileira que, de tão naturalizada, inclusive por ataques especulativos e críticas injustas, tende a ser esquecida como quem de fato salva e salvará a nós, brasileiros, retirando-nos, ainda que tardiamente, da pandemia que até o fim desde ano poderá ter nos custado 190 mil vidas.

Fala-se aqui do Sistema Único de Saúde – uma invenção da Constituinte de 1988, que está sempre sob ameaça, vítima recorrente de má gestão e malfeitorias, mas que, felizmente, sobrevive e, nessa sua sobrevida, garante saúde e melhor qualidade de vida aos brasileiros.

O SUS tem uma experiência vasta e bem-sucedida de vacinação. Há uma rede de umas 50 mil salas de vacina, pessoal treinado há tempos, redes de frios que podem ser melhoradas rapidamente. É essa logística que vai prevalecer para compra, distribuição e aplicação de vacinas em todo o Brasil. Portanto, não é o favor ou beneplácito de um ator político ou um agente público temporário que vai fazer o Brasil livrar-se da pandemia. Vamos sair desse pesadelo em face de vasta experiência de um programa nacional de imunização, que tem mais de um quarto de século, entremeado a outras políticas públicas e de assistência social, controle de qualidade de medicamentos e de qualificação permanente de pessoal da atenção básica em saúde.

A pandemia do coronavírus, piorada pelo surto permanente de disputas políticas e ideológicas comezinhas, vai ser superada pela existência deste poderoso instrumento de política pública de saúde, que pode e deve ser defendido pelos brasileiros de qualquer orientação política, cor ou credo. Sobretudo, precisa ser defendido pelos mais pobres.

Quando, no futuro, a despeito de percalços de agora, alguém reivindicar para si o papel de protagonismo em face de êxito de massivo programa de imunização contra a covid-19, simplesmente ignore ou chame essa pessoa de mentirosa. O que salva e seguirá salvando os brasileiros é o SUS.

Faz bastante tempo que disputas políticas e ideológicas tomaram o palco principal do país durante a pandemia de coronavírus. Nem precisamos citar os nomes desse atores, posto que todos os sabem de cor e salteado. 

É o SUS e não os agentes políticos que vai salvar os brasileiros da covid-19

Assim, convém que olhemos para uma instituição brasileira que, de tão naturalizada, inclusive por ataques especulativos e críticas injustas, tende a ser esquecida como quem de fato salva e salvará a nós, brasileiros, retirando-nos, ainda que tardiamente, da pandemia que até o fim desde ano poderá ter nos custado 190 mil vidas.

Fala-se aqui do Sistema Único de Saúde – uma invenção da Constituinte de 1988, que está sempre sob ameaça, vítima recorrente de má gestão e malfeitorias, mas que, felizmente, sobrevive e, nessa sua sobrevida, garante saúde e melhor qualidade de vida aos brasileiros.

O SUS tem uma experiência vasta e bem-sucedida de vacinação. Há uma rede de umas 50 mil salas de vacina, pessoal treinado há tempos, redes de frios que podem ser melhoradas rapidamente. É essa logística que vai prevalecer para compra, distribuição e aplicação de vacinas em todo o Brasil. Portanto, não é o favor ou beneplácito de um ator político ou um agente público temporário que vai fazer o Brasil livrar-se da pandemia. Vamos sair desse pesadelo em face de vasta experiência de um programa nacional de imunização, que tem mais de um quarto de século, entremeado a outras políticas públicas e de assistência social, controle de qualidade de medicamentos e de qualificação permanente de pessoal da atenção básica em saúde.

A pandemia do coronavírus, piorada pelo surto permanente de disputas políticas e ideológicas comezinhas, vai ser superada pela existência deste poderoso instrumento de política pública de saúde, que pode e deve ser defendido pelos brasileiros de qualquer orientação política, cor ou credo. Sobretudo, precisa ser defendido pelos mais pobres.

Quando, no futuro, a despeito de percalços de agora, alguém reivindicar para si o papel de protagonismo em face de êxito de massivo programa de imunização contra a covid-19, simplesmente ignore ou chame essa pessoa de mentirosa. O que salva e seguirá salvando os brasileiros é o SUS.

Wellington Dias extingue ZPE de Parnaíba para criar estatal de investimentos sob comando de Rafael Fonteles As capitanias hereditárias de Wellington Dias