1. Blogs
  2. Claudio Barros
  3. Piauí, único estado do nordeste com queda no PIB
Publicidade

Piauí, único estado do nordeste com queda no PIB

Ao contrário do que ocorreu em outros anos e com uma “providencial” ajuda do vírus SARS-CoV-2, que Wellington Dias de quarentena na Escócia, a divulgação do PIB no Piauí, ocorrida na sexta-feira, 12 de novembro, não foi feita com festa pelo governo estadual – que toma como obra sua a expansão da economia. 

Energia eólica tem impulsionado a economia do Piauí (Foto: reprodução internet)

E por que não teve oba-oba? Porque o governo quis jogar nas trevas a mais importante informação produzida pelo IBGE: Em 2019, o Piauí foi o único estado do Nordeste com queda no Produto Interno Bruto ou soma de todas as riquezas produzidas.

O Piauí ficou, portanto, mais pobre do que já é, porque aqui a economia teve um recuo de 0,6% - enquanto o Brasil avançou 1,2%. Se a queda do PIB do Piauí em 2019 for transformada em dinheiro, o tombo poderá ser quantificado em R$ 302 milhões, considerando que em 2018 o PIB chegou a R$ 50,4 bilhões.

Ah, dirão os que fazem análise sob soldo, você só vê o lado ruim das coisas. Tudo bem, vamos ao lado bom: De 2002 a 2019, o PIB do Brasil cresceu 2,3% ao ano e o Piauí cravou 3,8%, a maior do Nordeste. Ponto para Wellington Dias? Não. Ponto para investimentos em energia eólica, que segundo o IBGE é impulsionador deste crescimento acima da média. 

O agronegócio demonizado pelo partido do governador também tem participação nesse maior crescimento da economia do Piauí. 

Portanto, a expansão econômica piauiense é mais obra de setores privados que do governo.

Ao contrário do que ocorreu em outros anos e com uma “providencial” ajuda do vírus SARS-CoV-2, que Wellington Dias de quarentena na Escócia, a divulgação do PIB no Piauí, ocorrida na sexta-feira, 12 de novembro, não foi feita com festa pelo governo estadual – que toma como obra sua a expansão da economia. 

Energia eólica tem impulsionado a economia do Piauí (Foto: reprodução internet)

E por que não teve oba-oba? Porque o governo quis jogar nas trevas a mais importante informação produzida pelo IBGE: Em 2019, o Piauí foi o único estado do Nordeste com queda no Produto Interno Bruto ou soma de todas as riquezas produzidas.

O Piauí ficou, portanto, mais pobre do que já é, porque aqui a economia teve um recuo de 0,6% - enquanto o Brasil avançou 1,2%. Se a queda do PIB do Piauí em 2019 for transformada em dinheiro, o tombo poderá ser quantificado em R$ 302 milhões, considerando que em 2018 o PIB chegou a R$ 50,4 bilhões.

Ah, dirão os que fazem análise sob soldo, você só vê o lado ruim das coisas. Tudo bem, vamos ao lado bom: De 2002 a 2019, o PIB do Brasil cresceu 2,3% ao ano e o Piauí cravou 3,8%, a maior do Nordeste. Ponto para Wellington Dias? Não. Ponto para investimentos em energia eólica, que segundo o IBGE é impulsionador deste crescimento acima da média. 

O agronegócio demonizado pelo partido do governador também tem participação nesse maior crescimento da economia do Piauí. 

Portanto, a expansão econômica piauiense é mais obra de setores privados que do governo.

Começa a temporada do bate-e-volta de secretários-deputados à Assembleia A imobiliária Wellington Dias: lei autoriza venda direta de imóveis do estado com desconto de 25%