1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Sai Castelo Branco entra Esperança Garcia
Publicidade

Sai Castelo Branco entra Esperança Garcia

As atitudes da maioria da classe política Piauiense, desinformada, pouco esclarecida, está sempre a nos proporcionar momentos hilariantes. 

Vejam mais essa. 

O jornalista Kenard Kruel Fagundes postou, na sua página do Facebook, uma nota risível sob todos os aspectos. 

Kenard Kruel, dá conta da existência de um Comitê , Memória, Verdade e Justiça existente em Teresina. 

A notícia diz ainda que esse tal “Comitê “ e um certo deputado estadual Franzé Silva(PT) decidiram pela mudança do nome da Avenida Marechal Castelo Branco, trocando a atual denominação para Esperança Garcia, tida pelos ‘historiadores piauienses’ como a primeira escrava reconhecida pela OAB, como a primeira advogada negra do Piaui. 

Será que esse certo deputado Franzé e esse obscuro “Comitê” desconhecem por completo as leis municipais e a própria Constituição Federal, que estabelecem as competências concorrentes, tanto da Câmara Municipal, como da Prefeitura de Teresina, para nominar ruas e avenidas e logradouros públicos do município? 

Agora, prosaica mesmo, foi a justificativa para tão incabível pretensão, pois, na ótica do tal “Comitê", bem como do deputado estadual Franzé Silva. o nome atual da Avenida Marechal Castelo Branco agride a consciência cívica dos piauienses, já que, o nome do Marechal Castelo Branco, primeiro presidente do regime instaurado pelos militares em 1964, ele, Castelo Branco, por ter fechado o Congreso e rasgado a Constituição vigente em 1964, enodoa a história brasileira. 

Sugerimos a esse “tribunal da inquisição" que continue dando asas a essa masturbação histórica sem pé e sem cabeça e divagando nesse opróbrio e sugira apagar o nome de Getúlio Vargas de ruas, praças e avenidas, já que o velhinho Gegê, durante os quase vinte anos que governou o País, depôs presidente, foi ditador por oito anos, tratando os seus adversários na ponta da bota e presidente constitucional. 

É isso.

As atitudes da maioria da classe política Piauiense, desinformada, pouco esclarecida, está sempre a nos proporcionar momentos hilariantes. 

Vejam mais essa. 

O jornalista Kenard Kruel Fagundes postou, na sua página do Facebook, uma nota risível sob todos os aspectos. 

Kenard Kruel, dá conta da existência de um Comitê , Memória, Verdade e Justiça existente em Teresina. 

A notícia diz ainda que esse tal “Comitê “ e um certo deputado estadual Franzé Silva(PT) decidiram pela mudança do nome da Avenida Marechal Castelo Branco, trocando a atual denominação para Esperança Garcia, tida pelos ‘historiadores piauienses’ como a primeira escrava reconhecida pela OAB, como a primeira advogada negra do Piaui. 

Será que esse certo deputado Franzé e esse obscuro “Comitê” desconhecem por completo as leis municipais e a própria Constituição Federal, que estabelecem as competências concorrentes, tanto da Câmara Municipal, como da Prefeitura de Teresina, para nominar ruas e avenidas e logradouros públicos do município? 

Agora, prosaica mesmo, foi a justificativa para tão incabível pretensão, pois, na ótica do tal “Comitê", bem como do deputado estadual Franzé Silva. o nome atual da Avenida Marechal Castelo Branco agride a consciência cívica dos piauienses, já que, o nome do Marechal Castelo Branco, primeiro presidente do regime instaurado pelos militares em 1964, ele, Castelo Branco, por ter fechado o Congreso e rasgado a Constituição vigente em 1964, enodoa a história brasileira. 

Sugerimos a esse “tribunal da inquisição" que continue dando asas a essa masturbação histórica sem pé e sem cabeça e divagando nesse opróbrio e sugira apagar o nome de Getúlio Vargas de ruas, praças e avenidas, já que o velhinho Gegê, durante os quase vinte anos que governou o País, depôs presidente, foi ditador por oito anos, tratando os seus adversários na ponta da bota e presidente constitucional. 

É isso.

A ameaça Suprema Nonsense