1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Rodrigo Maia, o dissimulado
Publicidade

Rodrigo Maia, o dissimulado

O jornal Folha de São Paulo deste sábado traz uma matéria com o presidente da Câmara dos Deputados que é um verdadeiro primor em dissimulação. Diz a manchete: “Fundo Eleitoral não pode prejudicar áreas prioritária no orçamento, diz Rodrigo Maia”. 

Rodrigo Maia durante visita em Teresina (Foto: Portal AZ)

Projeto já aprovado em fase preliminar na Comissão de Constituição e Justiça e da Câmara dos Deputados, dobrando os recursos arrancados dos pagadores de impostos deste país, já que, os R$ 1,7 bilhões gastos com o financiamento de campanhas eleitorais em 2018, simplesmente, foram mais do que duplicados, chegando a estratosférica quantia dos R$ 3,8 bilhões. Um escárnio.

Os recursos que irão beneficiar candidaturas Brasil afora sairão dos orçamentos dos ministérios da Saúde, Educação e Infraestrutura, os setores básicos de um país que pretenda ter um mínimo de decência com a sua gente. 

Agora, o mais revoltante em toda essa imoralidade é vermos o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, dissimuladamente- já que é o principal incentivador desse patranha e consciente da repulsa da sociedade diante de tamanha sem-vergonhice,- vir à público declarando que os setores como saúde, educação e infraestrutura não podem ser penalizados. É muita falta de vergonha.

Para se ter uma ideia do tamanho da tunga a ser implantada em 2020, vejam as fábulas de recursos que cada partido receberá: 

Em R$ milhões

PT- 384,70
PSL-374,70
MDB-284,2
PSD-252,9
PSDB-252,5
PP-245,60
DEM- 211,8
PL- 206,4
PSB- 205,10
PDT- 193,5
Republicanos - 185,4
Podemos- 143,8
PTB- 87,4
Solidariedade- 82,80
PSOL- 76,5
Patriota- 73,2
Novo- 68,9
Cidadania- 67:10
Pros- 66,3
PSC- 62,40
PC do B- 61,7
Rede- 52,90
Avante- 52,80
PV- 38,7
PTC-25
PMN- 21,8
DC- 11,30
PCB- 2,40
PCO-2,40
PMB- 2,40
PRTB- 2,40
PSTU- 2,40

Fonte: TSE

O jornal Folha de São Paulo deste sábado traz uma matéria com o presidente da Câmara dos Deputados que é um verdadeiro primor em dissimulação. Diz a manchete: “Fundo Eleitoral não pode prejudicar áreas prioritária no orçamento, diz Rodrigo Maia”. 

Rodrigo Maia durante visita em Teresina (Foto: Portal AZ)

Projeto já aprovado em fase preliminar na Comissão de Constituição e Justiça e da Câmara dos Deputados, dobrando os recursos arrancados dos pagadores de impostos deste país, já que, os R$ 1,7 bilhões gastos com o financiamento de campanhas eleitorais em 2018, simplesmente, foram mais do que duplicados, chegando a estratosférica quantia dos R$ 3,8 bilhões. Um escárnio.

Os recursos que irão beneficiar candidaturas Brasil afora sairão dos orçamentos dos ministérios da Saúde, Educação e Infraestrutura, os setores básicos de um país que pretenda ter um mínimo de decência com a sua gente. 

Agora, o mais revoltante em toda essa imoralidade é vermos o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, dissimuladamente- já que é o principal incentivador desse patranha e consciente da repulsa da sociedade diante de tamanha sem-vergonhice,- vir à público declarando que os setores como saúde, educação e infraestrutura não podem ser penalizados. É muita falta de vergonha.

Para se ter uma ideia do tamanho da tunga a ser implantada em 2020, vejam as fábulas de recursos que cada partido receberá: 

Em R$ milhões

PT- 384,70
PSL-374,70
MDB-284,2
PSD-252,9
PSDB-252,5
PP-245,60
DEM- 211,8
PL- 206,4
PSB- 205,10
PDT- 193,5
Republicanos - 185,4
Podemos- 143,8
PTB- 87,4
Solidariedade- 82,80
PSOL- 76,5
Patriota- 73,2
Novo- 68,9
Cidadania- 67:10
Pros- 66,3
PSC- 62,40
PC do B- 61,7
Rede- 52,90
Avante- 52,80
PV- 38,7
PTC-25
PMN- 21,8
DC- 11,30
PCB- 2,40
PCO-2,40
PMB- 2,40
PRTB- 2,40
PSTU- 2,40

Fonte: TSE

Contestando Paulo Guedes Fundo Eleitoral, ação entre genocidas