1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. A pesquisa do IBOPE, parte II
Publicidade

A pesquisa do IBOPE, parte II

A pesquisa do IBOPE divulgada na última sexta-feira sobre as intenções de votos para prefeito de Teresina, traz no seu bojo, algo incontestável, qual seja: se os candidatos Dr. Pessoa, Fábio Abreu e Fábio Novo, todos eles sob as bênçãos do Palácio de Karnak (os recursos têm a mesma origem) somarem as intenções de votos recebidas, totalizam percentuais da ordem de 56% dá preferência  do eleitorado teresinense . 

O professor Kleber Montezuma , com o apoio da máquina administrativa da Prefeitura de Teresina, só alcançou 18% das intenções de votos.

Diante dessa imensa diferença impingida pelos candidatos do Palácio de Karnak, sobre o candidato do Palácio da cidade, uma pergunta insiste em não calar: por que os candidatos Fábio Abreu e Fábio Novo , não abdicam de suas respectivas candidaturas , apoiando desde já , o líder na pesquisa do IBOPE Dr. Pessoa, e decidem a eleição logo no primeiro turno? 

Esse gesto de coesão partidária do grupo político do governador Wellington Dias, implicaria em economia a ser feita sobre escorchantes impostos que pagamos, com a desnecessária realização de um segundo turno em 25 de novembro. 

Fica a sugestão e ao contribuinte , só lhe resta agradecer o bom senso da classe política piauiense. 

É isso.

A pesquisa do IBOPE divulgada na última sexta-feira sobre as intenções de votos para prefeito de Teresina, traz no seu bojo, algo incontestável, qual seja: se os candidatos Dr. Pessoa, Fábio Abreu e Fábio Novo, todos eles sob as bênçãos do Palácio de Karnak (os recursos têm a mesma origem) somarem as intenções de votos recebidas, totalizam percentuais da ordem de 56% dá preferência  do eleitorado teresinense . 

O professor Kleber Montezuma , com o apoio da máquina administrativa da Prefeitura de Teresina, só alcançou 18% das intenções de votos.

Diante dessa imensa diferença impingida pelos candidatos do Palácio de Karnak, sobre o candidato do Palácio da cidade, uma pergunta insiste em não calar: por que os candidatos Fábio Abreu e Fábio Novo , não abdicam de suas respectivas candidaturas , apoiando desde já , o líder na pesquisa do IBOPE Dr. Pessoa, e decidem a eleição logo no primeiro turno? 

Esse gesto de coesão partidária do grupo político do governador Wellington Dias, implicaria em economia a ser feita sobre escorchantes impostos que pagamos, com a desnecessária realização de um segundo turno em 25 de novembro. 

Fica a sugestão e ao contribuinte , só lhe resta agradecer o bom senso da classe política piauiense. 

É isso.

Um escândalo capaz de derrotar candidatura A pesquisa do IBOPE