1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Agora ele vai
Publicidade

Agora ele vai

Ao receber o apoio dos partidos de direita, centro e esquerda, o médico Pessoa, não tem mais como fugir do confronto de ideias com o candidato Kleber Montezuma em debates nas TVs. 

As emissoras de TVs de Teresina, estão sendo coniventes em se recusarem a não realizarem debates, coadunando e não se sabe a que preço , a vontade dos apoiadores do médico Pessoa, que já decidiram que o candidato está proibido até mesmo de conceder entrevistas. 

Reproduzo logo abaixo o que disciplina o artigo 46 da legislação eleitoral vigente.

Art. 46. Em qualquer hipótese, deverá ser observado o seguinte:

I - é admitida a realização de debate sem a presença de candidato de algum partido político ou coligação, desde que o veículo de comunicação responsável comprove tê-lo convidado com a antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas da realização do debate (Lei nº 9.504/1997, art. 46, § 1º);

II - é vedada a presença de um mesmo candidato à eleição proporcional em mais de um debate da mesma emissora (Lei nº 9.504/1997, art. 46, § 2º);

III - o horário designado para a realização de debate poderá ser destinado à entrevista de candidato, caso apenas este tenha comparecido ao evento (Ac.-TSE nº 19.433, de 25 de junho de 2002);

IV - no primeiro turno, o debate poderá estender-se até as 7h (sete horas) da sexta-feira imediatamente anterior ao dia da eleição e, no caso de segundo turno, não poderá ultrapassar o horário de meia-noite da sexta-feira imediatamente anterior ao dia do pleito.

A emissora de TV é obrigada a convidar os dois candidatos, se um deles não comparecer o debate tem que ser feito. 

Por outro lado, a emissora de TV , não é obrigada a fazer entrevista com o candidato que se recusou a comparecer ao debate . 

É o que preceitua a legislação eleitoral vigente. Agora, por quê as emissoras de TVs locais se recusam a realizar os debates, só mesmo admitindo que, insondáveis motivos estão a patrocinar essa falta de respeito com o eleitor-telespectador. 

É isso.

Ao receber o apoio dos partidos de direita, centro e esquerda, o médico Pessoa, não tem mais como fugir do confronto de ideias com o candidato Kleber Montezuma em debates nas TVs. 

As emissoras de TVs de Teresina, estão sendo coniventes em se recusarem a não realizarem debates, coadunando e não se sabe a que preço , a vontade dos apoiadores do médico Pessoa, que já decidiram que o candidato está proibido até mesmo de conceder entrevistas. 

Reproduzo logo abaixo o que disciplina o artigo 46 da legislação eleitoral vigente.

Art. 46. Em qualquer hipótese, deverá ser observado o seguinte:

I - é admitida a realização de debate sem a presença de candidato de algum partido político ou coligação, desde que o veículo de comunicação responsável comprove tê-lo convidado com a antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas da realização do debate (Lei nº 9.504/1997, art. 46, § 1º);

II - é vedada a presença de um mesmo candidato à eleição proporcional em mais de um debate da mesma emissora (Lei nº 9.504/1997, art. 46, § 2º);

III - o horário designado para a realização de debate poderá ser destinado à entrevista de candidato, caso apenas este tenha comparecido ao evento (Ac.-TSE nº 19.433, de 25 de junho de 2002);

IV - no primeiro turno, o debate poderá estender-se até as 7h (sete horas) da sexta-feira imediatamente anterior ao dia da eleição e, no caso de segundo turno, não poderá ultrapassar o horário de meia-noite da sexta-feira imediatamente anterior ao dia do pleito.

A emissora de TV é obrigada a convidar os dois candidatos, se um deles não comparecer o debate tem que ser feito. 

Por outro lado, a emissora de TV , não é obrigada a fazer entrevista com o candidato que se recusou a comparecer ao debate . 

É o que preceitua a legislação eleitoral vigente. Agora, por quê as emissoras de TVs locais se recusam a realizar os debates, só mesmo admitindo que, insondáveis motivos estão a patrocinar essa falta de respeito com o eleitor-telespectador. 

É isso.

Antes de votar, veja o que fizeram com os seus impostos Rejane Dias apoia médico Pessoa