1. Blogs
  2. Murilo Noleto
  3. Uma ode à Timon
Publicidade

Uma ode à Timon

Sem pretenções de exaltar em um cântico os nossos sinceros votos de gratidão à Timon, no dia do seu centésimo trigésimo aniversário de emancipação político-administrativo, queremos, nesse simbólico dia, congratularmos com todos aqueles que residiram e residem na cidade mais importante da região dos Cocais Maranhenses.

As lembranças da mais tenra infância estão sempre presentes na nossa memória, já que  desde essa época, quando não estávamos à frequentar o Grupo Escolar Urbano Santos, éramos moleques de rua, sempre procurando os campinhos de peladas de futebol , para exercitarmos a coisa mais prazeirosa que existia.

A cidade de Timon, em meados dos anos cinquenta do século passado, tinha como perímetro Urbano a margem do Rio Parnaíba ao Cemitério São José. Noutro extremo, a Rua do fio à rua da chapada indo até ao Bairro Formosa.

Fomos testemunha de todos os avanços realizados desde então, em termos de expansão habitacional de Timon, tais como, o loteamento dos bairros Parque Piauí, São Benedito, Santo Antônio . 

Vendo a pujança de uma cidade como Timon, colocada entre as cinco maiores cidades do Estado Maranhão em todos os aspectos, principalmente na arrecadação de impostos estaduais, ficamos decepcionados com o brutal descaso de todos os governadores até os dias atuais, que numa visão tacanha e errônea, sempre escarneceram a gente Timonense, deixando de fazer os investimentos necessários que possibilitariam uma melhor qualidade de vida ao habitante de Timon, pela injustificada visão de que, Timon, ao lado de Teresina, capital do Estado do Piauí , não necessitava da infraestrutra que tanto faz falta.

Temos a esperança de que num futuro próximo, haveremos de ver um governador que dê o devido valor que Timon merece no contexto administrativo do Estado do Maranhão. Como síntese do descaso de todos os governadores, temos a inconclusa BR 226, redenção econômica, não só para Timon, como também para toda a Região dos Cocais Maranhenses.

Sem pretenções de exaltar em um cântico os nossos sinceros votos de gratidão à Timon, no dia do seu centésimo trigésimo aniversário de emancipação político-administrativo, queremos, nesse simbólico dia, congratularmos com todos aqueles que residiram e residem na cidade mais importante da região dos Cocais Maranhenses.

As lembranças da mais tenra infância estão sempre presentes na nossa memória, já que  desde essa época, quando não estávamos à frequentar o Grupo Escolar Urbano Santos, éramos moleques de rua, sempre procurando os campinhos de peladas de futebol , para exercitarmos a coisa mais prazeirosa que existia.

A cidade de Timon, em meados dos anos cinquenta do século passado, tinha como perímetro Urbano a margem do Rio Parnaíba ao Cemitério São José. Noutro extremo, a Rua do fio à rua da chapada indo até ao Bairro Formosa.

Fomos testemunha de todos os avanços realizados desde então, em termos de expansão habitacional de Timon, tais como, o loteamento dos bairros Parque Piauí, São Benedito, Santo Antônio . 

Vendo a pujança de uma cidade como Timon, colocada entre as cinco maiores cidades do Estado Maranhão em todos os aspectos, principalmente na arrecadação de impostos estaduais, ficamos decepcionados com o brutal descaso de todos os governadores até os dias atuais, que numa visão tacanha e errônea, sempre escarneceram a gente Timonense, deixando de fazer os investimentos necessários que possibilitariam uma melhor qualidade de vida ao habitante de Timon, pela injustificada visão de que, Timon, ao lado de Teresina, capital do Estado do Piauí , não necessitava da infraestrutra que tanto faz falta.

Temos a esperança de que num futuro próximo, haveremos de ver um governador que dê o devido valor que Timon merece no contexto administrativo do Estado do Maranhão. Como síntese do descaso de todos os governadores, temos a inconclusa BR 226, redenção econômica, não só para Timon, como também para toda a Região dos Cocais Maranhenses.

A logística do Pazuello sobrou para nós Aqui, de tudo acontece