1. Colunas
  2. Cine Vício
  3. Quatro filmes sobre a Ditadura Militar, o nosso Vietnã
Publicidade

Quatro filmes sobre a Ditadura Militar, o nosso Vietnã

Pra Frente Brasil (1982) – Reginaldo Faria apanha o filme inteiro sem ter feito absolutamente nada mas por ser confundido com um agente de esquerda sofre pra dedeu. Ambientado nos anos 70, fita poderosa sobre o regime militar com direção histórica de Roberto Faria, um dos melhores filmes já produzidos no Brasil em todos os tempos.

 
Batismo de Sangue (2007) – A história dos Freis Tito e Beto, perseguidos durante os anos de chumbo. Odiava Caio Blat até esse filme, outrora um canastra, dá um show no papel de Tito e seu fim trágico. Fita supimpa com todos os podres desse regime fascista.
 
O Que é Isso, Companheiro –
O filme não é excepcional, mas seu elenco de humoristas confere um show de dramaticidade na história real do sequestro do embaixador Charles Elbrick. Não sei quem é melhor : Pedro Cardoso, Fernandinha Torres ou Luis Fernando Veríssimo em fita que capta como ninguém o fim dos anos 60 no Brasil.
 
Ação Entre Amigos (1998) – Depois de libertos, quarteto de torturados encontram seu algoz numa rinha de galos. A vingança é ótima. Leonardo Villar impressiona como o torturador. É o segundo filme do diretor Beto Brant depois do espetacular Matadores e antes dos ótimos Invasor e Crime Delicado. Vale a pena demais ver a segurança do cineasta.

Pra Frente Brasil (1982) – Reginaldo Faria apanha o filme inteiro sem ter feito absolutamente nada mas por ser confundido com um agente de esquerda sofre pra dedeu. Ambientado nos anos 70, fita poderosa sobre o regime militar com direção histórica de Roberto Faria, um dos melhores filmes já produzidos no Brasil em todos os tempos.

 
Batismo de Sangue (2007) – A história dos Freis Tito e Beto, perseguidos durante os anos de chumbo. Odiava Caio Blat até esse filme, outrora um canastra, dá um show no papel de Tito e seu fim trágico. Fita supimpa com todos os podres desse regime fascista.
 
O Que é Isso, Companheiro –
O filme não é excepcional, mas seu elenco de humoristas confere um show de dramaticidade na história real do sequestro do embaixador Charles Elbrick. Não sei quem é melhor : Pedro Cardoso, Fernandinha Torres ou Luis Fernando Veríssimo em fita que capta como ninguém o fim dos anos 60 no Brasil.
 
Ação Entre Amigos (1998) – Depois de libertos, quarteto de torturados encontram seu algoz numa rinha de galos. A vingança é ótima. Leonardo Villar impressiona como o torturador. É o segundo filme do diretor Beto Brant depois do espetacular Matadores e antes dos ótimos Invasor e Crime Delicado. Vale a pena demais ver a segurança do cineasta.

Chamado da Floresta é divertido e emocionante Aves de Rapina é decepcionante