1. Colunas
  2. Cine Vício
  3. 40 anos de Conan
Publicidade

40 anos de Conan

Para vingar a morte de seus pais, Conan (Arnold Schwarzenegger) enfrenta um perigoso feiticeiro em busca da liga de aço, que fará com que sua espada se torne invencível. Quando criança, Conan viu seus pais serem mortos na sua frente e seu povo massacrado. Criado em um campo de escravos, ele desenvolve uma enorme força física e se torna um gladiador. Mas Conan nunca esqueceu seu triste passado e está determinado a vingar o assassinato de sua família.

Conan, O Bárbaro está completando 40 anos e  a pergunta é: como um filme produzido nos anos 80, ainda hoje permanece imbatível depois de tanto tempo? Simples, porque o filme é bom. Dino de Laurentis torrou 20 milhões na época em um filme bruto, com uma produção meio visceral mas que capta bem a Era Hiboriana e um punhado de bons atores coadjuvantes – Sven Olen Thorsen, Sandahl Bergman e  outros.

Passagens como o massacre inicial, o  ataque da bruxa  e as lutas na orgia e no grand finalle ainda hoje impactam quem assiste um filme que ainda hoje resiste incólume ao tempo. A continuação de 1984 com Grace Jones  caiu muito em relação ao original e a versão de 2011 foi uma lástima. Ainda esperamos Rei Conan.

Para vingar a morte de seus pais, Conan (Arnold Schwarzenegger) enfrenta um perigoso feiticeiro em busca da liga de aço, que fará com que sua espada se torne invencível. Quando criança, Conan viu seus pais serem mortos na sua frente e seu povo massacrado. Criado em um campo de escravos, ele desenvolve uma enorme força física e se torna um gladiador. Mas Conan nunca esqueceu seu triste passado e está determinado a vingar o assassinato de sua família.

Conan, O Bárbaro está completando 40 anos e  a pergunta é: como um filme produzido nos anos 80, ainda hoje permanece imbatível depois de tanto tempo? Simples, porque o filme é bom. Dino de Laurentis torrou 20 milhões na época em um filme bruto, com uma produção meio visceral mas que capta bem a Era Hiboriana e um punhado de bons atores coadjuvantes – Sven Olen Thorsen, Sandahl Bergman e  outros.

Passagens como o massacre inicial, o  ataque da bruxa  e as lutas na orgia e no grand finalle ainda hoje impactam quem assiste um filme que ainda hoje resiste incólume ao tempo. A continuação de 1984 com Grace Jones  caiu muito em relação ao original e a versão de 2011 foi uma lástima. Ainda esperamos Rei Conan.

O Espetacular Guerra das Flechas Benedetta é espetáculo holandês