1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Não foi, governador?
Publicidade

Não foi, governador?

Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, marcou para o próximo dia 17 o lançamento do seu livro ‘Tchau, Querida!”, que conta os bastidores do impeachment da presidente Dilma. Segundo matéria de Veja, do final da semana passada, Cunha detalha, por exemplo, a reunião secreta em que Lula confessou o arrependimento por ter patrocinado a reeleição de sua pupila (Dilma) e prometeu a Cunha tentar interferir no STF para ajudá-lo. “Traz ainda à baila uma lista de outras propostas indecorosas que, segundo ele, foram feitas por ministros de Estado e pela própria inquilina do Palácio do Planalto à época, na tentativa de barrar o impeachment, assim como por deputados que pediram alguns milhões de reais para salvar-lhe o mandato no Conselho de Ética, o que não aconteceu”. Pois bem, tive uma conversa – uma das pouquíssimas conversas que mantive com Wellington, desde seu primeiro governo, em 2003 – na qual o governador do Piauí contou coisa parecida, ou seja, de que Lula não queria, mas terminou incentivando a presidente a disputar a reeleição. À época líder do governo ou se não me engano, do PT no Senado, Wellington revelava que Dilma não recebia os políticos e nem mesmo os da bancada do PT e aí em certa reunião no Palácio do Planalto, ele se aproxima da presidente e diz que os líderes queriam falar com ela sobre a candidatura dela reeleição e ela teria dito que isso era assunto que o Lula resolveria. Porque ela só seria candidata se Lula quisesse. Ouvindo essa história ou melhor essa afirmação Wellington foi bater à porta de Lula que, dias depois de ter ido ver Dilma no Planalto, terminou revelando que a presidente disputaria a reeleição. Lula: “Eu toquei no assunto da reeleição e Dilma me disse: ´Lula, só serei se você quiser´. Então, eu a incentivei porque não podia dizer o contrário se eu e FHC tínhamos tido dois mandatos. Ela tinha direito”, revelou Lula a Wellington. Conclusão: Lula e ninguém do PT queriam a reeleição de Dilma. Não foi, governador?

Teresina criança sentindo a falta de Firmino Filho na excelente, criativa charge do inimitável Izânio Façanha. A morte abre uma lacuna no cotidiano da cidade (Foto: divulgação)

A tragédia

A morte do ex-prefeito Firmino Filho surpreendeu a todos e deixou a cidade consternada com o fato e as circunstâncias do desenlace fatal daquele que foi, sem dúvidas, um dos melhores gestores de Teresina.
A morte prematura de Firmino deixará uma lacuna na vida cotidiana de Teresina e, consequentemente, empobrece a política.

A tragédia 2

Firmino construiu sua vida política na capital, onde foi prefeito quatro vezes, vereador e deputado estadual, e preparava-se para o embate com o governador Wellington Dias, pela vaga do Senado do próximo ano, ou até mesmo a disputa pelo cargo de governador.

A tragédia 3

Técnico competente, reconhecido, servidor público federal destacado, junto ao Tribunal de Contas da União, Firmino travou duro confronto com setores da indústria e do comércio, ano passado, enquanto prefeito, buscando resguardar a população, insistindo no isolamento social, para que todos permanecessem em casa.

A tragédia 4

Essa postura de Firmino em favor da vida sempre foi considerada um dos fatores que levaram à derrota do seu candidato à própria sucessão, em 2020.
Ele trabalhava mais em livrar o ser humano da covid-19.

A tragédia 5

Ao lamento de toda a sociedade, junta-se a consternação do jornalista redator desta coluna, especialmente extensiva a solidariedade para sua família, neste momento de dor.

Processo na OAB

O presidente da OAB regional Celso Barros desmente a informação de que haveria mudanças na forma de os advogados escolherem os postulantes do Quinto Constitucional.
Diz Celso: “o certo é que continuará eleição direta onde todos os advogados votarão! Hoje Todos os 16.000 advogados votam em 3 candidatos e os 18 mais votados sobem para o Conselho escolher 6”.

Novo projeto

O presidente da OAB-PI esclarece que o novo projeto é para voltar aos moldes da escolha de Nildomar Silveira e Paes Landim (últimos escolhidos pela OAB). Como seria: todos os 16.000 votam em até 6 nomes e os 12 mais votados vão para o Conselho que escolhe 6 para remeter para o TJ que escolherá 3 para o governador escolher o desembargador.

A fonte

Perdão, a coluna ouviu uma pretensa candidata à OAB, que, em vídeo postado nas redes sociais, alardeava a tal mudança.
E, faltando ao dever do ofício, este jornalista não checou a informação. 
Que, pelo que se viu, é uma informação furada.

Notícia de ontem

Estão viralizando nos grupos de WhatsApp uma matéria que diz:
“Motorista de Wellington Dias recebeu R$ 180 mil no feriado um dia antes de entrar de férias”.

Bomba que explodiu

Para o incauto, o atordoado, que tudo compartilha, a notícia é uma bomba.
Só que é uma bomba que já estourou, porque essa matéria é de 2014.

Notícia velha

Lembram da história da Polícia Rodoviária que flagrou um motorista com R$ 180 mil, vindo de Brasília e cujo dinheiro seria para a campanha eleitoral em que Wellington Dias buscava o seu segundo governo?
Pois é. Está aí uma notícia velha.

Receita 1

Nos dois primeiros meses de 2021, o governo do Piauí arrecadou em tributos estaduais R$ 810,4 milhões, equivalente a 20,52% da previsão inicial no orçamento de 2021, que é de R$ 3,950 bilhões.

Receita 2

Os recursos oriundos de transferências constitucionais obrigatórias, portanto, não um favor do presidente da República, somaram R$ 990,4 milhões, ou 21,62% do que está previsto na lei orçamentária anual.

O cofre

O valor total das receitas correntes do estado nos dois primeiros meses do ano chegou a R$ 2,094 bilhões – o equivalente a 19,92% da previsão de receita para todo o ano de 2021, que é de R$ 10,515 bilhões.

Como assim?

Com um quinto das receitas previstas chegando aos cofres estaduais nos dois primeiros meses do ano, é meio estranho que o governo tenha adotado medidas para restrição de despesas.
Porém, sempre cabe aquela máxima segundo a qual quem calça o sapato é que sabe onde o calo aperta.

Pessoal

A maior despesa do estado, que é com pessoal e encargos sociais, somou nos dois primeiro meses de 2021 um total de R$ 1,080 bilhão.
A soma de todos os gastos chegou a R$ 1,820 bilhão.

Devagarinho

O governo gastou mais em custeio e pessoal e bem pouco em obras. O valor destinado para investimentos no cômputo de despesas ficou em R$ 71,918 milhões.
Esse valor representa somente 3,95% de toda a despesa realizada pelo estado nos meses de janeiro e fevereiro.

Dívida

Foi gasto bem mais em outra despesa de capital, o pagamento dos juros da dívida, retomados agora depois de um ano de suspensão.
O volume despendido somou R$ 129,887 milhões.

Ping-Pong
Caso de hospício

Dois loucos chegaram ao hospício. O Diretor estranhou o comportamento de cada um.

O diretor: “O quadro deles é grave?.
O enfermeiro: “Um deles é leve. Ele não entendeu o formulário do Imposto de Renda”.
O diretor: “E o outro?”.
O enfermeiro: “o quadro e gravíssimo! Ele disse que entendeu tudo”.

Colaboração: Marco Damasceno

Expressas

Faleceu ontem, em Teresina, a Dona Jesus, do famoso restaurante Longá. De covid-19.

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) registrou em março uma elevação de 200% no número de pacientes internados em relação ao mês anterior. 

Os dados da pandemia continuam em alta no Piauí. Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.313 casos confirmados e 43 óbitos pela Covid-19. 

Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, marcou para o próximo dia 17 o lançamento do seu livro ‘Tchau, Querida!”, que conta os bastidores do impeachment da presidente Dilma. Segundo matéria de Veja, do final da semana passada, Cunha detalha, por exemplo, a reunião secreta em que Lula confessou o arrependimento por ter patrocinado a reeleição de sua pupila (Dilma) e prometeu a Cunha tentar interferir no STF para ajudá-lo. “Traz ainda à baila uma lista de outras propostas indecorosas que, segundo ele, foram feitas por ministros de Estado e pela própria inquilina do Palácio do Planalto à época, na tentativa de barrar o impeachment, assim como por deputados que pediram alguns milhões de reais para salvar-lhe o mandato no Conselho de Ética, o que não aconteceu”. Pois bem, tive uma conversa – uma das pouquíssimas conversas que mantive com Wellington, desde seu primeiro governo, em 2003 – na qual o governador do Piauí contou coisa parecida, ou seja, de que Lula não queria, mas terminou incentivando a presidente a disputar a reeleição. À época líder do governo ou se não me engano, do PT no Senado, Wellington revelava que Dilma não recebia os políticos e nem mesmo os da bancada do PT e aí em certa reunião no Palácio do Planalto, ele se aproxima da presidente e diz que os líderes queriam falar com ela sobre a candidatura dela reeleição e ela teria dito que isso era assunto que o Lula resolveria. Porque ela só seria candidata se Lula quisesse. Ouvindo essa história ou melhor essa afirmação Wellington foi bater à porta de Lula que, dias depois de ter ido ver Dilma no Planalto, terminou revelando que a presidente disputaria a reeleição. Lula: “Eu toquei no assunto da reeleição e Dilma me disse: ´Lula, só serei se você quiser´. Então, eu a incentivei porque não podia dizer o contrário se eu e FHC tínhamos tido dois mandatos. Ela tinha direito”, revelou Lula a Wellington. Conclusão: Lula e ninguém do PT queriam a reeleição de Dilma. Não foi, governador?

Teresina criança sentindo a falta de Firmino Filho na excelente, criativa charge do inimitável Izânio Façanha. A morte abre uma lacuna no cotidiano da cidade (Foto: divulgação)

A tragédia

A morte do ex-prefeito Firmino Filho surpreendeu a todos e deixou a cidade consternada com o fato e as circunstâncias do desenlace fatal daquele que foi, sem dúvidas, um dos melhores gestores de Teresina.
A morte prematura de Firmino deixará uma lacuna na vida cotidiana de Teresina e, consequentemente, empobrece a política.

A tragédia 2

Firmino construiu sua vida política na capital, onde foi prefeito quatro vezes, vereador e deputado estadual, e preparava-se para o embate com o governador Wellington Dias, pela vaga do Senado do próximo ano, ou até mesmo a disputa pelo cargo de governador.

A tragédia 3

Técnico competente, reconhecido, servidor público federal destacado, junto ao Tribunal de Contas da União, Firmino travou duro confronto com setores da indústria e do comércio, ano passado, enquanto prefeito, buscando resguardar a população, insistindo no isolamento social, para que todos permanecessem em casa.

A tragédia 4

Essa postura de Firmino em favor da vida sempre foi considerada um dos fatores que levaram à derrota do seu candidato à própria sucessão, em 2020.
Ele trabalhava mais em livrar o ser humano da covid-19.

A tragédia 5

Ao lamento de toda a sociedade, junta-se a consternação do jornalista redator desta coluna, especialmente extensiva a solidariedade para sua família, neste momento de dor.

Processo na OAB

O presidente da OAB regional Celso Barros desmente a informação de que haveria mudanças na forma de os advogados escolherem os postulantes do Quinto Constitucional.
Diz Celso: “o certo é que continuará eleição direta onde todos os advogados votarão! Hoje Todos os 16.000 advogados votam em 3 candidatos e os 18 mais votados sobem para o Conselho escolher 6”.

Novo projeto

O presidente da OAB-PI esclarece que o novo projeto é para voltar aos moldes da escolha de Nildomar Silveira e Paes Landim (últimos escolhidos pela OAB). Como seria: todos os 16.000 votam em até 6 nomes e os 12 mais votados vão para o Conselho que escolhe 6 para remeter para o TJ que escolherá 3 para o governador escolher o desembargador.

A fonte

Perdão, a coluna ouviu uma pretensa candidata à OAB, que, em vídeo postado nas redes sociais, alardeava a tal mudança.
E, faltando ao dever do ofício, este jornalista não checou a informação. 
Que, pelo que se viu, é uma informação furada.

Notícia de ontem

Estão viralizando nos grupos de WhatsApp uma matéria que diz:
“Motorista de Wellington Dias recebeu R$ 180 mil no feriado um dia antes de entrar de férias”.

Bomba que explodiu

Para o incauto, o atordoado, que tudo compartilha, a notícia é uma bomba.
Só que é uma bomba que já estourou, porque essa matéria é de 2014.

Notícia velha

Lembram da história da Polícia Rodoviária que flagrou um motorista com R$ 180 mil, vindo de Brasília e cujo dinheiro seria para a campanha eleitoral em que Wellington Dias buscava o seu segundo governo?
Pois é. Está aí uma notícia velha.

Receita 1

Nos dois primeiros meses de 2021, o governo do Piauí arrecadou em tributos estaduais R$ 810,4 milhões, equivalente a 20,52% da previsão inicial no orçamento de 2021, que é de R$ 3,950 bilhões.

Receita 2

Os recursos oriundos de transferências constitucionais obrigatórias, portanto, não um favor do presidente da República, somaram R$ 990,4 milhões, ou 21,62% do que está previsto na lei orçamentária anual.

O cofre

O valor total das receitas correntes do estado nos dois primeiros meses do ano chegou a R$ 2,094 bilhões – o equivalente a 19,92% da previsão de receita para todo o ano de 2021, que é de R$ 10,515 bilhões.

Como assim?

Com um quinto das receitas previstas chegando aos cofres estaduais nos dois primeiros meses do ano, é meio estranho que o governo tenha adotado medidas para restrição de despesas.
Porém, sempre cabe aquela máxima segundo a qual quem calça o sapato é que sabe onde o calo aperta.

Pessoal

A maior despesa do estado, que é com pessoal e encargos sociais, somou nos dois primeiro meses de 2021 um total de R$ 1,080 bilhão.
A soma de todos os gastos chegou a R$ 1,820 bilhão.

Devagarinho

O governo gastou mais em custeio e pessoal e bem pouco em obras. O valor destinado para investimentos no cômputo de despesas ficou em R$ 71,918 milhões.
Esse valor representa somente 3,95% de toda a despesa realizada pelo estado nos meses de janeiro e fevereiro.

Dívida

Foi gasto bem mais em outra despesa de capital, o pagamento dos juros da dívida, retomados agora depois de um ano de suspensão.
O volume despendido somou R$ 129,887 milhões.

Ping-Pong
Caso de hospício

Dois loucos chegaram ao hospício. O Diretor estranhou o comportamento de cada um.

O diretor: “O quadro deles é grave?.
O enfermeiro: “Um deles é leve. Ele não entendeu o formulário do Imposto de Renda”.
O diretor: “E o outro?”.
O enfermeiro: “o quadro e gravíssimo! Ele disse que entendeu tudo”.

Colaboração: Marco Damasceno

Expressas

Faleceu ontem, em Teresina, a Dona Jesus, do famoso restaurante Longá. De covid-19.

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) registrou em março uma elevação de 200% no número de pacientes internados em relação ao mês anterior. 

Os dados da pandemia continuam em alta no Piauí. Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.313 casos confirmados e 43 óbitos pela Covid-19. 

Uma CPI candidata aos holofotes Falta de zelo