1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. O que eles podem...
Publicidade

O que eles podem...

Caros amigos, não deixaremos a coluna do Arimatéia Azevedo SEM VOZ! O Portal AZ convidou alguns jornalistas, humoristas, chargistas, amigos e personalidades para usar este espaço no intuito de narrarem eventos da história própria com o jornalista, do jornalista individualmente ou para serem jornalista político e investigativo por um dia, como acharem melhor. 

Leia abaixo a coluna desta quarta-feira (13) escrita pelo jornalista, radialista e escritor Toni Rodrigues* 

Eles podem tudo. Podem montar blogs para xingar meio mundo. Podem receber financiamentos dos bancos e empresas oficiais para patrocinar seus empreendimentos obtusos que aparentemente têm por meta a informação pública. Na prática objetivam apenas e tão somente confundir a opinião pública, difamar adversários do regime e, principalmente, fazer a propaganda e a autopromoção da tirania - e dos tiranos de plantão (como sempre). Vivemos num estado de arbítrio onde é proibido falar do dono. Quem ousa falar, vai para a cadeia. Na menor das hipóteses, perde emprego, renda, tem as oportunidades vetadas, não pode mais trabalhar nem sustentar a família. Será processado judicialmente e arbitrariamente encarcerado (na maioria das vezes, hoje, sem o devido processo legal). Tudo isso começou numa data não muito remota. Foi no dia 7 de novembro de 2019. Pode olhar no calendário. Naquele dia, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela soltura do maior corrupto do planeta. Em seguida, suas condenações foram extintas. Julgadores e Ministério Público, perseguidos. O juiz que o sentenciou, tornado suspeito e transformado em pária. A partir dali confirmou-se a máxima de uma autoridade piauiense. Governo e poder absoluto se confundem. Pode-se tudo na república bananeira. Só quem pode falar, escrever, reportar fatos ao distinto público são os amigos do “rei da cocada preta”. Estes, são bem pagos para tanto. Recebem uma bolada considerável, cerca de R$ 4,5 milhões mensais, de acordo com fontes na Assembleia.

"O que dizer de um jornalista que é preso sem direito de se defender?", questiona Toni Rodrigues sobre caso Arimatéia Azevedo (Foto: divulgação)

Sem direitos

O que dizer de um jornalista que é preso sem direito de se defender, que tem os seus dados celulares vazados na internet sem qualquer resquício de respeito à sua integridade e aos seus direitos?

Sem garantias

O que dizer de uma prisão que é anunciada com semanas de antecedência porque um certo empresário compareceu a um distrito policial para fazer acusações baseadas em recortes de WhatsApp?

Jornalista Silvia Bittencourt, autora do livro “A Cozinha Venenosa: um Jornal Contra Hitler” (Foto: divulgação)

Arbítrio

Vivemos realmente num estado de arbítrio. Como se estivéssemos na Alemanha nazista.
Recomenda-se leitura do livro “A Cozinha Venenosa: um Jornal Contra Hitler”, de autoria da jornalista brasileira Silvia Bittencourt.

Cena litorânea

No litoral, continua tudo como antes no quartel de Abrantes.

Ingerência

O que dizer de um delegado de polícia que não ousa exercer seu trabalho por ingerência de gestão?
O estado de arbítrio se materializa de muitas formas no Piauí.
Sobremaneira a partir de serviçais de partidos políticos extremistas.

Covidão 1

De acordo com autoridades da Polícia Federal, os desvios nos estados e municípios em relação aos recursos de combate ao Covid-19 chega a ser seis vezes mais do que os verificados nos escândalos apurados pela operação Lava Jato, durante a finada era PT.
O Ministério Público Federal divulgou na época que os valores desviados no petrolão somariam aproximadamente R$ 200 bilhões.

Covidão 2

É só fazer os cálculos para saber por que muitos se uniram para derrubar a Lava Jato.
É preciso liberdade para continuar metendo a mão no dinheiro do povo.

Estrada de Pau D'Arco tomada por crateras (Foto: reprodução WhatsApp)

Pau D'Arco do Piauí

Por falar em liberdade, nossas liberdades estão sendo suprimidas progressivamente.
Em Pau D'Arco, a rodovia de acesso está um caos, literalmente uma cratera lunar.
E isso acontece por uma razão simples: o prefeito Nilton Bacelar pertence ao Progressistas.
Não se tem mais nem a liberdade de escolha partidária.

Por Toni Rodrigues
Jornalista, radialista e escritor 

Ping-Pong
A capital do mundo

Década de 90. Em uma sessão do pleno do Tribunal de Justiça do Piauí, o então Desembargador Ozires Neves, que é filho e admirador da cidade de Piripiri-PI, e o Desembargador Brandão de Carvalho, que é filho e admirador da cidade de Piracuruca-PI travam o seguinte diálogo:

Ozires: “Não há dúvidas, Piripiri é a capital do mundo”.
Brandão: “Desembargador Ozires eu até aceito a premissa de que Piripiri é a capital do mundo, se o mundo a que Vossa Excelência se refere for Piracuruca”.

Expressas

O secretário de Saúde, Florentino Neto, fez um apelo para as pessoas tomem a segunda dose da vacina contra a covid-19 no Piauí. 

Dados divulgados pela Fiocruz apontam que 146.848 pessoas estão com o esquema vacinal atrasado no Piauí.

O ex-deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Jesus Rodrigues, vai apoiar a chapa de Silvio Mendes (PSDB) e Iracema Portella (PP) na disputa ao governo do Piauí em 2022. 

Clique aqui e entenda o que levou o jornalista Arimatéia Azevedo ser preso

Matérias relacionadas:

Lawfare: a caçada ao jornalista    

Sindjor-PI e Fenaj repudiam prisão de Arimatéia Azevedo e afirmam: “perseguição está escancarada”    

Advogados reforçam ilegalidade da prisão e pré-julgamento de Arimatéia Azevedo    

Advogado destaca falta de provas em prisão de Arimatéia Azevedo: “um absurdo jurídico”

Homem que acusa Arimatéia Azevedo de extorsão nunca esteve com o jornalista

Processo não aponta ligação do jornalista Arimatéia Azevedo ao suposto crime de extorsão

Caros amigos, não deixaremos a coluna do Arimatéia Azevedo SEM VOZ! O Portal AZ convidou alguns jornalistas, humoristas, chargistas, amigos e personalidades para usar este espaço no intuito de narrarem eventos da história própria com o jornalista, do jornalista individualmente ou para serem jornalista político e investigativo por um dia, como acharem melhor. 

Leia abaixo a coluna desta quarta-feira (13) escrita pelo jornalista, radialista e escritor Toni Rodrigues* 

Eles podem tudo. Podem montar blogs para xingar meio mundo. Podem receber financiamentos dos bancos e empresas oficiais para patrocinar seus empreendimentos obtusos que aparentemente têm por meta a informação pública. Na prática objetivam apenas e tão somente confundir a opinião pública, difamar adversários do regime e, principalmente, fazer a propaganda e a autopromoção da tirania - e dos tiranos de plantão (como sempre). Vivemos num estado de arbítrio onde é proibido falar do dono. Quem ousa falar, vai para a cadeia. Na menor das hipóteses, perde emprego, renda, tem as oportunidades vetadas, não pode mais trabalhar nem sustentar a família. Será processado judicialmente e arbitrariamente encarcerado (na maioria das vezes, hoje, sem o devido processo legal). Tudo isso começou numa data não muito remota. Foi no dia 7 de novembro de 2019. Pode olhar no calendário. Naquele dia, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela soltura do maior corrupto do planeta. Em seguida, suas condenações foram extintas. Julgadores e Ministério Público, perseguidos. O juiz que o sentenciou, tornado suspeito e transformado em pária. A partir dali confirmou-se a máxima de uma autoridade piauiense. Governo e poder absoluto se confundem. Pode-se tudo na república bananeira. Só quem pode falar, escrever, reportar fatos ao distinto público são os amigos do “rei da cocada preta”. Estes, são bem pagos para tanto. Recebem uma bolada considerável, cerca de R$ 4,5 milhões mensais, de acordo com fontes na Assembleia.

"O que dizer de um jornalista que é preso sem direito de se defender?", questiona Toni Rodrigues sobre caso Arimatéia Azevedo (Foto: divulgação)

Sem direitos

O que dizer de um jornalista que é preso sem direito de se defender, que tem os seus dados celulares vazados na internet sem qualquer resquício de respeito à sua integridade e aos seus direitos?

Sem garantias

O que dizer de uma prisão que é anunciada com semanas de antecedência porque um certo empresário compareceu a um distrito policial para fazer acusações baseadas em recortes de WhatsApp?

Jornalista Silvia Bittencourt, autora do livro “A Cozinha Venenosa: um Jornal Contra Hitler” (Foto: divulgação)

Arbítrio

Vivemos realmente num estado de arbítrio. Como se estivéssemos na Alemanha nazista.
Recomenda-se leitura do livro “A Cozinha Venenosa: um Jornal Contra Hitler”, de autoria da jornalista brasileira Silvia Bittencourt.

Cena litorânea

No litoral, continua tudo como antes no quartel de Abrantes.

Ingerência

O que dizer de um delegado de polícia que não ousa exercer seu trabalho por ingerência de gestão?
O estado de arbítrio se materializa de muitas formas no Piauí.
Sobremaneira a partir de serviçais de partidos políticos extremistas.

Covidão 1

De acordo com autoridades da Polícia Federal, os desvios nos estados e municípios em relação aos recursos de combate ao Covid-19 chega a ser seis vezes mais do que os verificados nos escândalos apurados pela operação Lava Jato, durante a finada era PT.
O Ministério Público Federal divulgou na época que os valores desviados no petrolão somariam aproximadamente R$ 200 bilhões.

Covidão 2

É só fazer os cálculos para saber por que muitos se uniram para derrubar a Lava Jato.
É preciso liberdade para continuar metendo a mão no dinheiro do povo.

Estrada de Pau D'Arco tomada por crateras (Foto: reprodução WhatsApp)

Pau D'Arco do Piauí

Por falar em liberdade, nossas liberdades estão sendo suprimidas progressivamente.
Em Pau D'Arco, a rodovia de acesso está um caos, literalmente uma cratera lunar.
E isso acontece por uma razão simples: o prefeito Nilton Bacelar pertence ao Progressistas.
Não se tem mais nem a liberdade de escolha partidária.

Por Toni Rodrigues
Jornalista, radialista e escritor 

Ping-Pong
A capital do mundo

Década de 90. Em uma sessão do pleno do Tribunal de Justiça do Piauí, o então Desembargador Ozires Neves, que é filho e admirador da cidade de Piripiri-PI, e o Desembargador Brandão de Carvalho, que é filho e admirador da cidade de Piracuruca-PI travam o seguinte diálogo:

Ozires: “Não há dúvidas, Piripiri é a capital do mundo”.
Brandão: “Desembargador Ozires eu até aceito a premissa de que Piripiri é a capital do mundo, se o mundo a que Vossa Excelência se refere for Piracuruca”.

Expressas

O secretário de Saúde, Florentino Neto, fez um apelo para as pessoas tomem a segunda dose da vacina contra a covid-19 no Piauí. 

Dados divulgados pela Fiocruz apontam que 146.848 pessoas estão com o esquema vacinal atrasado no Piauí.

O ex-deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Jesus Rodrigues, vai apoiar a chapa de Silvio Mendes (PSDB) e Iracema Portella (PP) na disputa ao governo do Piauí em 2022. 

Clique aqui e entenda o que levou o jornalista Arimatéia Azevedo ser preso

Matérias relacionadas:

Lawfare: a caçada ao jornalista    

Sindjor-PI e Fenaj repudiam prisão de Arimatéia Azevedo e afirmam: “perseguição está escancarada”    

Advogados reforçam ilegalidade da prisão e pré-julgamento de Arimatéia Azevedo    

Advogado destaca falta de provas em prisão de Arimatéia Azevedo: “um absurdo jurídico”

Homem que acusa Arimatéia Azevedo de extorsão nunca esteve com o jornalista

Processo não aponta ligação do jornalista Arimatéia Azevedo ao suposto crime de extorsão

Pela liberdade de Arimatéia Azevedo Arimatéia Azevedo, coragem de leão e audacioso no quesito investigação jornalística