1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Programa fake de alfabetização
Publicidade

Programa fake de alfabetização

Paulo Freire, o educador brasileiro respeitado em todo o mundo, morreria mais uma vez se fosse apresentado ao eleitoreiro programa montado pelo governo do Piauí, sob os auspícios do ex-governador Wellington Dias, com a desculpa (e não o objetivo) de reduzir o analfabetismo no estado. Dias obteve da Assembleia Legislativa uma lei que autoriza o estado a dar uma bolsa aos educandos. Aí começou a montagem do Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos (Proaja), que obedeceu a uma lógica mercadológica que antigamente se chamava “marketing de rede”, ou seja, em vez de se usar, por exemplo, o método de alfabetização do educador pernambucano, optou-se pela montagem de uma farsa, que consistiu em contratar instituições companheiras (e não parceiras, como seria mais adequado), que reuniram professores supervisores, os quais contactavam outros professores para que estes amealhassem alunos para a formação de turmas de alfabetização – ou seja, o estado terceirizou sua ação através de um sistema parecido com pirâmides, em que instituições privadas cuidam de achar a demanda para o serviço a ser feito. Santa canalhice! Tudo isso é um atentado a todas as ideias sobre alfabetização de jovens e adultos, alvo de uma política pública permanente no âmbito da educação brasileira. Não houve qualquer preocupação com métodos e projetos porque o governo do Piauí faz tempo que não cuida das estatísticas oficiais, tendo, sob a gestão de 20 anos do PT destruído a Fundação Centro Piauienses de Pesquisas Econômico-Sociais (Cepro). Sem dados e sem rumo, mas sempre de olho na eleição, Wellington Dias montou o Proaja, que agora é alvo de investigações da Polícia Federal e de denúncias de professores e educando que não recebem salários prometidos nem as aulas e nem a bolsa de R$ 400. Deu errado o programa e a única certeza sobre ele é que essa esperteza vai custar dinheiro demais para resultados de menos. Com sorte as investigações colocam alguém no xilindró, mas para azar dos piauienses, essas ideias mirabolantes não vão mexer nem um átimo na vergonhosa taxa de 16% de piauienses com mais de 15 anos que não sabem nem ler nem escrever.

Wesley Safadão deve fazer show na zona rural de Miguel Alves (Foto: divulgação)

Os Tira-Votos

Candidato é bicho que engole Sapo. Rafael Fonteles sabe o tamanho do problema que está vivendo tendo que aceitar no mesmo lado o atual prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Fernando do Tim Tim (PSD) e o ex, o todo encalacrado judicialmente, Ronaldo Castelo Branco. 
Pior é que tanto um lado como o outro da política “remediense” não aceita essa parceria.

Sem crédito

Os comandos das candidaturas majoritárias tem usado a mídia para alardear a quantidade de prefeitos de Rafael e de Silvio. 
Não sabem eles (ou sabem?) que prefeito é hoje bicho sem qualquer credibilidade. 

Queimado

Como diria Manin Rego, ex-prefeito de Barras, prefeito está mais queimado que o “pau de torrar café”. 
O eleitor nem sempre o acompanha num embate como a campanha que se descortina no Piauí.

O peixe graúdo

A moça que foi presa recebendo propina para agilizar um processo no Fórum de Teresina é terceirizada. Portanto, teoricamente, não teria um token, sem qualificação para realizar qualquer ato decisivo nos processos. 
É preciso ver quem está (ou queria) dividindo com ela.
Pode ter peixe graúdo. 

Se fossem os outros…

Diante do salseiro de supostas traquinagens nas contas da secretaria de segurança um delegado de polícia disse, taxativo, a um dos colunistas substitutos:
“Em casos assim, em outras secretarias, nós já tínhamos prendido até o chefe da garagem”. 

E tem mais dois anos

Se as supostas maracutaias nas contas de 2018 e 2019 da Secretaria de Segurança fizeram tanto estrago no dinheiro público, imagine como estão os exercícios financeiros de 2020 e 2021.
Não tem dinheiro federal para que a Polícia Federal entre na história? 

MP na parada

A promotoria  de justiça de Miguel Alves  deve se posicionar e cobrar explicações do deputado Oliveira Neto sobre contratações de bandas, com respectivos valores, locais e datas dos shows anunciados pelo deputado por conta do aniversário da cidade, na próxima semana. 
E, como se trata de artista, como Wesley Safadão, que tem cobrado cachês acima de R$ 300 mil, a curiosidade é saber se o pagamento será feito mediante emenda parlamentar. 
Ou do bolso do deputado. Do bolso? 

Safadão na zona rural

Como se diz que o deputado está tentando burlar a fiscalização, Safadão agora vai fazer show no mato. Isso mesmo. 
Para a comemoração do aniversário de Miguel Alves, há uma programação oficial, elaborada pela prefeitura. 
Mas, apesar de decreto municipal que faz exigências sobre eventos artísticos, o deputado Oliveira Neto e seu pai, Miguel, estão anunciando um show de Wesley Safadao na zona rural do município. 

Pistas interditadas

Por conta do show do internacional Safadão serão interditadas as rodovias que ligam Miguel Alves a Porto e à cidade de Barras.  
Mas, por enquanto não há autorização dos órgãos competentes.

Perigo

Informam, de Miguel Alves, para os colunistas substitutos, que há também um tanque de combustíveis no local. 

Estrada eleitoral

Olha que maravilha: a Secretaria de Transportes, feudo administrativo pertencente ao neopetista Hélio Isaías, vai gastar R$ 10.888.174,34 para melhoramento e recuperação de estradas vicinais em revestimento primário, totalizando 228,11 quilômetros.
A empresa responsável pela obra é a BS Construções.

Terreiros eleitorais

Assim só por uma dessas boas coincidências, as estradas vicinais a serem “recuperadas”ficam em áreas onde Hélio Isaías é votado: Fartura do Piauí/Dirceu Arcoverde (44,91 km); Dom Inocêncio/Coronel José Dias (89,51 km); São Francisco de Assis do Piauí/Conceição do Canindé; Entroncamento BR-020 a Isaías Coelho (53,50 km); São Francisco de Assis do Piauí/povoado Tigre (40,19 km).

Escuridão

Atende pelo nome que está no título desta nota a localidade em que a Secretaria de Infraestrutura do Piauí, feudo estatal da deputada neopetista Janaína Marques, vai fazer uma praça.
A praça da localidade Escuridão, zona rural de Cabeceiras do Piauí, vai custar módicos R$ 151.840,52.

Agro eleitoral

A empreiteira Construmax Empreendimentos Imobiliários Ltda., foi contratada pela Secretaria de Agronegócio, feudo dos deputados Júlio César e Georgiano Neto, pai e filho, para fazer 149.186,88 metros quadrados de obras de recuperação e regularização de pavimentação em revestimento primário em estradas.
O custo será de R$1.943.584,28

Trechos

Como Georgiano Neto é fominha por voto e deve estar querendo bater seu próprio recorde de deputado estadual mais votado no Piauí (79.723 votos em 2018), é capaz que ele tenha interesses eleitorais nos trechos da estrada estadual a ser recuperada, a PI-466, que passa pelas localidades Malhada Alta, Aroeira, Mocambo, Mosqueiro, Arlindo, Boa Vista, Themistocles, Lajeiro, Toca, Arara, Tabuleiro, Pé do Morro, Travessão, Vereda e Felipe, no município de João Costa.

Roço

Alô, alô dr. Ribamar Bastos, dirigente local do Dnit no Piauí, um roço faria muito bem à segurança dos motoristas que trafegam nos trechos urbanos das BR-316 e 343 em Teresina. O mato invadiu os acostamentos, sobretudo da BR-343 logo após a ponte Tancredo Neves, na zona Sudeste da cidade.

Licitação suspensa

Os leitores devem lembrar da milionária licitação que a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiseh) programou para registros de preços e aquisições futuras de R$ 112,7 milhões em medicamentos. 
Bem, além do TCE, agora também o Judiciário determinou a suspensão do ato. 

Improbidade

A Primeira Vara da Fazenda Pública acolheu pedido do Ministério Público, em ação de improbidade administrativa, para suspensão liminar (provisória) da licitação.
O MP viu risco de prejuízo aos cofres públicos e o juiz, em razão disso, enxergou a mesma danosa possibilidade.

Olha, olha!

O Conselho Estadual de Política de Combate à Pobreza vai repassar R$ 3 milhões a 30 organizações não governamentais ligadas a grupos políticos no poder no Piauí. Outras 50 ongs já se beneficiaram de verbas do Fundo de Combate à Pobreza, gerido pelo Confecop, em um total de R$ 5 milhões.
Com isso, em ano eleitoral, o Confecop terá destinado R$ 80 mil a cada ong ou R$ 8 milhões no total.
Uma beleza. 

Mais diversa?

Uma coisa que chama atenção na chapa majoritária governista ou, melhor dizendo, petista ao governo do Piauí, é sua formação por três homens.
A chapa de oposição tem mais diversidade, com uma mulher, a pré-candidata a vice-governadora Iracema Portella, e um homem preto, o candidato a senador Joel Rodrigues.

Negócios na moita

Circula nos  grupos uma foto de uns três mal encarados com o deputado Merlong Solano, de costas e, dizem, que estaria o deputado negociando apoio de um suplente de vereador.
O suplente de vereador, por seu turno, tem prometido obras e até dinheiro do Fundeb.

O “ténico” da vez

Para fortalecer cada vez mais Jeová Alencar, doutor Pessoa está anunciando a nomeação de um nome “ténico” para a equipe. 
E o da vez será um vereador do PSDB para uma secretaria e chamar mais um suplente, Ítalo Barros.

Ping-pong

Sem movimento

Magalhães Pinto, ex-governador de Minas e senador, encontra-se com Pedro Grossi, assessor parlamentar do Ministério do Planejamento.
Grossi: “Tudo bem, senador?”
Magalhães: “Tudo bem, tudo calmo”.
Grossi: “Mas bem e calmo como, se há greves em Minas?”
Magalhães: “É por isso mesmo. Minas está calma. Lá está tudo parado, tudo fechado”.

Originalmente publicado em 30 de janeiro de 2016.

Expressas

A funcionária terceirizada do Tribunal de Justiça, que foi presa nesta segunda-feira (16) cobrando R$2000 de uma mulher para que um processo fosse agilizado, teve sua prisão em flagrante convertida para preventiva. 

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí (Fecomércio-PI) emitiu uma nota de repúdio informando que a Secretaria de Cultura do Piauí (Secult) teria mandado quebrar os cadeados da sede da Fecomércio, localizada na cidade de Parnaíba, e que ainda teria guardas armados no local.

A Secult informou que "possui a salvaguarda do patrimônio que compreende o complexo turístico assegurada pela Procuradoria Geral do Estado do Piauí - PGE/PI, conforme despacho do dia 26 de outubro 2021". 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

Paulo Freire, o educador brasileiro respeitado em todo o mundo, morreria mais uma vez se fosse apresentado ao eleitoreiro programa montado pelo governo do Piauí, sob os auspícios do ex-governador Wellington Dias, com a desculpa (e não o objetivo) de reduzir o analfabetismo no estado. Dias obteve da Assembleia Legislativa uma lei que autoriza o estado a dar uma bolsa aos educandos. Aí começou a montagem do Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos (Proaja), que obedeceu a uma lógica mercadológica que antigamente se chamava “marketing de rede”, ou seja, em vez de se usar, por exemplo, o método de alfabetização do educador pernambucano, optou-se pela montagem de uma farsa, que consistiu em contratar instituições companheiras (e não parceiras, como seria mais adequado), que reuniram professores supervisores, os quais contactavam outros professores para que estes amealhassem alunos para a formação de turmas de alfabetização – ou seja, o estado terceirizou sua ação através de um sistema parecido com pirâmides, em que instituições privadas cuidam de achar a demanda para o serviço a ser feito. Santa canalhice! Tudo isso é um atentado a todas as ideias sobre alfabetização de jovens e adultos, alvo de uma política pública permanente no âmbito da educação brasileira. Não houve qualquer preocupação com métodos e projetos porque o governo do Piauí faz tempo que não cuida das estatísticas oficiais, tendo, sob a gestão de 20 anos do PT destruído a Fundação Centro Piauienses de Pesquisas Econômico-Sociais (Cepro). Sem dados e sem rumo, mas sempre de olho na eleição, Wellington Dias montou o Proaja, que agora é alvo de investigações da Polícia Federal e de denúncias de professores e educando que não recebem salários prometidos nem as aulas e nem a bolsa de R$ 400. Deu errado o programa e a única certeza sobre ele é que essa esperteza vai custar dinheiro demais para resultados de menos. Com sorte as investigações colocam alguém no xilindró, mas para azar dos piauienses, essas ideias mirabolantes não vão mexer nem um átimo na vergonhosa taxa de 16% de piauienses com mais de 15 anos que não sabem nem ler nem escrever.

Wesley Safadão deve fazer show na zona rural de Miguel Alves (Foto: divulgação)

Os Tira-Votos

Candidato é bicho que engole Sapo. Rafael Fonteles sabe o tamanho do problema que está vivendo tendo que aceitar no mesmo lado o atual prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Fernando do Tim Tim (PSD) e o ex, o todo encalacrado judicialmente, Ronaldo Castelo Branco. 
Pior é que tanto um lado como o outro da política “remediense” não aceita essa parceria.

Sem crédito

Os comandos das candidaturas majoritárias tem usado a mídia para alardear a quantidade de prefeitos de Rafael e de Silvio. 
Não sabem eles (ou sabem?) que prefeito é hoje bicho sem qualquer credibilidade. 

Queimado

Como diria Manin Rego, ex-prefeito de Barras, prefeito está mais queimado que o “pau de torrar café”. 
O eleitor nem sempre o acompanha num embate como a campanha que se descortina no Piauí.

O peixe graúdo

A moça que foi presa recebendo propina para agilizar um processo no Fórum de Teresina é terceirizada. Portanto, teoricamente, não teria um token, sem qualificação para realizar qualquer ato decisivo nos processos. 
É preciso ver quem está (ou queria) dividindo com ela.
Pode ter peixe graúdo. 

Se fossem os outros…

Diante do salseiro de supostas traquinagens nas contas da secretaria de segurança um delegado de polícia disse, taxativo, a um dos colunistas substitutos:
“Em casos assim, em outras secretarias, nós já tínhamos prendido até o chefe da garagem”. 

E tem mais dois anos

Se as supostas maracutaias nas contas de 2018 e 2019 da Secretaria de Segurança fizeram tanto estrago no dinheiro público, imagine como estão os exercícios financeiros de 2020 e 2021.
Não tem dinheiro federal para que a Polícia Federal entre na história? 

MP na parada

A promotoria  de justiça de Miguel Alves  deve se posicionar e cobrar explicações do deputado Oliveira Neto sobre contratações de bandas, com respectivos valores, locais e datas dos shows anunciados pelo deputado por conta do aniversário da cidade, na próxima semana. 
E, como se trata de artista, como Wesley Safadão, que tem cobrado cachês acima de R$ 300 mil, a curiosidade é saber se o pagamento será feito mediante emenda parlamentar. 
Ou do bolso do deputado. Do bolso? 

Safadão na zona rural

Como se diz que o deputado está tentando burlar a fiscalização, Safadão agora vai fazer show no mato. Isso mesmo. 
Para a comemoração do aniversário de Miguel Alves, há uma programação oficial, elaborada pela prefeitura. 
Mas, apesar de decreto municipal que faz exigências sobre eventos artísticos, o deputado Oliveira Neto e seu pai, Miguel, estão anunciando um show de Wesley Safadao na zona rural do município. 

Pistas interditadas

Por conta do show do internacional Safadão serão interditadas as rodovias que ligam Miguel Alves a Porto e à cidade de Barras.  
Mas, por enquanto não há autorização dos órgãos competentes.

Perigo

Informam, de Miguel Alves, para os colunistas substitutos, que há também um tanque de combustíveis no local. 

Estrada eleitoral

Olha que maravilha: a Secretaria de Transportes, feudo administrativo pertencente ao neopetista Hélio Isaías, vai gastar R$ 10.888.174,34 para melhoramento e recuperação de estradas vicinais em revestimento primário, totalizando 228,11 quilômetros.
A empresa responsável pela obra é a BS Construções.

Terreiros eleitorais

Assim só por uma dessas boas coincidências, as estradas vicinais a serem “recuperadas”ficam em áreas onde Hélio Isaías é votado: Fartura do Piauí/Dirceu Arcoverde (44,91 km); Dom Inocêncio/Coronel José Dias (89,51 km); São Francisco de Assis do Piauí/Conceição do Canindé; Entroncamento BR-020 a Isaías Coelho (53,50 km); São Francisco de Assis do Piauí/povoado Tigre (40,19 km).

Escuridão

Atende pelo nome que está no título desta nota a localidade em que a Secretaria de Infraestrutura do Piauí, feudo estatal da deputada neopetista Janaína Marques, vai fazer uma praça.
A praça da localidade Escuridão, zona rural de Cabeceiras do Piauí, vai custar módicos R$ 151.840,52.

Agro eleitoral

A empreiteira Construmax Empreendimentos Imobiliários Ltda., foi contratada pela Secretaria de Agronegócio, feudo dos deputados Júlio César e Georgiano Neto, pai e filho, para fazer 149.186,88 metros quadrados de obras de recuperação e regularização de pavimentação em revestimento primário em estradas.
O custo será de R$1.943.584,28

Trechos

Como Georgiano Neto é fominha por voto e deve estar querendo bater seu próprio recorde de deputado estadual mais votado no Piauí (79.723 votos em 2018), é capaz que ele tenha interesses eleitorais nos trechos da estrada estadual a ser recuperada, a PI-466, que passa pelas localidades Malhada Alta, Aroeira, Mocambo, Mosqueiro, Arlindo, Boa Vista, Themistocles, Lajeiro, Toca, Arara, Tabuleiro, Pé do Morro, Travessão, Vereda e Felipe, no município de João Costa.

Roço

Alô, alô dr. Ribamar Bastos, dirigente local do Dnit no Piauí, um roço faria muito bem à segurança dos motoristas que trafegam nos trechos urbanos das BR-316 e 343 em Teresina. O mato invadiu os acostamentos, sobretudo da BR-343 logo após a ponte Tancredo Neves, na zona Sudeste da cidade.

Licitação suspensa

Os leitores devem lembrar da milionária licitação que a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiseh) programou para registros de preços e aquisições futuras de R$ 112,7 milhões em medicamentos. 
Bem, além do TCE, agora também o Judiciário determinou a suspensão do ato. 

Improbidade

A Primeira Vara da Fazenda Pública acolheu pedido do Ministério Público, em ação de improbidade administrativa, para suspensão liminar (provisória) da licitação.
O MP viu risco de prejuízo aos cofres públicos e o juiz, em razão disso, enxergou a mesma danosa possibilidade.

Olha, olha!

O Conselho Estadual de Política de Combate à Pobreza vai repassar R$ 3 milhões a 30 organizações não governamentais ligadas a grupos políticos no poder no Piauí. Outras 50 ongs já se beneficiaram de verbas do Fundo de Combate à Pobreza, gerido pelo Confecop, em um total de R$ 5 milhões.
Com isso, em ano eleitoral, o Confecop terá destinado R$ 80 mil a cada ong ou R$ 8 milhões no total.
Uma beleza. 

Mais diversa?

Uma coisa que chama atenção na chapa majoritária governista ou, melhor dizendo, petista ao governo do Piauí, é sua formação por três homens.
A chapa de oposição tem mais diversidade, com uma mulher, a pré-candidata a vice-governadora Iracema Portella, e um homem preto, o candidato a senador Joel Rodrigues.

Negócios na moita

Circula nos  grupos uma foto de uns três mal encarados com o deputado Merlong Solano, de costas e, dizem, que estaria o deputado negociando apoio de um suplente de vereador.
O suplente de vereador, por seu turno, tem prometido obras e até dinheiro do Fundeb.

O “ténico” da vez

Para fortalecer cada vez mais Jeová Alencar, doutor Pessoa está anunciando a nomeação de um nome “ténico” para a equipe. 
E o da vez será um vereador do PSDB para uma secretaria e chamar mais um suplente, Ítalo Barros.

Ping-pong

Sem movimento

Magalhães Pinto, ex-governador de Minas e senador, encontra-se com Pedro Grossi, assessor parlamentar do Ministério do Planejamento.
Grossi: “Tudo bem, senador?”
Magalhães: “Tudo bem, tudo calmo”.
Grossi: “Mas bem e calmo como, se há greves em Minas?”
Magalhães: “É por isso mesmo. Minas está calma. Lá está tudo parado, tudo fechado”.

Originalmente publicado em 30 de janeiro de 2016.

Expressas

A funcionária terceirizada do Tribunal de Justiça, que foi presa nesta segunda-feira (16) cobrando R$2000 de uma mulher para que um processo fosse agilizado, teve sua prisão em flagrante convertida para preventiva. 

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí (Fecomércio-PI) emitiu uma nota de repúdio informando que a Secretaria de Cultura do Piauí (Secult) teria mandado quebrar os cadeados da sede da Fecomércio, localizada na cidade de Parnaíba, e que ainda teria guardas armados no local.

A Secult informou que "possui a salvaguarda do patrimônio que compreende o complexo turístico assegurada pela Procuradoria Geral do Estado do Piauí - PGE/PI, conforme despacho do dia 26 de outubro 2021". 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

Pedaladas e irresponsabilidades As malfeitorias de quem deveria combater o crime