1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Nordeste no pódio, estreia e puxão de orelha: a trajetória de Victor Raphael ao bronze no Brasileiro Sub-16 de atletismo
Publicidade

Nordeste no pódio, estreia e puxão de orelha: a trajetória de Victor Raphael ao bronze no Brasileiro Sub-16 de atletismo

Atleta competiu pela terceira vez na carreira na prova de salto em distância e garantiu sua primeira conquista em Brasileiro

Joelhos no chão. Prece. Salto. O ritual feito por Victor Raphael na pista da Unifor, na última sexta (20) renderam ao atleta o tão sonhado pódio. Com o salto de 6m32 Victor bateu sua marca pessoa e conquistou a medalha de bronze no Campeonato Brasileiro Sub-16 de atletismo. 


Victor Raphael e a medalha de bronze do Brasileiro Sub-16 (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

“Já estava feliz por estar entre os melhores, mas eu gosto de pensar grande. Eu fui mirando no primeiro. Infelizmente dessa vez não deu, mas na próxima eu quero tentar. Gostei muito da prova. Descobri que tenho que confiar em mim porque eu consegui o bronze no meu penúltimo salto. Antes disso eu estava em sétimo na prova e no Norte Nordeste quando eu descobri que estava em sétimo eu falei pra mim que não ia dá. Já no Brasileiro eu acreditei. Me ajoelhei e disse “Deus, não importa a cor da medalha. Esse salto vai sair agora” e eu fui e consegui o terceiro lugar”

Aos 14 anos, o atleta que saiu de Monsenhor Gil há dois anos para estudar e treinar em Teresina começa a abrir seus caminhos na modalidade. Com o salto em distância, Victor sempre se identificou, mas foi apenas em maio deste ano que, após um teste do treinador Nilson Sousa, Victor iniciou sua trajetória em nova prova. 

“É uma prova que eu sempre quis. Desde quando treinava em Monsenhor Gil eu sempre via os meninos saltando só que por ele serem grandes e altos eu pensava que não seria. Mas dentro de mim eu sempre quis ser. Quando eu fui para Fortaleza eu fiz e deu certo”, destacou Victor.


Victor ao lado do técnico Nilson Sousa (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

“Ele não tem o biótipo de saltado, mas como ele é muito rápido. Fiz o teste com ele em maio em uma competição. Já que ele é rápido e veloz nós fizemos o teste e deu certo. De maio para cá ele fez algumas competições e o Brasileiro foi a terceira. O Victor é um menino muito determinado. Hoje são poucos adolescentes na idade dele que fazem o que ele faz”, afirmou o treinador. 


Victor Raphael (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Ano passado devido a uma lesão Victor não pode disputar o Brasileiro. Este ano, a chance veio e com ela os novos aprendizados. Antes de competir no Brasileiro, o atleta tinha disputado ainda no final de agosto o Troféu Norte Nordeste Sub-16 e amargado a sétima posição na prova. 

O puxão de orelha do técnico Nilson Sousa acabou resultando em medalha na competição nacional e Victor foi o único atleta do Nordeste a estar no pódio do salto em distância no Brasileiro Sub-16. 

“Apesar dele ter cometido alguns erros que em algumas competições tiraram medalhas dele, no caso do Norte Nordeste, isso faz parte do crescimento e desenvolvimento dele. Aprender com os erros e no intervalo de 10 dias de um erro ele voltou com uma medalha de bronze. No pódio ele foi o único do Norte Nordeste. Isso é importante não só para o estado, mas também para a região que teve um representante. Já vinhamos querendo essa medalha desde o ano passado. Daqui para frente é manter isso e melhorar ainda mais”


Atleta tem realizado treinos na Avenida Teresina, em Timon (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

No calendário, Victor Raphael terá em novembro a disputa dos Jogos Escolares da Juventude que acontece em Blumenau, Santa Catarina, entre os dias 22 e 25 de novembro. Essa será a última competição do ano para o atleta e a expectativa estar no pódio mais alto. 

“Eu quero ajustar principalmente minha técnica. Tenho velocidade, mas técnica eu não tenho. Com ela eu sei que posso fazer uma marca muito maior e estou indo para o Escolar visando o ouro. Vou botar para quebrar”

Joelhos no chão. Prece. Salto. O ritual feito por Victor Raphael na pista da Unifor, na última sexta (20) renderam ao atleta o tão sonhado pódio. Com o salto de 6m32 Victor bateu sua marca pessoa e conquistou a medalha de bronze no Campeonato Brasileiro Sub-16 de atletismo. 


Victor Raphael e a medalha de bronze do Brasileiro Sub-16 (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

“Já estava feliz por estar entre os melhores, mas eu gosto de pensar grande. Eu fui mirando no primeiro. Infelizmente dessa vez não deu, mas na próxima eu quero tentar. Gostei muito da prova. Descobri que tenho que confiar em mim porque eu consegui o bronze no meu penúltimo salto. Antes disso eu estava em sétimo na prova e no Norte Nordeste quando eu descobri que estava em sétimo eu falei pra mim que não ia dá. Já no Brasileiro eu acreditei. Me ajoelhei e disse “Deus, não importa a cor da medalha. Esse salto vai sair agora” e eu fui e consegui o terceiro lugar”

Aos 14 anos, o atleta que saiu de Monsenhor Gil há dois anos para estudar e treinar em Teresina começa a abrir seus caminhos na modalidade. Com o salto em distância, Victor sempre se identificou, mas foi apenas em maio deste ano que, após um teste do treinador Nilson Sousa, Victor iniciou sua trajetória em nova prova. 

“É uma prova que eu sempre quis. Desde quando treinava em Monsenhor Gil eu sempre via os meninos saltando só que por ele serem grandes e altos eu pensava que não seria. Mas dentro de mim eu sempre quis ser. Quando eu fui para Fortaleza eu fiz e deu certo”, destacou Victor.


Victor ao lado do técnico Nilson Sousa (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

“Ele não tem o biótipo de saltado, mas como ele é muito rápido. Fiz o teste com ele em maio em uma competição. Já que ele é rápido e veloz nós fizemos o teste e deu certo. De maio para cá ele fez algumas competições e o Brasileiro foi a terceira. O Victor é um menino muito determinado. Hoje são poucos adolescentes na idade dele que fazem o que ele faz”, afirmou o treinador. 


Victor Raphael (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

Ano passado devido a uma lesão Victor não pode disputar o Brasileiro. Este ano, a chance veio e com ela os novos aprendizados. Antes de competir no Brasileiro, o atleta tinha disputado ainda no final de agosto o Troféu Norte Nordeste Sub-16 e amargado a sétima posição na prova. 

O puxão de orelha do técnico Nilson Sousa acabou resultando em medalha na competição nacional e Victor foi o único atleta do Nordeste a estar no pódio do salto em distância no Brasileiro Sub-16. 

“Apesar dele ter cometido alguns erros que em algumas competições tiraram medalhas dele, no caso do Norte Nordeste, isso faz parte do crescimento e desenvolvimento dele. Aprender com os erros e no intervalo de 10 dias de um erro ele voltou com uma medalha de bronze. No pódio ele foi o único do Norte Nordeste. Isso é importante não só para o estado, mas também para a região que teve um representante. Já vinhamos querendo essa medalha desde o ano passado. Daqui para frente é manter isso e melhorar ainda mais”


Atleta tem realizado treinos na Avenida Teresina, em Timon (Foto: Jade Araujo / Portal AZ)

No calendário, Victor Raphael terá em novembro a disputa dos Jogos Escolares da Juventude que acontece em Blumenau, Santa Catarina, entre os dias 22 e 25 de novembro. Essa será a última competição do ano para o atleta e a expectativa estar no pódio mais alto. 

“Eu quero ajustar principalmente minha técnica. Tenho velocidade, mas técnica eu não tenho. Com ela eu sei que posso fazer uma marca muito maior e estou indo para o Escolar visando o ouro. Vou botar para quebrar”