1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Em ação pioneira, Athletico-PR contrata ex-jogadora da seleção para o departamento de futebol masculino
Publicidade

Em ação pioneira, Athletico-PR contrata ex-jogadora da seleção para o departamento de futebol masculino

Mayara Bordin encerra a carreira nos gramados e vai trabalhar na supervisão administrativa do Furacão

 Ex-volante da seleção brasileira e de clubes como Corinthians, Zaragoza e Málaga, da Espanha, Mayara Bordin encerrou a carreira nos gramados para assumir um novo desafio: aos 32 anos, ela vai trabalhar na supervisão administrativa do futebol masculino do Athletico-PR.


Mayara Bordin, ex-jogadora da seleção, contratada para trabalhar no departamento de futebol masculino do Athletico-PR — Foto: Divulgação

Em um momento de crescimento do espaço das mulheres no futebol, Mayara sabe que sua chegada ao atual campeão da Copa do Brasil tem um significado especial.

- Eu tomei a decisão mais difícil da minha vida e sei o tamanho da responsabilidade que assumi. Estou iniciando uma nova trajetória que, se bem sucedida, poderá, sim, abrir portas para que mais mulheres e ex-atletas se aventurem por esse caminho.
- Sou grata ao Athletico pelo pioneirismo e pela oportunidade, espero que outros clubes também se abram para este tipo de iniciativa - afirmou Mayara.

Diretor geral de futebol do Furacão, o ex-zagueiro Paulo André acredita que o clube paranaense está alinhado aos novos tempos, dentro e fora dos campos.

- Eu vejo esse movimento no futebol e na sociedade como natural, irreversível. Para nós, o que importa é que as pessoas que escolhemos tenham a capacidade de compartilhar sua experiência, seu conhecimento e sua disposição em resultado operacional e desportivo. E isso independe de gênero, raça ou idade. A Mayara passou por um processo de entrevistas e atividades que a credenciaram a fazer parte da nossa equipe. É evidente que seu histórico como atleta, sua mentalidade vencedora e sua paixão pelo futebol são elementos extras que vêm corroborar com os valores e as práticas que aplicamos no nosso dia a dia - disse o dirigente.


Mayara Bordin, ex-jogadora da seleção, contratada para trabalhar no departamento de futebol masculino do Athletico-PR — Foto: Divulgação

Mayara passou por um estágio no Furacão, e foi contratada às vésperas da conquista da Copa do Brasil.

- Cheguei na hora boa, né? Ninguém pode dizer que eu sou pé frio! - brincou ela. - A verdade é que eu cheguei uma semana antes de sermos campeões, os vencedores já estavam aqui, só deu tempo de chegar com a minha energia, e poder testemunhar o quanto eles realmente são merecedores dessa conquista. Espero ser a minha primeira de muitas aqui.

Experiência pioneira na formação do time feminino do Corinthians

Catarinense de Xanxerê, Mayara se formou na Florida International University, nos Estados Unidos, onde disputou a principal liga de futebol feminino do país na época. Jogou também no Tyreso, da Suécia, onde foi vice-campeã da Liga dos Campeões da Uefa.

No Brasil, foi bicampeã da Copa do Brasil pelo Foz Cataratas (2011) e Corinthians/Audax (2016) e campeã brasileira pelo Centro Olímpico (2013). Pela seleção brasileira, disputou a Universíade de Kazan, na Rússia, em 2013, e foi bicampeã do Torneio Internacional de Futebol Feminino.

Enquanto jogava, Mayara estudou Marketing Esportivo e Gestão Esportiva em um curso ministrado pelo Barcelona. Em 2015, quando atuava pelo Centro Olímpico (SP), ela levou ao Corinthians o projeto de formação do time feminino do clube paulista, para onde se transferiu em seguida. Na Espanha, defendeu Zaragoza e Málaga, onde encerrou a carreira após a última temporada.

 Ex-volante da seleção brasileira e de clubes como Corinthians, Zaragoza e Málaga, da Espanha, Mayara Bordin encerrou a carreira nos gramados para assumir um novo desafio: aos 32 anos, ela vai trabalhar na supervisão administrativa do futebol masculino do Athletico-PR.


Mayara Bordin, ex-jogadora da seleção, contratada para trabalhar no departamento de futebol masculino do Athletico-PR — Foto: Divulgação

Em um momento de crescimento do espaço das mulheres no futebol, Mayara sabe que sua chegada ao atual campeão da Copa do Brasil tem um significado especial.

- Eu tomei a decisão mais difícil da minha vida e sei o tamanho da responsabilidade que assumi. Estou iniciando uma nova trajetória que, se bem sucedida, poderá, sim, abrir portas para que mais mulheres e ex-atletas se aventurem por esse caminho.
- Sou grata ao Athletico pelo pioneirismo e pela oportunidade, espero que outros clubes também se abram para este tipo de iniciativa - afirmou Mayara.

Diretor geral de futebol do Furacão, o ex-zagueiro Paulo André acredita que o clube paranaense está alinhado aos novos tempos, dentro e fora dos campos.

- Eu vejo esse movimento no futebol e na sociedade como natural, irreversível. Para nós, o que importa é que as pessoas que escolhemos tenham a capacidade de compartilhar sua experiência, seu conhecimento e sua disposição em resultado operacional e desportivo. E isso independe de gênero, raça ou idade. A Mayara passou por um processo de entrevistas e atividades que a credenciaram a fazer parte da nossa equipe. É evidente que seu histórico como atleta, sua mentalidade vencedora e sua paixão pelo futebol são elementos extras que vêm corroborar com os valores e as práticas que aplicamos no nosso dia a dia - disse o dirigente.


Mayara Bordin, ex-jogadora da seleção, contratada para trabalhar no departamento de futebol masculino do Athletico-PR — Foto: Divulgação

Mayara passou por um estágio no Furacão, e foi contratada às vésperas da conquista da Copa do Brasil.

- Cheguei na hora boa, né? Ninguém pode dizer que eu sou pé frio! - brincou ela. - A verdade é que eu cheguei uma semana antes de sermos campeões, os vencedores já estavam aqui, só deu tempo de chegar com a minha energia, e poder testemunhar o quanto eles realmente são merecedores dessa conquista. Espero ser a minha primeira de muitas aqui.

Experiência pioneira na formação do time feminino do Corinthians

Catarinense de Xanxerê, Mayara se formou na Florida International University, nos Estados Unidos, onde disputou a principal liga de futebol feminino do país na época. Jogou também no Tyreso, da Suécia, onde foi vice-campeã da Liga dos Campeões da Uefa.

No Brasil, foi bicampeã da Copa do Brasil pelo Foz Cataratas (2011) e Corinthians/Audax (2016) e campeã brasileira pelo Centro Olímpico (2013). Pela seleção brasileira, disputou a Universíade de Kazan, na Rússia, em 2013, e foi bicampeã do Torneio Internacional de Futebol Feminino.

Enquanto jogava, Mayara estudou Marketing Esportivo e Gestão Esportiva em um curso ministrado pelo Barcelona. Em 2015, quando atuava pelo Centro Olímpico (SP), ela levou ao Corinthians o projeto de formação do time feminino do clube paulista, para onde se transferiu em seguida. Na Espanha, defendeu Zaragoza e Málaga, onde encerrou a carreira após a última temporada.