1. Editorias
  2. AZ Esporte
  3. Inter analisa finanças e terá reunião com elenco para discutir redução e antecipação de férias
Publicidade

Inter analisa finanças e terá reunião com elenco para discutir redução e antecipação de férias

Diretoria colorada precisa entender impacto da paralisação do calendário devido à pandemia do coronavírus antes de formalizar proposta aos jogadores

Após uma semana de suspensão total das atividades devido à pandemia do coronavírus, o Inter ainda analisa e tenta prever o tamanho do impacto da paralisação em suas contas. Mas entre videoconferências e reuniões à distância, a diretoria colorada planeja uma proposta ao elenco com redução momentânea dos vencimentos e antecipação das férias para o mês de abril.

Conforme apurado pelo GloboEsporte.com, o Conselho de Gestão traçará ainda nesta semana uma previsão do prejuízo com a perda das receitas ordinárias do clube - especialmente bilheteria e premiação com jogos da Libertadores. A partir daí, será agendada uma reunião com as lideranças do vestiário para discutir os termos do novo acordo.


Cúpula colorada na apresentação do técnico Eduardo Coudet — Foto: Eduardo Deconto 

Até o momento, não há qualquer definição sobre que valores serão repactuados com os atletas, até pela imprevisibilidade do prazo para retorno das atividades. O clube espera que o calendário seja retomado com partidas até o final de dezembro, próximo do Natal.

O plano é buscar um acordo para antecipar 20 dias de férias ainda em abril. A diretoria irá propor a redução de parte dos salários e direitos de imagem com o compromisso de quitar os percentuais pendentes assim que novas receitas entrarem nos cofres do clube. Algo semelhante ao que ocorre com o pagamento de premiações por objetivos.

A diretoria convive com uma preocupação expressa já publicamente sobre a questão financeira durante a paralisação do campeonato. O clube admite não ter recursos para manter salários e demais despesas em dia a partir já do mês de abril. Em paralelo, suspendeu toda e qualquer negociação em todos os departamentos.

Na última segunda-feira, a Comissão Nacional de Clubes (CNC) enviou uma proposta à Federação dos Atletas Profissionais de Futebol com as seguintes medidas: férias coletivas a partir de abril, 10 dias de férias entre o fim de 2020 e o início de 2021 e redução de 25% nos salários. A resposta é esperada nesta quarta-feira.

O Inter, por sua vez, discutirá os termos de forma separada dos demais clubes. Até o momento, não há data para reunião com atletas e tampouco quais jogadores representarão o elenco. D'Alessandro, Marcelo Lomba, Danilo Fernandes, Víctor Cuesta, Uendel, Edenílson, Rodrigo Dourado e Guerrero são as principais lideranças.

Após uma semana de suspensão total das atividades devido à pandemia do coronavírus, o Inter ainda analisa e tenta prever o tamanho do impacto da paralisação em suas contas. Mas entre videoconferências e reuniões à distância, a diretoria colorada planeja uma proposta ao elenco com redução momentânea dos vencimentos e antecipação das férias para o mês de abril.

Conforme apurado pelo GloboEsporte.com, o Conselho de Gestão traçará ainda nesta semana uma previsão do prejuízo com a perda das receitas ordinárias do clube - especialmente bilheteria e premiação com jogos da Libertadores. A partir daí, será agendada uma reunião com as lideranças do vestiário para discutir os termos do novo acordo.


Cúpula colorada na apresentação do técnico Eduardo Coudet — Foto: Eduardo Deconto 

Até o momento, não há qualquer definição sobre que valores serão repactuados com os atletas, até pela imprevisibilidade do prazo para retorno das atividades. O clube espera que o calendário seja retomado com partidas até o final de dezembro, próximo do Natal.

O plano é buscar um acordo para antecipar 20 dias de férias ainda em abril. A diretoria irá propor a redução de parte dos salários e direitos de imagem com o compromisso de quitar os percentuais pendentes assim que novas receitas entrarem nos cofres do clube. Algo semelhante ao que ocorre com o pagamento de premiações por objetivos.

A diretoria convive com uma preocupação expressa já publicamente sobre a questão financeira durante a paralisação do campeonato. O clube admite não ter recursos para manter salários e demais despesas em dia a partir já do mês de abril. Em paralelo, suspendeu toda e qualquer negociação em todos os departamentos.

Na última segunda-feira, a Comissão Nacional de Clubes (CNC) enviou uma proposta à Federação dos Atletas Profissionais de Futebol com as seguintes medidas: férias coletivas a partir de abril, 10 dias de férias entre o fim de 2020 e o início de 2021 e redução de 25% nos salários. A resposta é esperada nesta quarta-feira.

O Inter, por sua vez, discutirá os termos de forma separada dos demais clubes. Até o momento, não há data para reunião com atletas e tampouco quais jogadores representarão o elenco. D'Alessandro, Marcelo Lomba, Danilo Fernandes, Víctor Cuesta, Uendel, Edenílson, Rodrigo Dourado e Guerrero são as principais lideranças.