1. Editorias
  2. Economia
  3. Bolsonaro descarta congelar aposentadorias e “mata” Renda Brasil
Publicidade

Bolsonaro descarta congelar aposentadorias e “mata” Renda Brasil

Presidente ameaçou um "cartão vermelho" para quem defender a ideia do congelamento no governo federal

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) descartou nesta terça-feira (15/9) a possibilidade de congelar aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por dois anos para criar o programa Renda Brasil.

Bolsonaro descarta ideia de congelar aposentadorias e “mata” Renda Brasil (foto: Igo Estrela)

Sem citar nominalmente o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, Bolsonaro disse que “quem porventura vir a propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”.

“É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento para com os aposentados do Brasil”, afirmou o presidente da República, em vídeo publicado nesta manhã em uma rede social.

“Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado desse assunto, mas por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados e jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja”, complementou.

A ideia apresentada por Waldery Rodrigues, em entrevista ao portal G1, é congelar as aposentadorias e pensões para abrir espaço no Orçamento de 2021 ao Renda Brasil, programa assistencial que viria a substituir o Bolsa Família. Bolsonaro, no entanto, disse estar proibido falar em Renda Brasil, ao menos, até 2022.

“E a última coisa: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa família e ponto final”, finalizou, no vídeo. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) descartou nesta terça-feira (15/9) a possibilidade de congelar aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por dois anos para criar o programa Renda Brasil.

Bolsonaro descarta ideia de congelar aposentadorias e “mata” Renda Brasil (foto: Igo Estrela)

Sem citar nominalmente o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, Bolsonaro disse que “quem porventura vir a propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”.

“É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento para com os aposentados do Brasil”, afirmou o presidente da República, em vídeo publicado nesta manhã em uma rede social.

“Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado desse assunto, mas por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados e jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja”, complementou.

A ideia apresentada por Waldery Rodrigues, em entrevista ao portal G1, é congelar as aposentadorias e pensões para abrir espaço no Orçamento de 2021 ao Renda Brasil, programa assistencial que viria a substituir o Bolsa Família. Bolsonaro, no entanto, disse estar proibido falar em Renda Brasil, ao menos, até 2022.

“E a última coisa: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa família e ponto final”, finalizou, no vídeo.