1. Editorias
  2. Entretenimento
  3. Com livro e filme novos, Thalita Rebouças se firma como fábrica de sucessos
Publicidade

Com livro e filme novos, Thalita Rebouças se firma como fábrica de sucessos

Recém-lançado, livro 'Pai em dobro' vai estrear como filme na Netflix em 15 de janeiro. Thalita Rebouças ainda terá pelo menos mais dois filmes este ano

A escritora Thalita Rebouças é um dos fenômenos da literatura brasileira. As obras de autoria dela dominam o cenário infantojuvenil. O sucesso dos livros garantiu nos últimos anos adaptações cinematográficas, que também obtiveram boa repercussão no cinema e no streaming. Ano passado, a autora completou 20 de anos de carreira marcados pelo lançamento em 2000 de Traição entre amigas, o primeiro dos mais de 20 livros publicados desde então.

Thalita Rebouças comemora 20 anos de carreira com livro e filme (Foto: Globo/João Miguel Júnior)

Quase em celebração à marca, Thalita inicia o ano de 2021 com vários projetos. O primeiro deles é o lançamento de Pai em dobro, pela Editora Rocco. O livro chegou às livrarias antes do filme produzido pela Netflix e com lançamento marcado para o dia 15 na plataforma. No entanto, a obra surgiu, pela primeira vez, de maneira inversa. A carioca escreveu o roteiro do longa-metragem e só depois transformou o material em obra literária.

“Foi a primeira ideia que nasceu inicialmente como filme na minha cabeça”, conta em entrevista ao Correio. A inspiração veio do amigo e ator Du Moscovis, que integra o elenco da produção. “Ele é meu muso inspirador. Foi a partir de uma conversa com ele, que me veio a história toda. Nasceu com ele. Ele já era o Paco antes mesmo de ser”, explica.

Em Pai em dobro, Thalita Rebouças narra a história de Vicenza (Maisa), uma menina que cresceu numa vila ecológica sem saber a identidade do pai. Quando ela completa 18 anos, pede de aniversário a resposta, e acaba conseguindo encontrar pistas que a levam a duas opções: o artista plástico Paco (Du Moscovis) e o empresário Geovani (Marcelo Médici).

Para ela, esse foi um caminho mais divertido. “É muito mais livre. Normalmente, numa adaptação, você tem que cortar muita coisa do livro para caber no espaço de um filme. No livro é ao contrário, o céu é o limite. Pude aumentar diálogos e tramas que não estão no longa. Foi realmente uma das coisas mais deliciosas que eu fiz na carreira”, revela.

Outros projetos

Pai em dobro é apenas um dos filmes que Thalita tem para 2021. Há duas produções sendo rodadas com protagonismo de Larissa Manoela e a versão de Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco dramática) com Klara Castanho, também para a Netflix. Outras obras estão no processo de adaptação para o formato, são elas Era uma vez minha primeira vez (2011), 360 dias de sucesso (2014) e Traição entre amigas (2000).

A partir do dia 17, Thalita poderá ser vista na tevê aberta. Ela participa da apresentação e da reportagem da estreia do The voice +, nova versão do reality show voltada para participantes acima dos 60 anos. “Vou estar na apresentação com o André (Marques). Fiquei muito feliz com o convite”, revela. Dessa vez, a escritora foi convocada após anos atrás ter pedido para entrar na função no The voice kids. A ideia era explorar outras áreas.

O que Thalita tem feito também nas adaptações. A cada filme, ela faz uma ponta. “Essa brincadeira de atriz é porque gosto de fazer as participações. Tem uma coisa afetiva. Fica bacana para quem lê os livros e se identifica com aquele universo. Acho que é um charme”, completa.
 

A escritora Thalita Rebouças é um dos fenômenos da literatura brasileira. As obras de autoria dela dominam o cenário infantojuvenil. O sucesso dos livros garantiu nos últimos anos adaptações cinematográficas, que também obtiveram boa repercussão no cinema e no streaming. Ano passado, a autora completou 20 de anos de carreira marcados pelo lançamento em 2000 de Traição entre amigas, o primeiro dos mais de 20 livros publicados desde então.

Thalita Rebouças comemora 20 anos de carreira com livro e filme (Foto: Globo/João Miguel Júnior)

Quase em celebração à marca, Thalita inicia o ano de 2021 com vários projetos. O primeiro deles é o lançamento de Pai em dobro, pela Editora Rocco. O livro chegou às livrarias antes do filme produzido pela Netflix e com lançamento marcado para o dia 15 na plataforma. No entanto, a obra surgiu, pela primeira vez, de maneira inversa. A carioca escreveu o roteiro do longa-metragem e só depois transformou o material em obra literária.

“Foi a primeira ideia que nasceu inicialmente como filme na minha cabeça”, conta em entrevista ao Correio. A inspiração veio do amigo e ator Du Moscovis, que integra o elenco da produção. “Ele é meu muso inspirador. Foi a partir de uma conversa com ele, que me veio a história toda. Nasceu com ele. Ele já era o Paco antes mesmo de ser”, explica.

Em Pai em dobro, Thalita Rebouças narra a história de Vicenza (Maisa), uma menina que cresceu numa vila ecológica sem saber a identidade do pai. Quando ela completa 18 anos, pede de aniversário a resposta, e acaba conseguindo encontrar pistas que a levam a duas opções: o artista plástico Paco (Du Moscovis) e o empresário Geovani (Marcelo Médici).

Para ela, esse foi um caminho mais divertido. “É muito mais livre. Normalmente, numa adaptação, você tem que cortar muita coisa do livro para caber no espaço de um filme. No livro é ao contrário, o céu é o limite. Pude aumentar diálogos e tramas que não estão no longa. Foi realmente uma das coisas mais deliciosas que eu fiz na carreira”, revela.

Outros projetos

Pai em dobro é apenas um dos filmes que Thalita tem para 2021. Há duas produções sendo rodadas com protagonismo de Larissa Manoela e a versão de Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco dramática) com Klara Castanho, também para a Netflix. Outras obras estão no processo de adaptação para o formato, são elas Era uma vez minha primeira vez (2011), 360 dias de sucesso (2014) e Traição entre amigas (2000).

A partir do dia 17, Thalita poderá ser vista na tevê aberta. Ela participa da apresentação e da reportagem da estreia do The voice +, nova versão do reality show voltada para participantes acima dos 60 anos. “Vou estar na apresentação com o André (Marques). Fiquei muito feliz com o convite”, revela. Dessa vez, a escritora foi convocada após anos atrás ter pedido para entrar na função no The voice kids. A ideia era explorar outras áreas.

O que Thalita tem feito também nas adaptações. A cada filme, ela faz uma ponta. “Essa brincadeira de atriz é porque gosto de fazer as participações. Tem uma coisa afetiva. Fica bacana para quem lê os livros e se identifica com aquele universo. Acho que é um charme”, completa.